SUPER GIRO #67

Super Falta de Ética
Estreou há pouco mais uma série de super-heróis. Fãs do gênero ainda devem curtir mais alguns anos (ou décadas) consumindo esse tipo de produto sem enjoar. Mas pro público “normal” que está curtindo essa onda de seres com superpoderes, é bom adaptar material alternativo que dê uma boa chacoalhada nesse universo. É justamente o caso de The Boys, que chegou à Amazon Prime e passou a semana encantando o público.
Esta coluna viu relatos de pessoas que nem vão aos cinemas para ver todos os filmes do MCU, mas que se sentiram atraídos pela sinopse da série baseada na obra de Garth Ennis e Darick Robertson e adoraram o que viram. A série vem ganhando tantos elogios que já foi garantida uma segunda temporada. Claro que o capricho na produção, o ótimo elenco e, obviamente, excelentes roteiros ajudam muito uma série como essa a se destacar. Mas é inegável que sua premissa é o grande trunfo.

Mostrar super-heróis com falhas de caráter e ética aproveitando tudo que a fama pode lhes dar é uma grande sacada. As possibilidades são tantas que a adaptação nem precisou usar ou reproduzir fielmente todas as situações que rolam no material original. Não precisa partir para as cenas impactantes ou mesmo apelativas dos quadrinhos para fazer a série ser digna de interesse. Basta manter sua essência, seu tema principal.
É bom lembrar, no entanto, que The Boys não é a primeira HQ que mostra o lado B dos heróis. Personagens com códigos morais mais maleáveis, ou mesmo com problemas psicológicos mais graves já apareceram em histórias como Watchmen e Imperdoável. Ou mesmo em revistas de linha mais populares, como Justiceiro, Lobo ou até Wolverine. Mas vocês já pensaram o que aconteceria se The Boys se popularizasse de um jeito que os próximos filmes de heróis passassem a seguir a mesma pegada? Ah, não pensaram? Tudo bem. A coluna pensou aqui o que rolaria na próxima fase do Marvel Cinematic Universe se a Disney tapasse os olhinhos do Mickey e resolvesse chutar o balde:

Viúva Negra: Natasha Romanoff é mostrada em seus primeiros anos como espiã russa. Vemos como a moça era sanguinária, matando até criancinhas inocentes que nem eram alvos em sua missão. Já nem lamentamos mais sua morte em Vingadores: Ultimato.

Falcão e Soldado Invernal: Na websérie, os dois amigos de Steven Rogers entram numa disputa para saber quem fica com o posto de novo Capitão América. Falcão apela motivando parentes de vítimas de Bucky a moverem ações penais contra o rival, enquanto o Soldado Invernal revela escândalos sexuais do ex-militar em seus tempos servindo nas Forças Armadas.

Os Eternos: O filme mostra como os alienígenas Celestiais criaram uma linhagem de super-humanos para satisfazerem suas perversões sexuais. Com o tempo, os Eternos se libertam de seus criadores. Mas, ainda sentindo o apelo de aventuras eróticas não convencionais, inscrito em seu DNA, formam um clube privê chamado Os Deviantes.

Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis: Um oriental se dedica às práticas do sexo tântrico para conseguir realizar a missão encomendada por seu pai voyeur. Sim, os dez anéis são o que você imaginou.

WandaVision: Websérie sobre uma mulher viciada em sexo que precisa reconstruir um robô que é o único capaz de satisfazê-la.

Doutor Estranho e o Multiverso da Loucura: O mago supremo entra em uma missão perigosa e acaba encontrando suas versões de outro universo. A cena final é uma orgia com Doutores Estranhos de 14 milhões de realidades.

Loki: Nesta websérie, Loki estará mais maligno do que nunca, sendo mostrado ao longo de desenvolvimento da humanidade influenciando pessoas a fazerem as piores ações da História. Assassinato do arquiduque da Áustria-Hungria motivando a Primeira Guerra Mundial? Foi Loki quem matou. Reprovação de Hitler na escola de artes, levando o maluco para seu plano de conquistar o mundo e causar a Segunda Guerra Mundial? Loki foi o professor. Cena bizarra de Batman desistindo de matar Superman por causa do nome da mãe deles? Foi Loki que escreveu.

What If…?: A animação da Disney + mostra como seria o universo cinemático da Marvel se os personagens NÃO fossem influenciados por The Boys. A série acaba sendo mais aceita do que tudo que foi feito antes na Fase 4 e fica valendo como cânone. Assim, a série Gavião Arqueiro e o filme Thor: Love and Thunder voltam a mostrar personagens gente boa e cheios de ética. Ah, mas como Clint Barton ficou viciado em assassinatos e continuou matando geral (como mostrado em Falcão e Soldado Invernal), terá que ser substituído pela filha como herói. E como Thor decapitou Loki e usou sua cabeça como vaso sanitário no fim da série do irmão, precisará ser substituído por Jane Foster.

Ulisses Mattos

Por: Ulisses Mattos

Ulisses Mattos é roteirista de humor na TV, um dos criadores do Alta Cúpula, do @na_Kombi e da websérie Épica das Galáxias. É membro do trio nerd Três Elementos e faz stand-up comedy. Escreveu sobre cinema no Jornal do Brasil e nos sites da Veja e Abacaxi Voador

2019-08-02T18:27:24+00:00 2 de agosto de 2019|0 Comentários