Hora da colher de chá, já não era sem tempo. E já que estamos falando de chá, nada melhor que ir até a China…

Não importa se você é fã do Punho de Ferro, ou até mesmo se você é fã de histórias de super heróis,  A Última História do Punho de Ferro (que não foi a última, nem de longe) é uma excelente leitura!

Os textos são de Ed Brubaker (já pelei o saco dele pra falar aqui de Gotham Central) junto com Matt Fraction e David Aja, na arte. Esses dois últimos, compõem a mesma dupla premiadíssima pela maravilhosa fase do Gavião Arqueiro, republicada recentemente.

Pra ser muito sincero, não lembro bem qual é a trama. Dá algum siricutico nas indústrias Rand e ele precisa ir até a China resolver o bagulho (talvez as Indústrias Rand devessem investir em uma conta de e-mail ou um grupo de whatsapp, a se pensar…). A questão é que a história te prende do início ao fim, com uma leitura fluida, envolvendo Kung-Fu, um pouquinho de espionagem e alguns anacronismos. Na mão do Brubaker (e do Fraction, aliás começo a achar que tem muito do Fraction aí, porque na época eu não conhecia o trabalho dele e ele me passou meio despercebido), o Punho de Ferro vira um personagem extremamente carismático, ao mesmo tempo inserido no universo do kung-fu, i-ching e todos esses lances, mas com um leve tom de humor (bem leve), sarcasmo e ironia, deixando o personagem bem contemporâneo.

Outra coisa legal é que a história do Punho de Ferro se mistura com a de outros Punhos de Ferros, acrescentando à mitologia do personagem, gerando um universo mais rico e prolífero. Muito legal mesmo.

A arte do David Aja é sensacional. Super “direta ao ponto”. Ao mesmo tempo que ela consegue passar a adrenalina das cenas de ação, ela também se mantém bastante realista. É como se você estivesse vendo um filmaço.

Esse primeiro arco saiu aqui em 2008, na Marvel Apresenta número 35. Isso é outra coisa legal, que você não precisa ficar catando dentro das revistas avulsas. Ele tá lá, inteiraço, em algum encadernado esquecido dentro de algum sebo. Quer dizer, inteiraço é maneira de dizer, porque a história continua em outro volume. É bem coito interrompido, mesmo. A continuação saiu em Marvel Apresenta 43 e 45. Pra mim foi péssimo, porque já tinha passado muito tempo de uma história pra outra e, como já deve ter dado pra perceber, minha memória não é lá essas maravilhas. No entanto, isso não vai ser um problema pra você, que vai poder comprar tudo de uma vez só, por 10 reais e uma mariola, em alguma loja de livros usados (eu não queria falar sebo novamente). Então não esquece: Marvel Apresenta 35, 43 e 45.

Mas um aviso: a continuação dá uma bela enfraquecida. Me lembro de começar a não entender nada nos outros dois volumes, o que era uma pena, porque a história era super linear, simples e divertida. Mas ainda assim, pelo preço de 10 reais e uma mariola tá muito bom! Ideal para quem está procurando uma leitura leve pra passar o tempo. Essa é daquelas que te fazem esquecer a pilha de trabalho que você tem que entregar na segunda feira. E eu não sei você, mas eu preciso cada vez mais desse tipo de revista!

Vamos às vantagens e desvantagens:

Tô Lendovantagens
  • Ed Brubaker, sempre uma vantagem
  • Matt Fraction estagiário, começando seus trabalhos na Marvel. Então se você é daqueles que “ai, eu amo o Matt Fraction, li tudo dele”, você tem que ler isso também!
  • Arte do David Aja. Quem sabe do que eu tô falando, sabe do que eu tô falando!
  • Ideal para quem não conhece o Punho de Ferro e quer se familiarizar com o personagem (pra poder reclamar  da série do Netflix com propriedade)
  • Ideal para quem já conhece o personagem, pois a trama é muito respeitosa com o histórico do Punho de Ferro e faz várias referências punho de ferrísticas.
  • Excelente ambientação dos lugares, a China, a cidade maluca do Punho de Ferro que aparece e desaparece, etc. É o tipo de história que te faz viajar junto com ela
  • Cores sensacionais, ajudando nesse lance da ambientação que eu falei aí acima.
  • Ah, sim, quase que eu me esqueço: Saiu no Brasil!! Êêêêêê!!!! E como foi publicado pela Panini, que publica as coisas em quantidades fartas, não é nenhuma raridade. Grandes chances de você encontrar a bons preços pelos sebos e Mercados Livres da vida.
Tô Lendodesvantagens
  • Esses encadernados que a Panini lançou envelhecem mal. Tem capa fininha e páginas que amarelam com facilidade. Então pra achar uma edição em bom estado (foi publicado aqui em 2008, quer dizer, tem tempo), você vai precisar de um DeLorean.
  • A continuação nos outros dois volumes é mais fraca que o início da história.
  • Essa história já foi republicada em capa dura, o que significa que você não vai encontrar à dez reais e uma mariola. Se eu não me engando, foi republicado pela Panini e pela Salvat, então você também vai ter um trabalhinho aí para encontrar a ordem certa das coisas…
  • Apesar de eu – muito vergonhasamente admitir – ter gostado da série do Punho de Ferro, reconheço que não é o melhor trabalho audiovisual do mundo e muuuuuita gente reclama dela. Então se você terminou de ler isso aí e correu pra série pensando “ah, quão ruim pode ser??” Bem…

E aí? Moleza esse, né? Isso aí todo mundo já leu, com certeza! Quero ouvir a sua opinião sobre essas histórias! Compartilha comigo! Deixa seu comentário e vamos falar de quadrinhos!

Até a próxima e boas leituras!

Tô LendoAlgumas imagens!
Marvel Apresenta Punho de Ferro
MARVEL APRESENTA PUNHO DE FERRO