Rebobinando #77 | Capitão América & Vingadores! O Game

Início/Destaques, Leia!, Rebobinando/Rebobinando #77 | Capitão América & Vingadores! O Game

THE! AVEEEEEEENGEEEEERRRRS! Era assim que começava um dos jogos de arcade mais legais da principal equipe de heróis da Marvel. Claro, num fliperama de respeito haveria outras opções como o jogo do Aranha, ou mesmo o dos X-men. Mas se estes estivessem ocupados, sempre tinha um Capitão América e os Vingadores disponível! Vem rebobinar comigo!

Eu não cheguei a ser um grande rato de fliperama, mas curtia jogar sempre que tinha uma chance de ir ao shopping com os meus pais (o Barrashopping, no RJ teve dois fliperamas gigantescos durante minha infância/adolescência), ou quando eu descobria algum fliperama mais furreca perto da escola. Em geral esses mais pobrinhos tinham uma certa variedade de jogos de luta e alguns brawlers, quer dizer, os tradicionais jogos de porrada, tipo Streets of Rage e afins.

Nos idos dos anos 90 um dos jogos que eu sempre procurava pra jogar nesses flippers era Capitão América e os Vingadores. Eu achava um jogo divertido, razoavelmente difícil pra mim e uma boa opção de divertimento caso Tartarugas Ninja estivesse ocupado. Eu não era um grande conhecedor dos Vingadores na época, mas eu reconhecia o Capitão América e o Homem-de-Ferro, reconhecia o Gavião Arqueiro do arcade do Aranha e não conhecia muito bem o Visão, porque eu ainda sofria de miopia! Mas os nomes estavam lá e, mesmo sem conhecê-lo direito, eu adorava jogar com o Visão porque ele parecia ser o mais maneiro!

O jogo era nitidamente desenhado por algum japonês que SEQUER conhecia os personagens! Olha o Visão igual ao Saitama!

O jogo foi lançado para arcade em 1991 e, honestamente, não lembro quando ele chegou aqui no Brasil (nem consegui encontrar referências na internet), mas imagino que tenha sido no máximo no ano seguinte. Considerando que esse período do iníciozinho dos 90 foi o auge dos jogos de arcade de heróis com as Tartarugas em 89, Aranha também em 91 e os X-men em 92, não era de se admirar que gastássemos fortunas em fliperamas espalhados pelo país!

Logo depois, para a minha felicidade, o jogo foi lançado para Mega Drive exatamente como no Arcade. Para SNES, no entanto, o jogo veio consideravelmente diferente, sendo quase irreconhecível.

A “capa” do Arcade vs a capa do jogo para Mega Drive.

OS HERÓIS

Como eu disse antes, o jogo contava com quatro heróis no arcade. Eles possuíam habilidades básicas como soco, pulo, e golpe especial. No arcade, o especial era um ataque à distância que era realizado apertando os dois botões ao mesmo tempo. No Mega Drive, se não me engano, o botão C supriu essa necessidade. Os personagens principais não tinham nenhuma diferença entre si em questão de habilidade, eram basicamente os mesmos efetuando ataques parecidos durante o jogo. Eles eram:

  • Capitão América: D’oh. O nome dele tá no título, né? Herói principal, essas coisas… Seu ataque especial era o lançamento do seu escudo.
  • Homem-de-Ferro: Uma das diferenças era que seu ataque aéreo era um tiro de laser enquanto no ar. Nas fases de tiro, também, ele voava por conta própria. Seu ataque especial era uma rajada repulsora.
  • Gavião Arqueiro: Igual ao Capitão, na verdade. Com um ataque especial que era atirar flechas. D’oh. Assim como o capitão, nas fases de tiro, ele pilotava uma motinho aérea.
  • Visão: Equivalente ao Homem-de-Ferro. Seu ataque aéreo era um laser saindo da testa. E seu especial também. Voava por conta própria nas fases de tiro.

OK, GOOOOOOOOOO!

Outros heróis aparecem nas fases como um power-up. Ao coletar você pode solicitar a ajuda da Vespa, Magnum, Mercúrio e Namor. A galeria de vilões dos Vingadores também fazia parte do jogo, claro. Assim como alguns dos X-men, como o Fanático e um Sentinela Gigante. Os chefes e os subchefes de fase eram os seguintes:

Fase 1 | The Avengers – Os vilões Garra Sônica e Laser-Vivo aparecem como subchefes da primeira fase, com um ataque combinado meio chato, mas fáceis de derrotar. Tufão é o chefão a ser derrotado. Como os ataques especiais dão mais dano nos chefes, manter-se longe de sua forma de dele e atacar de longe é a melhor tática.

Que atire a primeira pedra aquele que nunca se vestiu de bandeira…!

Fase 2 | Target Town – o subchefe é o Sentinela Gigante. É só atirar nos mísseis dele sem parar e continuar acertando, sem maiores problemas. O chefão mesmo é o Ceifador. No melhor estilo Megaman, é só pular quando ele atacar e disparar um ataque especial pelas costas. Faça isso ad infinitum até derrotá-lo.

Uma relação explosiva e o Ceifador fazendo bico pra Comlurb e podando as àrvores da cidade!

Fase 3 | Challenge at the bottom of the sea – como subchefe de fase, temos o Mago. Também meio chatinho de derrotar, ele salta e ataca em múltiplas direções. É melhor ficar perto quando ele saltar e atacar normalmente ou se arriscar de longe com um especial. Essa fase é embaixo d’águae tem um segundo subchefe,um robô-polvo gigante, pilotado por um soldado. Ele dispara uma parede de lasers sempre com um espaço onde você pode se posicionar para não ser acertado. Atirar de longe, se esquivando também dos tentáculos é a pedida. O chefão mesmo é ninguém menos do que o Mandarim (“SEE MY POWAAAAA!”)! Ele tem um padrão difícil de derrotar, já que ele se teleporta pela tela a todo instante. Com três ataques diferentes, esse é o primeiro chefe verdadeiramente difícil de derrotar no jogo.

A! DÔ! LÊ! TÁ! Lepeti peti poSMASH!

Fase 4 | The Giant Laser Cannon – O subchefe desta fase é o irrefreável Fanático! Meio genérico, é verdade, com um olho só também! Mas ele tem um ataque de marreta poderoso e uma corridinha avassaladora! A melhor tática é ficar longe e atirar. Chegar perto demais é uma péssima ideia! O chefão é o perigoso Ultron! O bicho tem uma grande variedade de ataques, mas é especialmente fraco contra ataques especiais enquanto estiver envolto em energia. Ataques diagonais à distância também ajudam bastante nessa luta.

DE QUÊ QUE SERVEM SUAS FLECHAS AGORA, CLINT?

Fase 5 | The End of Red Skull – Com capangas genéricos mais fortes que o restante do jogo, agora é que a proverbial cobra fuma! A fase tem dois subchefes. Os primeiros são dois clones do vilão Controlador. Além dos vilões, que não são especialmente difíceis, deve-se ter cuidado com serras elétricas que saem do chão. O segundo subchefe é o clássico Ossos Cruzados! Sendo provavelmente o chefe mais difícil do jogo, ele ataca de longe com facas e tiros, ataca de perto, tem granadas que seguem o jogador e fica zanzando pela tela sem parar. A melhor tática é tacar suas granadas teleguiadas de volta, e esperar ele parar por algum momento e acertar um especial. O chefão final, o Caveira Vermelha, é facilmente derrotado a princípio. Mas como todo chefão final sofre uma transformação, ficamos sabendo que o Caveira Vermelha derrotado é só uma cópia, que se transforma num robô gigante (porque o jogo é japonês, claro!) com praticamente todos os ataques dos chefes anteriores! O jeito é se esquivar e jogar todas as suas fichas até derrotá-lo.

Mech Skull em português fica MECHA-CAVEIRA?! 🎵🎵 Bem aqui na minha sala, MECHA-CAVEIRA e perde a vergonha na cara… 🎵🎵

Tô LendoPontos Fortes
  • Jogo Rápido. Uns três chefões verdadeiramente difíceis, o jogo dura uns 30 minutos se você se dedicar muito. Os detonados no YouTube raramente passam dos 40 minutos.
  • Personagens Clássicos. Pensando pela época, esse foi um dos jogos com um gráfico mais legalzinho e com os personagens com mais cara de quadrinhos. Claro se você considerar os outros jogos da Marvel que saíram logo depois, os gráficos vão parecer mais tosquinhos.
  • Variedade de vilões. Como eu não era fã dos Vingadores na época, não conhecia metade dos vilões, mas pra quem curtia deve ter sido muito maneiro ver bandidos clássicos dos gibis na tela do fliperama. Dos jogos mais recentes acho que só o Ultimate Alliance trouxe uma variedade tão grande.
Tô LendoPontos Meh…
  • Gráficos tosquinhos. Produzido pela Data East, que só tinha um jogo de caratê famosão para arcade nos anos 80 e conhecida principalmente por fazer máquinas de pinball, não é de se admirar que o jogo não tivesse lá uma cara maneira. A maioria dos jogos da época já tinham sprints melhores. Mas o jogo pelo menos continha algum desafio.
  • Pouca variedade. Muito embora a maioria dos jogos tivessem um roster de quatro personagens, como Tartarugas, Sunset Riders, etc. O catálogo de heróis dos Vingadores era grande demais para não fazerem pelo menos umas cinco ou seis opções. Já que não havia diferença nenhuma entre eles em matéria de estratégia de jogo, que pelo menos tivesse uma Vespa, uma Viúva Negra, ou então um Cavaleiro Negro, ou um Magnum jogáveis.

BWAHAUAHAHUAHA!

O jogo, no entanto ficou na minha memória. A princípio por parecer legal (é mais ou menos), mas em especial pelo áudio. A voz “heróica” do Capitão gritando THE AVEEEEEEENGEEEEERRRRS! no início eu acho muito engraçada. E a risada maligna genérica dos vilões também é outro áudio que me faz rir até hoje.

Uma outra prova de como o jogo, mesmo sendo tosquinhos, virou um clássico na memória dos marvetes, é uma sequência feita pelo David Aja no arco escrito por Matt Fraction para a revista do Gavião Arqueiro. Nela vemos o dia-a-dia de Clint Barton e as cenas de luta ao lado dos Vingadores é muito semelhante à tela do jogo. Hahah.

E você? Tem outra memórias desse jogo? Chegou a zerar no flipper ou perdeu tudo nesse papa-ficha dos infernos? Tem algum outro jogo dos Vingadores que você curte mais?

Capitão América e os Vingadores é um jogo que vale umas três rebobinandos, vai? Tá de bom tamanho! 📼📼📼

Kadu Castro

Por: Kadu Castro

Quadrinista, criador do “Escalafobético, O Ornitorrinco” ( e ainda esperando o sucesso). Professor de Inglês. Fã de quadrinhos. Aprendeu a desenhar vendo o Jim Lee, mas é fã mesmo do Scott McCloud. Acessórios vendidos separadamente. Não inclui pilhas.

2019-04-15T00:04:31+00:00 15 de abril de 2019|8 Comentários
  • Gabriel Vaz

    Muito boa essa lembrança hahaha. Até hoje ficou na minha mente as frases do capitão, mas como eu não sabia nada de inglês, pra mim eram frases sem sentido que eu repetia.

    • Hahaha. Eu só sabia o “ok go” e o “the aveeeeengeeeeers”, mas tem uma outra cacetada de frases que em inglês não fazem nenhum sentido.

  • Darth Paul Poor Traaais

    Joguei muito! Como bom suburbano que sou, passei boa parte da minha infância dos fliperamas. Em Madureira, Cascadura ou na Abolição, não era comum máquinas para mais de dois jogadores. Essa era uma delas. Curtia jogar com o Homem de Ferro ou o Visão, pois eles podiam voar (brevemente) nas fases de combate normal.
    Agora só faltam as matérias sobre Cadillac & Dinosaurs + Vendetta!

    • Opa. Cadillacs & Dinossauros está nos planos da Rebobinando e deve sair em breve. E CARACA, VENDETTA! Ninguém lembrava desse (nem eu, hahahahaha)!

      • Darth Paul Poor Traaais

        Cara, “Old School” total! Vendetta substituiu a máquina de Tartarugas Ninja que tinha no meu fliperama favorito. Logo, eu jogava como um condenado! Beat m up pra ninguém botar defeito, era de longe um dos jogos mais divertidos + difíceis daquela época! Da violência escatológica ao politicamente incorreto, Vendetta conseguia fazer você rir enquanto descia a porrada (e pauladas, garrafadas, bombas incendiárias + tiros de escopeta!!!) em uma galeria de inimigos tão variada quanto bizarra! Vale sim uma matéria!

  • Mr_MiracleMan_Jr

    Eu também ia ao Barra Shopping para jogar The Aveeeengers (sempre usava essa entonação na época para falar desse jogo), mas só quando estavam ocupadas as máquinas com personagens maiores. Acho que os do X-Men tinha o dobro do tamanho e do Homem-Aranha, o triplo.

    E todos esses só consegui zerar quando surgiram os emuladores. Além de estar mais velho, podíamos usar continues infinitos sem pagar um rim de fichas.

    • Eu acho que todas as máquinas de fliperama no Rio de Janeiro tinham a configuração no Modo Hard, pq não era possível.

      Pode ser tb que eu fosse só muito ruim jogando, mas eu prefiro não acreditar nisso.

  • Ken-Oh

    Infelizmente desse ae n tenho boas lembranças, pois só vi as versões de console e n eram lá grande coisa.
    Lembro até q um camarada chegou a falar q eu tava errado e foi re-jogar pro arrependo dele. Yahahahaha!!!

    Mas pelo q vc falou deu vontade até de dar uma chance pra versão arcade.