SUPER GIRO #43

Copa Nerd

Essa foi/está sendo a semana da San Diego Comic Con, o maior evento mundial sobre cultura nerd. Esta coluna infelizmente não tem como falar de tudo que está rolando lá. Então, procure seu site de notícias ou canal especializado favorito e mergulhe fundo nas notícias.

Mas é claro que não vou ignorar o que mais fez barulho por lá até o fechamento da coluna. Por enquanto, dois trailers fizeram bastante barulho. O primeiro foi o de Glass, sequência de Corpo Fechado e Fragmentado, que vai mais fundo nas menções a histórias em quadrinhos:

O outro foi o trailer de Titans, série da futura plataforma de streaming da DC:

Teve gente reclamando nas redes sociais sobre o Robin mandando esse “Fuck Batman”, como se o homem-morcego fosse uma figura sacrossanta que não pudesse ser “ofendida”. Outros já reclamaram sobre Robin ser um assassino, pois pisou no pescoço de um bandido. Eu nem liguei. Achei tranquilo. Se as mudanças dos quadrinhos fazem sentido ou melhoram os personagens, não reclamo. Mas ainda estou implicando com a peruca da Estelar.

Mulheres no Poder
E finalmente saiu o trailer com a nova forma do Dr. Who, desta vez uma mulher. Taí pra os whovians se refastelarem:

Acho que a essa altura, quem se revoltou com a encarnação feminina do Doutor já não está mais ganhando atenção. Mas essa semana também houve algumas minipolêmicas envolvendo o feminismo. Foram divulgadas mais imagens da nova versão de She-Ra, da Netflix, e teve gente reclamando que Adora parece um menino, o que suscitou alguns debates sobre a necessidade ou não das personagens femininas terem corpos mais dentro do padrão tido como normal para as mulheres.

Calma, gente. É só um estilo de desenho. Não tem a ver realmente com vetar peitões e traseiros feitos pelo Dr. Bumbum. Cada artista desenha homens e mulheres de um jeito. Simples assim.

Tabu

Mas polêmica mesmo foi a demissão de James Gunn da Disney, que deixa de fora de Guardiões da Galáxia 3 o diretor que esteve à frente dos dois primeiros filmes da série. O motivo do pé na bunda foram as revelações de tweets antigos de Gunn com piadas irônicas envolvendo pedofilia. Quem jogou o cara na fogueira foram membros de um novo movimento conservador americano, o Alt-Right, em represália às constantes críticas do diretor ao presidente Trump. De uma hora pra outra, Gunn passou a ser descrito por muita gente como um legítimo pedófilo. O diretor já tinha comentado que no passado sempre praticou um humor de gosto duvidoso, mas que tinha superado essa fase. Mas ficou difícil para uma empresa que lida com milhões de crianças em seus parques ter em sua folha de pagamento alguém que brinca com um assunto tão sério. E com piadas bem ruinzinhas mesmo.

Já ouviu falar?

Pintaram mais notícias sobre séries e filmes baseados em quadrinhos desconhecidos pelo grande público. Confira e veja quantos você conhece:

– Foi confirmada a adaptação de Bloodshot, HQ da Valiant, com ninguém menos que Vin Diesel no papel principal. O personagem tem um quê de Wolverine, tentando lembrar quem é para se vingar de uma galera. E ele também tem o poder de se regenerar, mas com nanomáquinas inseridas em corpo, que também lhe dão a habilidade de metamorfose.

– Stargirl, da DC, também ganhará uma série no serviço de streaming da DC. Com uma pegada menos sombria, a produção mostra a vida de uma garota que descobre, mexendo nas coisas de seu novo padrasto, o cinturão de um herói do passado, adquirindo seus poderes e sendo aceita depois na Sociedade da Justiça.

– Outra personagem da DC que deve ganhar uma série, integrada ao Arrowverse, é a Batwoman. Pra quem não conhece, não se trata da Batgirl, embora ela também seja uma mulher normal altamente treinada para combater o crime em Gotham. Mas uma das diferenças entre elas é que a Batwoman é a primeira super-heroína abertamente lésbica da DC.

– Depois de comprar a Millarworld, de Mark Millar, a Netflix divulgou que começará a produzir Jupiter’s Legacy e American Jesus. Uma é sobre heróis que ganharam seus poderes na década de 30 e hoje são velhinhos com filhos também superpoderosos. A outra traz um garoto de 12 anos que descobre ser uma segunda volta de Jesus Cristo, podendo operar alguns milagres.

Também teremos o longa Empress, sobre uma rainha que resolve fugir de seu marido, o ditador de sua galáxia. Ela e sua família precisam se teletransportar para diferentes planetas para evitar os soldados do sujeito. Outro filme baseado na obra de Millar é Huck, um homem que usa seus dons especiais para ajudar sua pacata vizinhança, até que seus poderes são revelados ao mundo e sua vida muda totalmente. E será produzida também Sharkey The Bounty Hunter, sobre um caçador de recompensas que rastreia criminosos pela galáxia ao lado de um garoto de dez anos. Sem piadas no estilo James Gunn, por favor.

Pirata

Acabou que aquele mistério que o ator Nathan Fillion fez em seu instagram era para anunciar um fan film de Uncharted, que foi publicado no Youtube esta semana. Aproveite e veja logo a produção, que já passou dos 2,7 milhões de views:

O plano é que esse curta renda no futuro uma série. Mas ainda rola o papo de uma adaptação do jogo para o cinema, estrelada por Tom Holland, sobre os primeiros dias de Drake.

Mata a Jato

E no Brasil saiu o primeiro trailer da adaptação de Doutrinador, HQ de Luciano Cunha sobre um herói que elimina políticos corruptos:

Pois é, com uma missão dessas, o Doutrinador precisaria ser na verdade uma equipe com vários membros pra dar conta do trabalho.

Ulisses Mattos

Por: Ulisses Mattos

Ulisses Mattos é roteirista de humor na TV, um dos criadores do Alta Cúpula, do @na_Kombi e da websérie Épica das Galáxias. É membro do trio nerd Três Elementos e faz stand-up comedy. Escreveu sobre cinema no Jornal do Brasil e nos sites da Veja e Abacaxi Voador

2018-07-21T13:51:30+00:00 21 de julho de 2018|5 Comentários
  • Jean Carlos

    Curioso pra ver Glass, gostei muito do primeiro filme.

  • Alexandre Lira Dos Santos

    Como assim, Ulisses ” procure seu site de notícias ou canal especializado favorito.” Eu já estou nele.
    Cara este trailer do Vidro, ou Glass, como preferir, já elevou minha expectativa e consequentemente meu medo do que está por vir. Mas sim 2018 já deu o que tinha pra dar vem logo 2019. Achei o trailer dos Titãs legal, querendo se distanciar dos Jovens Titãs do cartoon. Vou assistir com certeza, MAS tenho medo do Robin ser mais um arqueiro no arqueiroverso, num primeiro momento a Estelar me causou estranheza por eu achar que ela teria que ser mais numa pegada havaiana, agora ja me acostumei.
    Dr(a) Quem, vamos ver o que vem por ai. Só fiquei chateado pq na hora que eu acho que o Capaldi encontro o DR que ele queria fazer ele morreu (ou se regenerou), mas o que me incomodou mesmo foi o desing da chave de sonda sônica do dr(a) .
    She-ra, conhecida em casa como a Sonja do espaço, achei o design para uma adolescente ao invés de uma adulta legal, MAS eu fico pensando se esta molecada que tá produzindo não devia criar coisa novas (e boas com Steven Universe e Gravity Falls) ao invés de ficar revivificando os anos 80/90 -ESTA MENÇÃO NÂO VALE SE RESOLVEREM TRAZER DE VOLTA SIlVERHAWKS E GALAXY RANGERS-
    Bloodshoot não li vale a pena??
    Stargirl e a Sociedade daJjustiça, não acho que vá funcionar como série, mas vou assistir.
    Batwoman , não gostei das histórias nos quadrinhos (ela não é prima em seilaquegrau do Bruce?) Poderiam ter dado uma chance para A Questão que é um personagem mais maneiro utilizando como base a história do recrutamento do Questão pelo Batman
    Millarworld!! Li os quadrinho do Legado de Júpiter e do Círculo de Júpiter, gostei muito e merecem com certeza um longametragem ou uma série no orçamento de Game of thrones ou Westworld, assim como Huck (tudo o que o superhomem devia ser no cinema e não te convence). Tomara que ele levem MPH e Starlight pras telas tb. American Jesus eu acho que li e não gostei e Empress eu não li, alguém recomenda? Por falar em Milarworld não tinha uma iniciativa netflix em fazer um quadrinho chamado The Magic Order? Alguém sabe se isto vingou??Sabe se alguém vai trazer pro Brasil?
    Este doutrinador eu não tinha ouvido falar até então, bom se eu fui no cinema assistir os 10 mandamento só para dar uma força ao cinema brasileiro vou ver este também.

    • Hahahaha! Mas é que acho que a Caverna do Caruso não é um site de notícias, no estilo Judão, Omelete e tantos outros. Somos mais um canal de conteúdo diversificado. Eu não cheguei ainda no Who do Capaldi, tô vendo aos poucos e na ordem. Mas sempre achei que ele tinha um jeitão legal para ser Doutor.
      A She-Ra tá mais pra adolescente mesmo, e uma algo bem na linha do Steven Universe que vc citou. Cara, se não estivessem produzindo mais nada, eu tb reclamaria deles vindo pegar coisas dos anos 80 pra atualizar. Mas tem tanta opção hoje em dia que até entendo investir em algo que já desperte a atenção de mais gente por ser um título já conhecido. Tô vendo agora o Final Space, por exemplo, que é bem maneiro, mas ninguém falou nada sobre. Não é fácil sobressair no meio de tanta produção.
      Eu não li nada desses personagens que serão adaptados. Por isso até dei uma leve zoada no Bloodshoot, comparando com o Logan. Um tipo de desprezo pra justificar a ignorância. E os da DC eu não conheço pq não sou de correr atrás de DC mesmo. Se tem algo ali que dá vontade de ler tudo é o Millarworld. Inclusive comecei a me informar sobre American Jesus, pq tenho um projeto que esbarra de leve nesse tema e eu nem sabia que o Millar tinha feito isso.
      Magic Ordem eu acho que cheguei a comentar aqui na coluna. Soltaram até trailer, então acho que vai rolar sim. Chegar no Brasil eu já não sei. De repente vem pelo menos em digital. Olha, não acharia estranho se lançassem esse gibi na própria plataforma do Netflix, ao lado de séries e filmes. Eu leria na TV ou tablet sem problemas.
      Doutrinador eu li as duas HQs. É legal a proposta e bem desenhada. Só achei estranho que o vilão é o Lula, com outro nome, mas com a história de vida exatamente igual. Só que é um Lula hiper mafioso, muito mais do que seus oponentes políticos o pintam na vida real. E na segunda o cara faz um juiz ser praticamente um super-herói, totalmente inspirado no Moro. Achei ingênuo e panfletário por isso. Ficaria mais legal se fossem personagens novos, sem inspiração na vida real, dando uma história mais isenta. De qq forma, simpatizo muito com um herói/anti-herói que elimina os corruptos. Devo conferir o filme, que não deve seguir essa linha partidária.

  • Tô fugindo desse trailer de Glass. Vou no cinema de qualquer jeito, prefiro evitar algo que possa me surpreender durante o filme.