Júlia - O caso do Luna Park - Mythos Editora

A jovem Júlia Kendall se vê em meio a um caso sinistro muitos anos antes de se transformar na criminóloga que conhecemos. Uma história cheia de suspense em um parque de diversão, no início da carreira da personagem.

Uma jovem sonha com um futuro

Se existe algo que um leitor fã gosta é conhecer mais a fundo seu personagem predileto e temos esta oportunidade em Júlia Graphic Novel – O caso do Luna Park. Aqui temos uma jovem Júlia Kendall na faculdade, criando e apurando suas técnicas. 

Júlia - O caso do Luna Park - Mythos Editora

Júlia – O caso do Luna Park – Mythos Editora

Em um encadernado grande, de capa dura e totalmente colorido, temos uma história bem interessante. Com roteiro de Giancarlo Berardi e Lorenzo Calza junto a arte de Claudio Piccoli, podemos saber como foram os primeiros anos de Júlia e entender melhor como ela se tornou a mulher que conhecemos hoje em dia. A tradução é de Júlio Schneider

O caso Luna Park

Um parque de diversão, como o Luna Park, sempre é um local propício a boas histórias. Estes parques evocam memórias em muitos, como as que tenho do velho Tivoli Park, no Rio de Janeiro.  Mas deixemos o saudosismo de lado. Aqui Júlia Kendall ainda não é uma criminóloga, mas sim uma estudante. Sua perspicácia já aflorada ainda não possui o leque analítico que futuramente ela utilizará em casos variados. Mas o talento nato em desvendar perfis e motivações já está ali, como um pequeno broto que espera para crescer. 

O estopim acontece quando um corpo aparece dentro de um carrinho do Trem Fantasma – um cenário ideal para assassinato. Deste momento em diante é fácil perceber as inúmeras tensões sociais que tanto as pessoas do circo itinerante passam, como da comunidade que os recebe. 

Auxiliada por seu professor, Júlia acaba no meio da cena do crime, analisando a situação e auxiliando a polícia – fato que se tornará uma constante em sua vida. Mas a história se aprofunda não apenas com o descortinar dos fatos do assassinato, como também no autoconhecimento da personagem. Ela se vê obrigada a enfrentar suas culpas, medos e sentimentos. 

Considerações finais 

Em resumo, um prato cheio e delicioso para quem gosta da personagem. Nitidamente, ela afia página a página suas habilidades e já mostra que não quer os aplausos de todos. Isso foi um barato de ver e ler! 

Se você não conhece ainda Júlia Kendall, esta é uma das melhores oportunidades. Apesar de ser um quadrinho colorido, que difere da série normal em preto e branco, é excelente e já mostra bem o cerne da história. 

Conhecia este quadrinho? Nos diga aí…

Tô LendoAlgumas imagens!
Júlia - O caso do Luna Park - Mythos Editora
Júlia - O caso do Luna Park - Mythos Editora
Júlia - O caso do Luna Park - Mythos Editora
Júlia - O caso do Luna Park - Mythos Editora
Júlia - O caso do Luna Park - Mythos Editora
Júlia - O caso do Luna Park - Mythos Editora

O que achou de conhecer a jovem Júlia Kendall muito antes dela ser a criminóloga que conhecemos das histórias atuais? Me conte se curte um material que mistura mais suspense e policial, nos dando um refresco para tempos tão difíceis que temos hoje em dia.

Daniel Braga

Por: Daniel Braga

Pai de uma mulher, nerd, analista de sistemas especializado em infraestrutura, poeta, board game designer e sommelier de cervejas. Adora jogar board games e ouvir jazz anos 30/40, Dead Can Dance e rock and roll. Curte muito o gênero de horror e tudo relacionado, principalmente as boas leituras como Lovecraft, Blackwood, Machen e muitos outros.