Não lembro como esse quadrinho veio parar nas minhas mãos! Talvez tenha sido um dos quadrinhos repetidos que o Tibério às vezes desova comigo (já aconteceu mais de uma vez, acredite se quiser!) ou talvez a Panini tenha mandado aqui pra casa há muito tempo… O ponto é: estou muito feliz que tenha acontecido!

Essa é uma mini série em seis partes de 2014, publicada aqui pela Panini em 2017, completinha, em um único volume. É uma mini série muito boa da Vertigo, que eu não vejo ninguém falando, em lugar nenhum (e olha que eu esperei 4 anos pra fazer essa afirmação com categoria). Mas agora isso vai mudar!

Escrita por Rob Williams (não confundir com o cantor nem com o comediante), a história aborda um universo durante a Segunda Guerra Mundial onde super seres sempre existiram e fazem parte da realeza. Apesar de um juramento de não intereferir nas batalhas, um príncipe mimado da Inglaterra resolve usar seus poderes e acaba despertando a fúria de outras nações e suas realezas super poderosas. É um quadrinho que mistura muito bem política, reconstrução histórica e, não se engane, muita ação! Digo isso porque eu não me dou bem com quadrinhos muito “palavrosos” (as pessoas às vezes acham que eu sou inteligente, mas é só o óculos), mas nem de longe é o caso aqui. Ou seja: temos o melhor de vários mundos!

A arte também é muito boa, feita por um camarada que eu nunca vi na vida, Simon Coleby (se você já conhecia o trabalho do rapaz, por favor, diga aí na área de comentários o que ele já fez). Seu traço tem ares de Lee Bermejo, com Jae Lee e um pouquinho de Bryan Hitch. Ou talvez seja a colorização –  também muito boa – que dê esse pouquinho de Bryan Hitch. Enfim, só sei que é muito bom. Difícil descrever o estilo de alguém assim. Estou me sentindo um enólogo de desenhistas! “Esse nanquim é envelhecido, tem um sabor amaderado e combina bem com uniformes e super poderes…” Em todo caso, o que eu acho que eu quero dizer com essa mistura de nomes, é que o sujeito é muito eficiente na junção do realismo com o fantástico, o que é absolutamente fundamental num quadrinho como esse.

Tô Lendovantagens
  • Saiu no Brasil, pela Panini! Êêê!
  • Não esgotou, nem virou “Edição de Luxo”, o que quer dizer que continua com o mesmo preço de capa
  • Falando em capa: CAPA CARTONADA!!!
  • Volume único, história completa
  • Temática de super herói abordada de uma maneira mais adulta, sem aquele maniqueismo de sempre
  • Mistura interessante de gêneros, com Guerra e Supers na mesma temática
  • Arte bacana e cores incríveis!
Tô Lendodesvantagens
  • Quando você lê sobre ela, a sinopse da trama não te empolga tanto quanto a leitura em si. É uma trama com muita ação, reviravolta e cliff hanger nos capítulos, que geram uma leitura eletrizante. Mas se você lê a parte de trás do gibi parece uma aula chata de história e acaba desistindo rapidamente da aquisição.
  • Um volume só. Leria muito mais coisa desse universo, com certeza
  • Agora só eu e você saberemos desse quadrinho, bem vindo ao mundo solitário da Caverna do Caruso, sem ninguém para conversar sobre…
  • Poderia ser uma série incrível da Netflix, mas não é. Como eu falei, só eu e você sabemos desse gibi. Triste, né?

E aí? Você já leu esse aí? Eu tô pirando ou era realmente muito bom?

Tô LendoAlgumas imagens!