SUPER GIRO #34

Dobrem as apostas

A semana foi de estreia de Deadpool 2, com certeza. E a coluna foi correndo conferir o novo filme do mercenário já sabendo que as críticas eram superpositivas. Na verdade, nem li as críticas. Mas tweets impossíveis de ignorar já elogiavam fortemente a produção. Até o amigo que me chamou pra sessão de quinta-feira veio falando que um colega nosso tinha ido à cabine de imprensa e achado que era melhor que o primeiro. Aí já comecei a me armar, pois quando vamos ver algo com muito oba-oba, é normal pintar uma decepção.

Até porque, eu já não sou tão fã do personagem nos quadrinhos, como vocês podem ver no bate-papo que tivemos no vídeo da semana dos Três Elementos:

Mas aí no vídeo, se não me engano, fica claro que curti muito o primeiro filme. Ouso dizer que o Deadpool do cinema é muito superior ao Deadpool dos gibis, por vários motivos, sendo o maior deles a qualidade de sua comédia. Que filme engraçado foi esse Deadpool! Eu nem falo que é um dos melhores filmes de heróis que já vi, mas uma das comédias/sátiras mais hilariantes a que já assisti. E olha que pelo meu humilde ofício de roteirista de humor, já vi incontáveis comédias.

Mas então. O que achei de Deadpool 2? Definitivamente, tão engraçado quanto o primeiro. Melhor? Olha, ainda não consegui digerir essa possibilidade. Com certeza, é um filme mais grandioso. Com mais dinheiro, a produção se deu ao luxo de fazer cenas mais caprichadas e contratar muita gente boa para o elenco. Inclusive para as participações especiais. Então, nesse sentido, Deadpool acaba sendo melhor que o primeiro. Só não digo que é melhor em todos os sentidos porque o impacto do anterior ainda foi mais forte, muito provavelmente pela surpresa de me deparar com um filmaço de um personagem de que não sou fã.

O mais legal é que muitas notícias pintaram esta semana para agradar ainda mais quem está empolgado com a franquia. Uma delas é sobre o primeiro recorde que o filme bateu: o de estreia de filme para maiores mais visto nos EUA. Com US$ 18,6 milhões arrecadados na quinta-feira, bateu It: A Coisa. Já na sexta, Deadpool se tornou o filme adulto lançado em mais salas americanas, com 4.349, novamente batendo a marca do palhaço criado por Stephen King. E a previsão é que arrecade US$ 350 milhões no primeiro fim de semana em todo o mundo.  No Brasil a marca deve ser impressionante também, pois o filme acabou ganhando classificação indicativa 16 anos, depois das reclamações com a estreia proibida para menores de 18 anos.

Já estão confirmados planos para rodar um filme da X-Force, grupo que o mercenário cria em Deadpool 2. A pegada será a mesma, violenta e imoral, com censura 18 anos. Os roteiristas falam que a equipe será uma alternativa mais adulta e suja dos X-Men. Eles também falaram que acreditam que role um terceiro solo de Deadpool, mas só depois de X-Force mesmo.

Outras informações legais que foram divulgadas têm a ver com as cenas extras. A intenção dos roteiristas Paul Wernick e Rhett Reese era contar com uma participação de Chris Evans como Tocha Humana, tentando uma vaga na X-Force. Mas nem chegaram a convidar o atual Capitão América do MCU. Outra cena de créditos foi descartada, por seu potencial em causar confusão. Deadpool apareceria viajando ao passado e matando o bebê Hitler. Os escribas acharam que mesmo sendo o personagem mais odiado da história, ainda pegaria mal assassinar um bebê.

Sei lá… Pode ser. Mas aposto que muita gente pensou nessa cena ao saber pelos trailers que Deadpool 2 é sobre a chegada de Cable ao nosso tempo para matar um garoto que o mercenário quer proteger. Sendo Cable um herói do futuro, obviamente o adolescente amigo de Deadpool aprontaria algo desagradável daqui a uns anos. Daí fica fácil chegar ao velho dilema “Você mataria o bebê Hitler?”. Curiosamente, no meu programinha Jornadas, do projeto Teste de Graça (que testa formatos de podcasts de humor), que saiu esta semana, apresentei esse dilema a uma criança. O Jornadas é uma mistura de jogo de improviso e RPG com convidados. Nesta mais recente edição, com o tema super-heróis, acabamos tocando no assunto. E a resposta da criança diante dessa questão moral você pode ouvir nesse link com essa bela foto:

Se curtirem ou tiverem dicas para dar, estarei aguardando para ler nos comentários. Até semana que vem, senhoras e senhores.

Ulisses Mattos

Por: Ulisses Mattos

Ulisses Mattos é roteirista de humor na TV, um dos criadores do Alta Cúpula, do @na_Kombi e da websérie Épica das Galáxias. É membro do trio nerd Três Elementos e faz stand-up comedy. Escreveu sobre cinema no Jornal do Brasil e nos sites da Veja e Abacaxi Voador

2018-05-18T20:45:10+00:00 18 de maio de 2018|4 Comentários