As Sete Sobrevidas da DC
Duas pequenas notícias esta semana trouxeram novidades na escalação de atores do próximo filme do Batman. Ao lado do Homem-Morcego do cintilante Robert Pattinson estarão Zoë Kravitz, como Mulher-Gato, e Paul Dano, como Charada. Tá, rolou uma provocação na frase anterior com o “cintilante”, remetendo ao vampiro do ator em Crepúsculo. Mas esta não é uma coluna bolada para que eu zoe Kravitz ou veja algum dano na participação de Paul. Como marvete, não sou daqueles que torcem para o fracasso da DC. Eu até queria que o DCU desse certo, pra que no futuro fizessem um filmaço crossover com os Vingadores derrotando, ops, enfrentando a Liga da Justiça. Só que não deve rolar nunca, graças à inconsistência da DC nos cinemas. Mas hoje me peguei pensando nessa bagunça toda da DC e comecei, mesmo sem a ajuda de psicotrópicos, a pensar num cenário maluco e empolgante para um superfilme da DC.

Fiquei analisando esse novo universo do Batman sendo construído ao mesmo tempo em que leio sobre o sucesso do filme do Coringa. Tudo, inclusive declarações da equipe do filme do palhaço, leva a crer que o Coringa de Joaquin Phoenix nunca vai passar pela frente do BatPatt. Até porque o maníaco já seria até um idoso. Nem lamentei muito, porque apesar de ter gostado do filme solo do palhaço, não o vejo exatamente como o gênio criminoso à altura da mente do Batman. Tá, talvez esse Arthur Flack pudesse vir a revelar um novo lado mais inteligente ao sair de Arkhan. Mas a diferença de idade ainda seria estranha pra mim, que até hoje acho esquisito o Aranha porrando o velhinho vestido de Abutre nos quadrinhos.

Aí também fiquei vendo algumas notícias sobre a Crise nas Infinitas Terras, que junta na TV os personagens das séries Arrow, The Flash, Supergirl e Legends of Tomorrow. Este ano, a saga do canal Warner vai ainda mais fundo nessa mistura, indo mais longe na missão de mostrar mundos alternativos da DC. Uma das boas jogadas foi colocar Brandon Routh de novo vestindo o uniforme do Super-Homem. O ator, que já viveu o homem de aço num filme caidaço, desta vez será o Clark Kent lá do Reino do Amanhã. E tem mais: Tom Welling, o jovem Superman de Smallville, também dará as caras como mais uma versão de Clark Kent. De quebra, também tem o Raio Negro, que nem é do canal da Warner.

Esta semana também rolou um boato de que foi gravada para o evento uma participação do ator Tom Wellis vivendo Lúcifer Morningstar, como na série da Netflix. E já que é pra falar de rumores, já apostaram em Lynda Carter como Mulher-Maravilha (e não só como a presidente dos EUA em Supergirl) e de Mark Hamill talvez fazendo alguma versão do Coringa, já que interpretou o personagem nos desenhos animados.
Isso pode ser uma grande bagunça, mas também pode dar muito certo. E de qualquer forma, dá uma vontade danada de ver. Eu nem acompanha essas séries da DC e fiquei atraído pelo evento.

Daí pensei, tal qual o Vigia, num cenário interessantíssimo. Levando em conta que a DC deve investir muito nos Elseworlds no cinema, o que aconteceria se… a DC fizesse um filme juntando todas as suas versões cinematográficas de personagens? Já pensou num filme botando o Batfleck ao lado do Batpatt? O Coringa do Jared Leto apanhando dos Coringas do Phoenix, do Jack Nicholson e do (tecnologia presente) Heath Ledger? Ou uma mega catfight com Zoë Kravitz, Anne Hathaway e Michelle Pfeiffer? (Você não, Halle Berry. Foca suas lembranças na Tempestade).

Vamos tornar mais interessante? Que tal jogar a galera da TV também nessa orgia? Atrizes do filme Aves de Rapina enfrentando as Birds of Prey da TV? O Flash de Ezra Miller correndo contra ou ao encontro do Flash do Grant Gustin da TV? Como é a história? E precisa disso?

As chances de acontecer? 0,0000001, mais ou menos. Mas a vontade de ver a bagunça da DC virando um banquete para os olhos? Amaria 3.000.

Ulisses Mattos

Por: Ulisses Mattos

Ulisses Mattos é roteirista de humor na TV, um dos criadores do Alta Cúpula, do @na_Kombi e da websérie Épica das Galáxias. É membro do trio nerd Três Elementos e faz stand-up comedy. Escreveu sobre cinema no Jornal do Brasil e nos sites da Veja e Abacaxi Voador