SUPER GIRO #60

Caverna Abandonada
Esta semana tivemos a confirmação sobre algo que muita gente já desconfiava: Ben Affleck não é mais o Batman. Quando decidiu assumir o manto do Cavaleiro das Trevas, muita gente malhou o sujeito, dizendo que ele não tinha jeito de Batman. Eu fui um dos únicos a defendê-lo na imprensa mundial. Ou nas rodas de bate-papos no bar, tanto faz. Um dos motivos pra minha defesa foi sua prévia participação em filmes de super-heróis, com Demolidor. Batman é o Homem-Morcego, morcegos são cegos, Demolidor é cego. Pronto. Taí a experiência adquirida.

Uhmmm. Pensando bem, esse argumento não faz muito sentido. Acho que não foi isso que me fez defender sua escalação. Ah, sim. Foi sua performance em Argo, filme em que ele também produziu e dirigiu. De qualquer forma, quando o novo Batman foi para as telas, achei que Affleck foi um excelente Batman em um péssimo filme. No caso, Batman v Superman. Só que, depois de Liga da Justiça, comecei a perceber que o ator não tinha sido assim tão habilidoso no papel. O que gostei no filme anterior não tinha sido exatamente a performance de Affleck, mas o Batman porrador que entrava numa sala e detonava um monte de caras armados. Parecia o grande Batman dos videogames. Mas, se pusessem qualquer ator de ação ou até um dublê naquela cena, o contentamento viria da mesma forma.

Recentemente, no último episódio da primeira temporada de Titans, apareceu um Batman com o mesmo estilo mandando bem também numa cena de luta contra vários homens armados. E nem sabemos o nome do ator! Então hoje vejo que Affleck foi apenas um Batman legalzinho, que não comprometeu no papel. Eu já fiz mais feio dando vida ao Batman em Arkham Asylum do que Affleck, com certeza.

Com o ator pendurando a capa, a mídia séria deste planeta (me refiro aos sites e blogs que acompanham a cultura nerd, claro) já se pergunta em manchetes: “Quem será o novo Batman?”. Na boa? Não ligo. Calma, não tô dizendo que não tô nem aí pro que a DC vai fazer como personagem. Pelo contrário. Só acho que não precisamos nos preocupar com quem vem para The Batman, previsto para 2021.

Nos fim dos anos 80 me apareceram com Michael Keaton para protagonizar o primeiro filme sério de Batman nos cinemas. Achei que o cara não tinha o tal do physique du rôle para ser o Homem-Morcego. Mas foi bem de boa. O filme foi um sucesso e rolou até uma batmania na época. Keaton garantiu um segundo filme e foi legal de novo. No terceiro filme da franquia vieram com Val Kilmer e até que não foi uma coisa horrenda. O filme era bem mais ou menos, mas o ator não fez feio. A franquia só se encerrou quando George Clooney vestiu a máscara do herói para fazer o pior filme de Batman da história de Gothan City e arredores. Mas, cá entre nós, a culpa não foi de Clooney. Podemos creditar o fracasso ao diretor Joel Schumacher e suas escolhas bizarras, como o uniforme com mamilos e o bat-cartão de crédito.

Depois veio Christopher Nolan para rebootar o bom nome de Batman nos cinemas com uma bela trilogia. Eu curto muito o trabalho de Christian Bale nesses filmes, mas acho que os longas iriam bem mesmo com outro ator de alto quilate. E há até quem ache que Bale não foi um bom homem-morcego.

O que quero dizer é que Batman é tão legal que é difícil um ator estragar o herói. Ele no máximo vai estragar Bruce Wayne. Mas comprometer Batman, acho difícil mesmo. E não venham com Adam West com sua barriguinha saliente para tentar estragar meus argumentos. Aqueles eram os anos 60. E todos sabem que nessa época a Terra viveu em uma linha de tempo alternativa. Nada nos anos 60 parece mais ser cânone. Nem os fatos estão seguros nas novas narrativas oficiais desse período. Infelizmente. Chamem o Batman.

Ulisses Mattos

Por: Ulisses Mattos

Ulisses Mattos é roteirista de humor na TV, um dos criadores do Alta Cúpula, do @na_Kombi e da websérie Épica das Galáxias. É membro do trio nerd Três Elementos e faz stand-up comedy. Escreveu sobre cinema no Jornal do Brasil e nos sites da Veja e Abacaxi Voador

2019-02-01T19:43:51+00:00 1 de fevereiro de 2019|8 Comentários