SUPER GIRO #46

Supelamigos

A semana não teve lá grandes notícias. Rolou um teaserzinho da nova temporada de Punho de Ferro na Netflix, anúncio do universo compartilhado dos personagens da Marvel na Sony e até a polêmica decisão da Academia do Oscar, que criou uma categoria só para filmes populares (e para dar um Oscar pra Pantera Negra?). Mas o que mais chamou a atenção da coluna foi o post da Panini revelando o crossover dos personagens da DC e da Turma da Mônica:

Analisando comentários nas redes sociais, vemos que a notícia dividiu o público. Muita gente comemorou, muita gente fez cara feia. Quem não curtiu, aparentemente, são as pessoas que não querem ver palhaçada com seus sacrossantos personagens. Realmente, para um grande fã do complexo e seriíssimo Batman, deve ser estranho ver o herói ao lado do Cebolinha. E o pior: sem ser em uma fan art, e sim em uma revista/livro com o aval da DC. É como se a editora americana não levasse a sério seu próprio universo. Entendo o desagrado.

Mas, por outro lado, devemos levar em consideração que é só uma brincadeira. Não há o menor risco de que a história entre para o cânone da DC. Ninguém um dia vai falar “Ah, mas eu vi em uma história que um coelho de pelúcia arremessado por uma menina dentuça brasileira é capaz de abater o Superman”. A DC já fez brincadeira assim antes, como quando cruzou o Batman com Scooby-Doo:

“Ah, mas isso foi antigamente!”. Que nada, rolou de novo este ano, com Scooby-Doo! & Batman: The Brave and the Bold, que tem até outros personagens da Liga da Justiça:

E se pensarmos bem… O que era o desenho dos Super-Amigos, com Mulher-Maravilha ao lado do Macaco Gleek? Ou mesmo a série de TV do Batman, nos anos 60, estrelada pelo pançudinho Adam West? E o sensacional Batman do filme da Lego?

Então o melhor é relaxar e se divertir com o crossover da DC com a Maurício de Sousa Produções e imaginar como serão as interações entre Aquaman e Cascão e até torcer pra um dia ver o Astronauta com a Tropa dos Lanternas Verdes. E se a Marvel um dia entrar nessa, quero ver o encontro de Franjinha e Tony Stark, ou até do Chovinista e Spider-Ham. 

 

Ulisses Mattos

Por: Ulisses Mattos

Ulisses Mattos é roteirista de humor na TV, um dos criadores do Alta Cúpula, do @na_Kombi e da websérie Épica das Galáxias. É membro do trio nerd Três Elementos e faz stand-up comedy. Escreveu sobre cinema no Jornal do Brasil e nos sites da Veja e Abacaxi Voador

2018-08-11T11:59:45+00:00 11 de agosto de 2018|13 Comentários
  • Ricardo Varotto

    Isso aí. Why so serious?

    Sabe que a primeiríssima coisa que me veio à cabeca quando recebi essa notícia foi uma edição do Cebolinha de 1979 em que eles encontram o superominho 😀. Peguei essa imagem na Internet mas, se procurar direitinho, ainda posso ter essa revista guardada.

    https://uploads.disquscdn.com/images/a6b7c3040a5491a5d33a83326a17dfa6a81c81f45d37de3cf2f5d34f2895dce1.jpg

    • Sensacional! Não lembro de ter lido isso. Acho que foi só a partir dos anos 80 que eu comecei a dar toda minha mesada pro Maurício de Sousa.

  • Roberto Hunger Junior

    não entendo a razão deste mimimi! Isto é fantástico! Basta ver outros encontros da DC com personagens de desenhos infantis, e sempre temos algo no mínimo interessante. Não sei o que é pior, o FanBoy que acha seus personagem uma propriedade privada, ou o hater que é hater por ser hater e anda mais. É uma oportunidade de trazer meu filho por exemplo, de seis anos, para o mundo nerd que eu também adoro. Essas pessoas esquecem que os personagens, num modo geral, são sempre de todos. Só tenho uma coisa para essas pessoas.. O melhor crossover DE TODOS , TODOS OS TEMPOS… https://uploads.disquscdn.com/images/95a707628d4a686472158bc5bbd641a4dc0efe0271618dc8ad47b31079df712d.jpg

    • Ricardo Varotto

      Clássico.

    • Pode crer. É um jeito de aproximar os mais novos dos quadrinhos adultos que um dia ele poderão ler. Super Amigos deve ter chamado muita gente pros gibis “sérios”.

      • Roberto Hunger Junior

        Se não fosse o batman do desenho super amigos eu jamais teria tido interesse , por exemplo, anos depois no Cavaleiros das trevas.

  • Bruno Messias

    Uma revista antiga que guardo com carinho é do Cascão ansioso pra ler a conclusão da saga “a morte do Super-Homem”. Eu me amarro nessa história, que tem uns desenhos bem diferentes do usual. E ali rola um mega crossover, que vai desde o Thor ajudando a levar o caixão até o Esqueleto tocando o terror ao lado de outros vilões.

    Não consigo entender o desagrado dos fãs, não. Se as histórias que eles curtem fossem interrompidas, eu compreenderia… Mas elas continuam lá! Então, se não curtem esses crossovers malucos, é só não ler, ora bolas!

    Da minha parte, estou louco pra ler o crossover da DC com os Looney Tunes. Já saiu isso no Brasil?

    • Eu até entendo quando um fã não gosta de ver “seus” heróis brincando em outras praças. Mas é besteira. Como você mesmo falou, as histórias “de verdade” continuam lá pra ler. Teve gente que me perguntou como vão ficar os X-Men depois das cenas pós-créditos de Deadpool 2. Pra mim não muda nada, Deadpool é uma brincadeira. Nada ali mexe no universo dos mutantes no cinema, pra mim. Imagina então um gibi dos heróis com a Turma da Mônica, né? Sobre esse crossover com Looney Tunes, nem estava sabendo.

      • Bruno Messias

        http://www.universohq.com/noticias/batman-e-hortolino-e-outros-encontros-inusitados-da-dc-comics/

        Deixei o link pra matéria do Universo HQ. Essa edição do Batman x Hortelino parece ser bem legal!

        • Ricardo Varotto

          Caa, Batman e Hortelino juntos é demais! 😂 Tenho de conferir isso.

        • Valeu pelo link! Quero muito ver Lobo e Coiote pegando o Papa-Léguas! E esse encontro de marcianos tb é uma boa sacada!

      • Roberto Hunger Junior

        Você tocou em um ponto que eu concordo sobre o Deadpool, o filme e uma comédia, e muita gente está discutindo ele de forma séria demais… Deadpool é a Las Vagas dos filmes de herói, parafraseando um ditado americano… O que acontece em deadpool fica em Deadpool…