Cinema Panopticum - Thomas Ott - Darkside Books

Uma experiência de leitura única que só o quadrinho pode oferecer. Poderoso e sinistro, venha adentrar o Cinema Panopticum e descobrir o que ele esconde!

Narrativas silenciosas são poderosas

Termino de ler Cinema Panopticum, de Thomas Ott, certo de estar de frente a um grande quadrinho. Sua narrativa sem texto e por isso comento ser silenciosa, é magistral. Por não fazer o leitor parar em textos, a velocidade da experiência aumenta, criando sentimentos variados e intensos.

Cinema Panopticum - Thomas Ott - Darkside Books

Cinema Panopticum – Thomas Ott – Darkside Books

Publicação da DarkSide Books, traz uma introdução intitulada Carrossel de Ilusões, de Maria Clara Carneiro, professora da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e tradutora, além de organizadora do Prêmio Grampo. No texto ela comenta, dentre algumas coisas, sobre o processo artístico de Ott. Vale a leitura, pois engrandece demais a experiência. 

O poder da narrativa muda

Apesar de silenciosa, a narrativa desta HQ é muito forte. Poderia até mesmo dizer que ela grita ao leitor, contando sua história. 

Uma jovem menina possui apenas cinco centavos, divididos em moedas de um centavo. Ela está curiosa pelas atrações da fun fair, porém todas as diversões são mais caras. Obviamente a exceção é o Cinema Panopticum, onde ela se depara com cinco máquinas que disponibilizam uma pequena gravação ao espectador por um mísero centavo. 

Exatamente neste momento a HQ se mostra muito poderosa. Sem qualquer texto ou balão, apenas usando imagens, cada uma das máquinas mostra suas histórias. O mais legal é perceber como as pequenas narrativas se inserem dentro da narrativa de moldura maior, ou seja, da menina na feira. 

Considerações finais 

Em suma, a leitura de Cinema  Panopticum, de Thomas Ott, vale pela experiência rica de uma narrativa imagética inegavelmente bem construída. Além disso, o traço de Ott e sua técnica criam com absoluta maestria uma atmosfera terrível. 

Um quadrinho que brinca com o psicológico de uma forma bem legal, entregando histórias dentro de uma história. 

Conhecia este quadrinho? Me conta aí, mas já corra para ler. 

Tô LendoAlgumas imagens!
Cinema Panopticum - Thomas Ott - Darkside Books
Cinema Panopticum - Thomas Ott - Darkside Books
Cinema Panopticum - Thomas Ott - Darkside Books
Cinema Panopticum - Thomas Ott - Darkside Books
Cinema Panopticum - Thomas Ott - Darkside Books
Cinema Panopticum - Thomas Ott - Darkside Books

Você teria coragem de assistir todas as cinco histórias? Gosta de narrativas mudas como esta, mas cheias do mais terrível e bizarro? Me conta ai!

Daniel Braga

Por: Daniel Braga

Pai de uma mulher, nerd, analista de sistemas especializado em infraestrutura, poeta, board game designer e sommelier de cervejas. Adora jogar board games e ouvir jazz anos 30/40, Dead Can Dance e rock and roll. Curte muito o gênero de horror e tudo relacionado, principalmente as boas leituras como Lovecraft, Blackwood, Machen e muitos outros.