João Verdura e o Diabo - Lillo Parra e Marcel Bartholo - Balão Editorial

A experiência de um velho homem serve de ensinamento a um padre novato, enquanto as “pessoas de bem” da cidade tecem suas teias de maldade. Uma reflexão incrível sobre respeito, admiração e tolerância.

Uma quadrinho que estava ansioso para ler

Desde que Marcel Bartholo anunciou seu trabalho desenhando o roteiro de Lillo Parra para o quadrinho João Verdura e o Diabo, eu fiquei muito curioso. Não li muita coisa de Lillo Parra, o que pretendo acertar logo, mas o que li gostei muito. De Bartholo, vocês sabem, se não li tudo, já foi quase tudo.

João Verdura e o Diabo - Lillo Parra e Marcel Bartholo - Balão Editorial

João Verdura e o Diabo – Lillo Parra e Marcel Bartholo – Balão Editorial

O mais curioso é que foi meu querido primo Pedro Paulo, que encontrou Marcel Bartholo em um evento de quadrinhos em Florianópolis e comprou para mim. Peguei com meu tio, aqui no Rio, e devorei a obra. Esse quadrinho saiu pela Balão Editorial com recursos do PROAC de São Paulo. Você pode adquirir pela própria editora, clicando aqui ou mesmo com os autores, diretamente.

Uma história que toca todos nós 

Fico pasmo como temos talentos maravilhosos em nosso país. Falando em quadrinhos então, isso decola alto e vai longe. Neste quadrinho temos a parceria de dois nomes incríveis da cena nacional: Lillo Parra e Marcel Bartholo

Na história um jovem padre se vê no caminho de João Verdura, um verdureiro cego. Taxado de macumbeiro pelas beatas locais, para falar o mínimo possível, o pobre homem vive sua vida quieto, sem incomodar ninguém. De cara já temos ali a hipocrisia religiosa transvestida de rigor e retidão. Temas como intolerância religiosa e racismo já se mostram logo ao leitor.

Mas o padre acaba descobrindo em João Verdura um homem atormentado, apesar de ser uma pessoa sábia e ter uma noção de vida ampla. De sua confissão surge o drama. Sua história nos torna imediatamente solidários e impossível não ter empatia pelo velho homem. 

Prepare-se para descobrir algumas lágrimas escondidas em recantos de seus olhos. O roteiro de Lillo Parra é poético e nos apresenta a tragédia que pesa a muitos de nós. Um quadrinho que deveria estar não apenas nas escolas, mas nas paróquias e templos do nosso país. 

Considerações finais 

Em suma, ter a oportunidade de ler João Verdura e o Diabo, de Lillo Parra e Marcel Bartholo, é um bálsamo para o final de um dia de trabalho. Cheguei em casa esquecido de meus próprios problemas.

Este é o poder de um roteiro bem escrito, aliado ao traço e cores poderosas. Seus enquadramentos e estruturas narrativas dão ao leitor um vislumbre de uma técnica maestral. Que seja o primeiro trabalho de muitos desta dupla. 

Conhecia este quadrinho? Se não, precisa se confessar urgentemente…

Tô LendoAlgumas imagens!
João Verdura e o Diabo - Lillo Parra e Marcel Bartholo - Balão Editorial
João Verdura e o Diabo - Lillo Parra e Marcel Bartholo - Balão Editorial
João Verdura e o Diabo - Lillo Parra e Marcel Bartholo - Balão Editorial
João Verdura e o Diabo - Lillo Parra e Marcel Bartholo - Balão Editorial
João Verdura e o Diabo - Lillo Parra e Marcel Bartholo - Balão Editorial
João Verdura e o Diabo - Lillo Parra e Marcel Bartholo - Balão Editorial

Sempre tento trazer material nacional de qualidade para que possamos avaliar como a cena de quadrinhos nacional é forte e de primeira linha. Curtiu esta indicação? Me conte ai!

Daniel Braga

Por: Daniel Braga

Pai de uma mulher, nerd, analista de sistemas especializado em infraestrutura, poeta, board game designer e sommelier de cervejas. Adora jogar board games e ouvir jazz anos 30/40, Dead Can Dance e rock and roll. Curte muito o gênero de horror e tudo relacionado, principalmente as boas leituras como Lovecraft, Blackwood, Machen e muitos outros.