Sexta-Feira 13 #02 – A Assombração da Casa da Colina

Início/Destaques, Leia!, Sexta-feira 13/Sexta-Feira 13 #02 – A Assombração da Casa da Colina

Não podemos falar de horror e não pensar em velhas mansões mal assombradas, tão carregadas de histórias e lendas que pesam sobre os ombros daqueles que ousam permanecer sob seu teto. Vamos adentrar com Shirley Jackson na Casa da Colina por nossa própria conta e risco!

Este foi meu primeiro contato com o texto de Shirley Jackson, que por sinal é muito fácil de ser lido. Escrito em 1959, sendo seu quinto romance, ela nos coloca em uma estranha casa que é famosa pelas suas míticas situações paranormais. Ali um professor resolve guiar um experimento levando um grupo de jovens na intenção de fazê-los vivenciar as ditas anomalias. Sem se dar conta do perigo que correm a estadia na casa acaba por se tornar bastante traumática.

O texto é tão fluido que favorece muito a ambientação do leitor na amaldiçoada casa. Fica fácil se sentir dentro daquele lugar nefasto e assim imaginar claramente os momentos tensos por corredores e portas nas quais se perder é a única certeza plausível. A mansão traz em si uma história própria e antiga que tempera o sobrenatural perfeitamente. Uma inocência de época é sentida e balanceia a tônica paranormal em algumas páginas mas é também usada como ferramenta de preparação às cenas mais pesadas. Isso segue em um crescente muito interessante te levando a um final inesperado.

Fonte: Wikipedia

A californiana Shirley Jackson (1916-1965) se tornou uma das maiores autoras americanas do século XX tendo influenciado grandes nomes como Neil Gaiman, Stephen King e Richard Matheson entre muitos outros. Com certeza um nome a ser anotado em nossa lista de autores de horror.

Baseado neste livro Mike Flanagan criou a série A Maldição da Residência Hill (em inglês  The Haunting of Hill House) que está disponível até a presente data no catálogo da Netflix. Não existem spoilers sobre a série de TV à frente, fique tranquilo.

Eu vi a série antes de ler o livro e são duas coisas completamente diferentes. A leitura do livro para mim era praticamente obrigatória pelas minhas pesquisas dentro do tema do horror mas em nada lembra a série do Netflix a não ser pela própria casa, os nomes dos personagens que são usados na família da TV e o casal de caseiros. Ele se baseou no livro mas não o adaptou fielmente, isso é importante que fique claro.

A série de TV te leva a uma experiência mais intensa de horror enquanto o livro segue em uma linha de vivência da própria descida à insanidade sem se prender em maiores explicações. Os dois, livro e série de TV, devem ser degustados mas nem todos vão curtir ambos pelo distanciamento que acabam tomando um do outro. Certo é que o livro é uma das mais famosas histórias do gênero do século XX e a série de TV foi elogiadíssima em vários sites internacionais. Para mim a série vai muito bem até o final, que eu particularmente não gostei.

Percebemos então como os autores atuais buscam recorrentemente inspiração no antigo. No caso do horror isso é bastante presente e por mais que nossa época seja tão permeada de tecnologia e efeitos especiais as grandes mentes antigas do horror mundial são fontes inesgotáveis de ideias e inspirações. Por isso que sempre digo que ler é o mais importante caminho que nos leva aos cantos mais obscuros da mente humana.

O livro A assombração da Casa da Colina está à venda em várias livrarias, sites e editoras. Não deixe de conseguir sua cópia física ou virtual (sim, eu leio muito e-books e meu Kindle é um amigo inseparável).

Quando resolvemos adentrar neste mundo tétrico é natural que façamos estas viagens no tempo para ter contato com as mentes antigas que criaram e ajudaram a termos o gênero de horror tal qual temos hoje.  Espero que tenha sido uma dica valiosa assim como foi para mim. Se puder deixe seu comentário. Nos vemos na próxima!

Daniel Braga

Por: Daniel Braga

Pai de uma mulher, nerd, analista de sistemas especializado em infraestrutura, poeta, board game designer e sommelier de cervejas. Adora jogar board games e ouvir jazz anos 30/40, Dead Can Dance e rock and roll. Curte muito o gênero de horror e tudo relacionado, principalmente as boas leituras como Lovecraft, Blackwood, Machen e muitos outros.

2019-09-30T15:31:41+00:00 21 de junho de 2019|0 Comentários