NAS PRATELEIRAS #112 – O Relógio do Juízo Final

Início/Destaques, Leia!, Nas Prateleiras/NAS PRATELEIRAS #112 – O Relógio do Juízo Final

Recentemente me vi surpreendido pela saga O Relógio do Juízo Final. Uma história que faz o crossover entre o universo DC e o universo de Watchmen continuando a história do clássico adicionando mais detalhes, novos personagens e mudando todo o multiverso.

Em 2016 a DC Comics resolveu que era hora de terminar a fase dos Novos 52 e fazer mais um reboot em sua história, daí nasceu a fase Renascimento (ou “Rebirth“). Durante o one-shot que mostrava o fim da realidade criada lá em 2011 após o Flashpoint, o famoso botton com um smile e um pouco de sangue (um estranho objeto para os heróis da DC, mas mundialmente conhecido pelos fãs) chega neste novo universo de Superman, Batman e cia.

Após algum tempo sem tocar no assunto sobre esse possível crossover, em 2017 é lançada a nova série chamada de O Relógio do Juízo Final (“Doomsday Clock“) que começa a mostrar o universo de Watchmen anos após o desastre de Nova Iorque e a morte de 3 milhões de pessoas. No momento que começamos a ler, Adrian Veidt é reconhecido pelas mortes e é o homem mais procurado do mundo, um novo Rorschach está na ativa e o mundo de Watchmen está a beira de um colapso mundial com as potências atômicas, novamente, colocando o destino da humanidade em xeque. Como diz Dr Manhattan: “Nada termina, Adrian. Nada termina nunca.”

Caverna do Caruso - O Relogio do Juizo Final Doomsday Clock - Pagina 2

Durante os capítulos podemos ver vários heróis da editora, nem que seja rapidinho… Mas é uma ótima viagem no tempo.

A série possui 12 edições e terminou no Brasil em Abril deste ano, lançados pela Panini mensalmente. A expectativa foi grande e a série teve algumas críticas negativas na época. Eu? Bem, eu esperei ter todas as edições em mãos para ler e cercado de uma expectativa baixa após as críticas iniciais, até me emocionei.

Como sempre, Watchmen parece uma ficção baseado em fatos reais e os pontos levantados na história por Geoff Johns são interessantes. O plot, que não é sobre nenhum personagem específico (ou é?), foca muitas vezes na visão de tempo do Dr Manhattan, na capacidade intelectual de Ozymandias, no poder investigativo do Batman, emoção do Rorschach e na bondade e até ingenuidade do Superman.

Outra coisa legal da trama é trazer um personagem de um universo que só existe um super, Manhattan, para um que existem vários mascarados em meio a uma discussão meio Guerra Civil sobre a identidade deles!

A arte é por Gary Frank, que tem seu Superman inspirado no Christopher Reeve como já vimos lá em Origem Secreta. Seus traços funcionam perfeitamente por todo o percurso e as cores de Brad Anderson sabem nos colocar no tempo e espaço certos para entender a história.

Caverna do Caruso - O Relogio do Juizo Final Doomsday Clock - Pagina 1

E olha que não está morto!

Para fechar, fiz questão de digitar uma parte de um diálogo da HQ traduzida pelo Jotapê Martins:

“Ele (meu pai) acreditava que havia coisas boas em toda parte. Em todo mundo. A gente só tinha que olhar ao redor. Nós tínhamos de ver o bem e ajudar os outros a verem também. Nunca ceder a pensamentos negativos. Mas algumas pessoas não conseguem ver o bem. Essas pessoas só querem ver todo mundo sofrendo com elas. E elas vão vencer. O mundo está afogando em ódio e raiva. Polos separados por um desfiladeiro cada vez mais amplo de bile digital. Em breve, duas facções vão tropeçar na borda, caindo na fossa sem fundo da presunção liberal e das políticas identitárias já superadas… As mãos agarradas a seus telefones belicosos, não encontrando ramos de oliveira que possam salvá-las. Porque nenhum dos lados sabe mais o que representa. Por que não deixar este mundo horrível se destruir antes de sermos arrastados pras trevas junto com ele?”

Tô Lendovantagens
  • Watchmen sempre é bom e o trabalho de perspectiva dos acontecimentos pelo Dr Manhattan são sempre legais de ver. Na série da TV foi legal e aqui também.
  • Nessa saga a DC arruma… ou confunde… bem, eles admitem que o multiverso tá aí e que sempre foi bagunçado mesmo. 🙂
  • Superman!
Tô Lendodesvantagens
  • As edições foram lançadas avulsas, mensalmente, mas eu estou numa fase de querer pegar e ler tudo logo. Foi difícil esperar.
  • Para quem quer comprar as edições físicas hoje, pode ser difícil achar todas as edições anteriores em um mesmo lugar.

Você acaba de ler esperando conversar com o amigo ao lado sobre o que aconteceu e os desdobramentos daquilo (fala muito sobre o multiverso da DC), então deixem suas ideias e opiniões no comentários para podermos continuar essa conversa manter o texto o mais spoiler free possível.

Até a próxima!

Tiberio Velasquez

Por: Tibério Velasquez

Analista de sistemas por profissão, integrante do Conselho Jedi do Rio de Janeiro, Tibério também é fotógrafo, turista, iPhoner e colecionador. Curte de tudo: filmes, músicas, livros, séries, peças teatrais, jogos e quadrinhos. Nerdices à parte, assiste sempre MMA, NFL, Rugby, NBA, MLB, futebol, e tenta não deixar a prática de esporte de lado.

2021-02-10T13:23:08+00:00 26 de novembro de 2020|0 Comentários