CDC #169 – Madman

Essa eu tava devendo um tempão. Tenho o hábito de só escrever sobre um determinado quadrinho só depois de ler tudo que foi publicado, pra só então tirar uma conclusão mais… conclusiva do material. Finalmente eu terminei tudo que eu tinha pra ler de Madman e não me arrependi, é e continua sendo um dos meus quadrinhos de super heróis mais preferidíssimos de todos os tempos.

A trama é a seguinte: um cientista maluco resolve ressuscitar um jovem recém falecido e batizá-lo com os nomes de seus dois maisores ídolos, Frank Sinatra e Albert Einstein. Assim “nasce” Frank Enstein (sim, um trocadilho com o monstro de Frankenstein, caso alguém não tenha percebido). Frank é muito inseguro com relação à sua mórbida aparência (algo que eu consigo me identificar) e decide usar roupas com o símbolo do seu super herói preferido (algo que eu também consigo me identificar) para ganhar confiança. Talvez tenha sido daí que eu tenha tirado a ideia, consciente ou inconscientemente, de usar minhas camisas com símbolos de super herói para subir no palco as primeiras vezes que eu fui fazer Stand Up, hábito que eu mantenho até hoje toda vez que eu preciso exercer minha tensa e perigosa profissão na comédia.

Essa, é claro, é só a gênese do protagonista, que, por si só, é sensível e interessante. Mas o universo ao redor dele é muito colorido e divertido, com todo ar de pop art com o Guia do Mochileiro das Galáxias. Então você pode esperar uma saudável dose de nonsense e maluquices nas histórias do Madman (afinal, com esse nome..!), como alienígenas arrependidos, hippies poetas mutantes, mulheres invisíveis e cientistas muito, muito loucos, com experiências ainda mais loucas. Tudo isso sem perder o pézinho no humano, em especial nos nossos corações, muito em conta da relação do protagonista e da sua amada Josephine.

O histórico de publicação é bastante errático, já que ele começou publicado por uma editora alternativaça, foi pra Dark Horse e, atualmente, caiu na Image Comics. Então quando você vai sair à caça do material, pode encontrar edições com capas bem diferentes com um mesmo conteúdo.

Sou muito suspeito pra falar da arte, posto que eu sou tiete declardo do autor. Já falei dele aqui em Red Rocket 7, X-Statix, Izombie e Art Ops. Mas Madman mora em um lugar muito especial do meu coração, pois foi através dele que eu conheci – e me apaixonei – pelo Mike Allred, que além de desenhar de um jeito muito peculiar, tem ideias bem fora da casinha, que é justamente aonde eu moro. Eu gosto muito do fato de termos espaço para questões filosóficas e existenciais que nada têm a ver com a trama, entre uma loucura e outra. Espero que você goste também!

Tô Lendovantagens
  • Saiu alguma coisa no Brasil. Não sei exatamente o quê, mas tem alguns encadernados lançados por editoras variadas que já faliram. Nesse link aqui tem um encadernado pela Pixel, em português, que além de servir como um possível ponto de partida (mesmo não sendo o início-início) pode gerar alguns centavos para o nosso canal no youtube!
  • Por esse mesmo motivo, você tem grandes chances de encontrar alguma edição dando sopa em algum sebo ou site, a preço de banana
  • A arte do Mike Allred. Aqui foi aonde ele se formou. Apesar dele melhorar ainda mais com o passar do tempo, ele já era bom desde o início.
  • Ideias malucas muito legais
  • Personagens tridimensionais, com tratamento bidimensional.
  • Também funciona como uma leitura leve e divertida, se você não quiser se aprofundar muito nas questões filosóficas
  • Acho impossível não se apaixonar pelo Frank Enstein. Ou pela Joey.
Tô Lendodesvantagens
  • Não saiu tudo aqui no Brasil. Se quiser ir atrás das edições americanas, pode começar por aqui e ajudar a manter o nosso canal no youtube!
  • Entre as mudanças de editora e crossovers, pode ser um pouco difícil se encontrar na ordem de leitura.
  • Os últimos encadernados, já lançados pela Image, não são tão bons como os quatro primeiros. Confesso que já achei um pouco maluquice demais pra mim. Ou eu que envelhi, não sei. De qualquer forma, a média continua alta.
  • A arte do Mike Allred. Apesar de eu achar sensacional, nem sempre cai no gosto das pessoas. E ela é uma daquelas de sabor forte, sabe? Há quem ame e há quem odeie. E tudo bem. Mas quem odeia não pode manter uma amizade comigo.

E você, o quê você já leu de Madman?

Tô LendoAlgumas imagens!
2021-05-03T12:02:59+00:00 5 de maio de 2021|0 Comentários