STAN LEE: 1922 – 2018

Início/Assista!, Destaques/STAN LEE: 1922 – 2018

2018-11-13T16:04:23+00:00 13 de novembro de 2018|8 Comentários
  • Ricardo Ferreira

    Um dia muito triste.

    Estou próximo dos 50 anos, tenho pelo menos quatro décadas inteiras lendo as histórias de Stan Lee em épocas diferentes da vida. Eu nunca tive irmãos, e até os meus sete, oito anos eu morei em prédios onde não havia crianças. E as histórias escritas por Stan Lee me fizeram MUITA companhia. E mesmo com o crescimento, acabei levando suas criações comigo por toda a minha vida. Impossível não imaginar o quanto da minha personalidade, do meu caráter, não foi formado pelos conceitos, lições e histórias escritas por ele. O sentimento agora é de perder um velho amigo, um amigo de infância, ainda que bem mais velho que eu, o sentimento de perder um mestre, alguém que tanta coisa boa ensinou e que sabia como entreter todos nós.

    Mas fica o consolo de que Stan teve uma vida que muitos de nós sonharia ter. Teve um amor ao seu lado por 70 anos, e depois que ela se foi ele também partiu. Teve sucesso, fama, reconhecimento, dinheiro, conforto, trocentos amigos e milhões de fãs. Nunca faltou carinho a Stan Lee. Aonde ele estiver, tenho certeza que estará feliz. E, no fundo, isso é tudo que importa.

    Vai com Deus, Stan. Descanse em paz. E muito, MUITO, MUITO, MUITO, MUITO obrigado por toda sua obra.

    Excelsior;

  • Mauricio Muniz

    Até o atendente da farmácia hoje, ao me ver com um gibi, comentou a morte do Stan Lee. Ele ultrapassou o status de “só” um autor de quadrinhos. Foi embora, mas deixou uma baita obra.

    E, aproveitando, CAPES é bem legal mesmo.

    • Que honra ter você por aqui, Maurício! Realmente o Stan Lee parece ter conseguido “romper a bolha”!
      E QUE BOM QUE VOCÊ LEU CAPES!!! NÃO CONHEÇO MAIS NINGUÉM QUE TENHA LIDO!!!!!!
      Você já tá virando meu herói! rs

      • Mauricio Muniz

        Ah, meu sobrenome de uns anos pra cá é “quadrinho independente”. Sempre vou curtir Marvel e DC, não tem como não gostar devido às lembranças de infância. Mas o material que mais me dá prazer é independente: muita Image, IDW, Fantagraphics, Dark Horse, Top Shelf e outras. Sintonizei a nerdice pra outro lado.

        E até as coisas que publiquei nos últimos anos e que amo são independentes. Leu FRACASSO DE PÚBLICO, do Alex RObinson, aliás? Se não leu, recomendo.

        E que mané “honra”, xará? Nerd é tudo igual! Tâmos aí.

        Abraço!

        • Ainda não li Fracasso de Público, mas agora vai pra wish list com certeza!

          • Mauricio Muniz

            Vai passar na Devir no dia da Virada? Estarei lá no “Esquenta” do Festival Guia dos Quadrinhos até uns 23h. Vou ter uma mesinha vendendo um monte de independentes gringos e FRACASSO completo. Te faço um desconto bacana. 😉

          • Vou, mas vou no domingo! Não sei se consigo chegar antes, porque nós vamos de carro (eu, Ulisses e Studart)…

          • Mauricio Muniz

            No domingo acho que não estarei por lá, sábado já será das 11h às 23h, tou ficando velho pra essas coisas (já dizia o Roger Murtaugh). Mas, qualquer coisa, depois te consigo o FRACASSO.
            Abraços!