A essa altura já deve estar mais do que evidente que eu sou um ávido leitor de quadrinhos. Isso significa que eu estarei lendo quadrinhos alguma parte do meu dia, não importa o que esteja acontecendo. Poder fazer isso ao mesmo tempo em que aprendo algo novo é bonus, que vale ser compartilhado! Esse é o caso da Ilegalização da Maconha, da Editora Mino.

Curiosamente, eu só fui ler a Ilegalização da Maconha depois de ler a história por trás do Tetris, outra leitura excelente, diga-se de passagem, também do Box Brown, também publicado pela Mino. Pela capa e pelo formato, eu achei que se tratava de um livro para-didático, não uma história em quadrinhos. Quando eu terminei o Tetris, vi na biografia do autor que ele era um “quadrinista documentarista” e sua obra anterior era Ilegalização da Maconha. Aí larguei tudo e saí correndo pra ler seu primeiro livro. Foi uma ótima decisão, acabei gostando até mais desse do que de Tetris!

A narrativa do Box Brown é bem didática. Não temos nenhuma curva dramática ou romantização dos eventos. O narrador é onisciente e onipresente, como nas formas mais clássicas de documentário. Ele começa a sua história bem do início mesmo, talvez até de antes do início, falando dos primeiros povos a utilizar a erva, suas lendas e segue até meados da década de 70, se eu não me engano.

Mesmo com esse tom didático, quase infantil, o livro te surpreende bastante. Os fatos são bem chocantes, todos documentados – ele ainda faz questão de apontar as fontes – e basicamente revelam que tudo, absolutamente tudo, que se diz sobre a maconha até hoje é nada mais que pura mentira. Uma mentira deliberada, consciente, para alcançar fins escusos, como aumentar o número de prisão de negros e mexicanos nos EUA nas décadas de 30 e 40. Tudo contado com muitos detalhes, todos eles interessantíssimos. Foi uma leitura realmente reveladora para mim, que, apesar de ter muitos amigos – muitos mesmo – consumidores, não tinha a menor ideia das informações ali presentes.

O traço do Box Brown é bem esquisitinho, parece aqueles encartes das bandejas do Mc Donalds. Mas como a trama é instigante, você nem se prende a isso. O mesmo acontece com o livro sobre Tetris, sendo que nele a trama fica um pouco mais complicada por conta do vai e vém da espionagem corporativa. Na Ilegalização da Maconha você tem uma história bem linear e, surpreendentemente, muito mais simples que a invenção do Tetris, facilitando a leitura e te fazendo não largar o livro até terminar. Desculpa pela frase longa. Mas foi assim que eu me senti lendo o livro!

Seja você usuário ou não, eu acho que essa leitura tem tudo pra interessar qualquer um.

Tô Lendovantagens
  • Saiu no Brasil! Pela editora Mino, que tem ótima entrada em livrarias e até onde eu sei atende o Brasil inteiro
  • Volume único
  • História muito interessante. Vai contar pontos na sua próxima mesa de bar.
  • Um excelente presente para aquele seu amigo maconheiro.
  • E também um excelente presente para aquela sua tia evangélica!
  • Desmistifica vááários preconceitos em torno da maconha, muitos inclusive que eu tinha!
Tô Lendodesvantagens
  • A arte do Box Brown não é das mais atraentes numa primeira folheada, mas não compromete a leitura. Compromete só a sua decisão de comprar ou não comprar, caso você não tenha a informação prévia de que se trata de excelente um livro.
  • A capa não parece ser de uma obra em quadrinhos
  • Confesso que queria mais informações. A timeline que ele cria termina cedo, a meu ver. Queria saber como estão as coisas mais próximas dos dias de hoje e saber mais informações sobre o algoz que perpetuou a marcha contra a maconha durante sua vida inteira, se em algum momento ele se arrependeu, admitiu… sei lá.

E, antes que venham de piadinha: eu não fumo. Nada. Já tentei e realmente não deu certo pra mim. Mas se eu já era a favor da legalização da maconha antes, agora, depois de ler esse livro, eu entendi que ela nunca deveria ter sido ilegalizada pra início de conversa! Leia você também e tire suas própias conclusões! (Se você já tiver lido e tirado as suas próprias conclusões, compartilhe as suas conclusões comigo aqui na área de comentários, quero muito saber!)

Tô LendoAlgumas imagens!