Rebobinando #50 | Predador

Início/Destaques, Leia!, Rebobinando/Rebobinando #50 | Predador

Durante os anos 80 havia uma piada na boca pequena em Hollywood em que se perguntavam qual seria o próximo antagonista de Rocky Balboa depois do monstruoso Ivan Drago? Certamente em Rocky V ele enfrentaria um alienígena! Isso acendeu uma fagulha na cabeça de dois roteiristas que venderam sua ideia para a Fox que resolveu colocar um outro brucutu famoso para enfrentar o alienígena em questão, saindo do ringue de boxe e indo pruma floresta da América do Sul. Sim, meus queridos! A Rebobinando de hoje é sobre o clássico de ação sci-fi do cinema: Predador!

Schwarza e os outros acordavam todo dia às 5h da matina pra malhar antes das gravações! OLHA O TAMANHO DO MUQUE! É muito Toddynho, cara!

Lançado em 1987, e dirigido por um John McTiernan pré-Duro de Matar, e produzido pelo lendário Joel Silver, Predador é um dos clássicos de ação que eu só consegui assistir lá pelos meus doze ou treze anos. Obviamente, no ano em que ele foi lançado eu sequer tinha idade para ir no cinema sozinho, quanto mais ver um filme desses. Graças às locadoras que existiam em profusão na época eu pude alugar (em geral escondido dos meus pais) esse e outros clássicos maravilhosos como Máquina Mortífera, O Último Boy Scout, Comando Para Matar, O Último Dragão Branco, entre outros…

E cara, que emoção! Claro que nessa época a gente nem ligava para spoilers, então o maneiro era saber de alguém que já tinha visto o filme antes e contava quase tudo o que acontecia. O sangue em profusão, as cabeças arrancadas, o monstro horroroso, etc. etc. Isso sem contar que o próprio filme já dá um spoiler no primeiro minuto, né? Eles mantém o bicho camuflado e criam uma tensão toda só que todo mundo já sabe que é um alienígena porque A PRIMEIRA CENA DO FILME É UMA NAVE ESPACIAL PASSANDO PELA TERRA! Enfim, tem coisa que a gente só nota depois de velho mesmo.

Mas ainda assim o filme compensa com cenas de ações homéricas, mortes bem gráficas e uma profusão de macheza e frases de efeito que com certeza marcaram a maioria dos fãs. Muito provavelmente muitos garotos passaram da infância para adolescência só por ter visto este filme por conta da explosão de testosterona pra todos os lados! Como esquecer o aperto de mão épico entre Dutch e Dillon logo no início do filme?

Cresci uma barba aos 11 anos só de ver esse aperto de mão.

As lendas

Lembro de que havia uma lenda de que Jean Claude Van-Damme tinha sido o Predador. Era um daqueles boatos que corria o colégio e que numa época pré-internet sempre me fez indagar sobre COMO as pessoas descobriam isso?! As histórias variavam entre ele ser de fato o Predador durante o filme, e de que ele foi demitido por ser muito baixinho (já que os 1,77m dele não eram intimidadores ante aos 1,88m de Arnold Schwarzenegger). Durante muito tempo eu acreditei que isso fosse só boato mesmo, cheguei até a pausar os créditos no VHS para procurar pelo nome dele sem sucesso.

Porém recentemente acabei sabendo que as histórias eram reais! JCVD foi de fato o Predador por um curto período de tempo! Na verdade, ele trabalhou durante a fase de pré-produção do filme e chegou até a gravar algumas cenas. Só que, entre outros motivos que variavam de “reclamar sem parar da fantasia” e “não parar de abrir espacates”, ele acabou sendo demitido também por ser baixinho! Justiça seja feita, ele havia recém-chegado em Hollywood e estava querendo mostrar suas habilidades como astro de ação. Porém, quando foi contratado ninguém disse que ele usaria uma roupa que impediria os movimentos dele ou sequer que o monstro estaria invisível pela maior parte do filme. Além disso o primeiro design do Predador era incrivelmente escroto, fala sério!

Contam as histórias que design original do monstro era um misto de louva-a-Deus com formiga. Ele tinha uma cabeça e pescoço longos, pernas dobradas para trás e deveria ser muito ameaçador! Pelas fotos, o resultado final da roupa não era de se jogar fora, mas era incrivelmente trabalhosa e no fim não era tão imponente e assustadora assim. O mago do design da indústria cinematográfica dos EUA, Stan Winston havia sido chamado para criar o monstro a partir dos designs de produção e, sinceramente, ele fez o melhor que pôde com o que lhe foi dado.

Van Damme não parecia muito feliz no set. E também uma das roupas não era lá essas coisas.

Só quando a versão da roupa usada para fazer o efeito de invisibilidade do bicho chegou no México, onde estavam gravando o filme, foi que todos perceberam o erro que havia sido criar um monstro tão complexo. John McTiernan ficou pau da vida e gravou duas cenas com a roupa tosca e mandou de volta pra Fox. O estúdio imediatamente mandou parar a gravação por algumas semanas e deu carta branca a Stan Winston para criar um novo design pro Predador. E como o mundo é pequeno e todo mundo se conhece, na época Stan estava viajando para o Japão ao lado de ninguém menos que James Cameron, que sugeriu “colocar umas mandíbulas”, porque ele “sempre curtiu a ideia de um monstro com mandíbulas”.

No fim a fantasia acabou indo para um ator de porte que podia fazer frente ao futuro governador da Califórnia. Kevin Peter Hall, que de tão alto faria carreira no cinema e na TV como o Pé-Grande de Um Hóspede do Barulho e, errr… como “o cientista que encolhia” em Curto Circuito? E o resto é o resto. Nascia o Predador que a gente tanto ama.

Não é porque o design é melhor que a fantasia é mais fácil de usar, talvez por isso tanto Van Damme e Kevin Peter Hall estejam com essa cara de c*.

O filme

Convenhamos, não ganhou nenhum Oscar, mas cumpriu o que prometeu. Com um elenco super musculoso e suado no meio de uma floresta sul-americana, ninguém esperaria Shakespeare, com certeza. O fiapo de plot consiste em Dutch e sua equipe terem sido chamados para a fronteira de Val Verde, um país indeterminado da América Central, para efetuarem o resgate de um engravatado político local. O helicóptero do cara havia caído no meio da selva e ele tinha sido capturado por guerrilheiros. Dutch encontra seu velho amigo Dillon (interpretado por Carl Weathers, o eterno Apollo Creed), um ex-brucutu da equipe de resgate, mas que agora trabalha “atrás de uma mesa” para a CIA.

Dutch acha a situação toda esquisita, porém aceita o trabalho e parte para o resgate. Chegando no local ele encontra a primeira equipe de resgate enviada, com o helicóptero caído e todos esfolados, pendurados em uma árvore. A situação fica meio tenebrosa, mas eles não se intimidam. Logo em seguida eles encontram o acampamento dos guerrilheiros e dizimam todos em algumas das cenas mais hilárias de ação dos anos 80! Sério, é maravilhoso ver os caras agindo na surdina preparando uma emboscada para depois atirar em todo mundo com lança-granadas e uma Minigun M134 portátil!

O que acontece quando você deixa um grupo de barbarians colocarem pontos em stealth!

Dutch descobre então que não havia político nenhum para ser resgatado, e que tudo era um plano da CIA para eliminar a guerrilha local, financiada pelos Soviéticos. E como a primeira equipe de resgate sumiu misteriosamente (eliminada pelo Predador), Dillon achou que deveria chamar o melhor dos melhores pra resolver o caso! Porém ninguém tem tempo para discutir sobre o problema porque um a um eles começam a ser caçados e eliminados por alguma força misteriosa escondida na mata (duh, o Predador).

Ao longo do filme vemos a equipe de Dutch ser observada ao longe por uma criatura que enxerga através de um tipo de visão de calor. Obviamente esse é o Predador do título e, graças À PRIMEIRA CENA DO FILME QUE MOSTRA UMA NAVE ESPACIAL PASSANDO PELA TERRA, toda a tensão do que poderia estar à espreita vai por água abaixo. De novo, não dava pra esperar Shakespeare, mas podiam ter pensado melhor nisso, né?

Predêitor, Swimsuit Special ’87.

No final, claro, só sobra Dutch que acaba descobrindo que o tal Predador na verdade está mais para um “Caçador de Esporte” e que ele só vai atrás de quem ele considera forte e esteja armado, afinal não tem graça abater vítimas indefesas. O curioso é que o nome original do filme deveria ser “Hunter”, ou “caçador” em inglês, o que é bem mais apropriado ao personagem central da trama. Só depois de algumas reestruturações do roteiro que resolveram mudar o nome para “The Predator” e depois só “Predator” mesmo. Provavelmente porque soa bem mais legal.

Obs: eu sei que você do alto da sua adolescência também chamava o bicho de “Predêitor” achando que tava abalando no inglês.

Personagens

Pruma época onde ninguém ligava muito para representatividade, a equipe de Dutch era bem diversa. E pruma época pré-Mercenários-do-Stallone, ela era composta por alguns dos melhores brucutus da época. Quer dizer, tirando o Shane Black.

Blain, Hawkins, Dutch, Mac, Dillon, Billy e Poncho.

Dutch Schaeffer (Arnold Shwarzenegger) – O chefe da equipe de mercenários de resgate. Fodão, o melhor dos melhores, típico dos filmes de ação da época. Uma coisa engraçada é que em uma fala do filme ele diz que seus homens “não são dispensáveis” (“My men are not expendable!”). O que hoje em dia parece uma espécie de premonição para o grupo de Mercenários Semi-Aposentados de Sylvester Stallone, os Expendables.

Dillon (Carl Weathers) – Ex-agente de Dutch, hoje em dia trabalha na CIA, coordenando ações especiais. É o responsável por chamar Dutch para aquela missão na América Central.

Blain Cooper (Jesse Ventura) – É o tiranossauro sexual e o peso-pesado da equipe e carrega uma Minigun M134. O curioso é que ele foi o primeiro ator a usar uma arma dessas em um filme! Jesse Ventura foi Fuzileiro Naval antes de se tornar ator e, assim como Schwarza, acabou virando Governador nos EUA, do estado de Minnesota!

Mac Elliot (Bill Duke) – Era o melhor amigo de Dutch e trabalhavam juntos há anos. Foi um dos únicos personagens a ferir o Predador durante o filme. O ator Bill Duke já havia trabalhado com Schwarza em Comando Para Matar, onde ele morre dentro do avião e só descobrem quando a aeronave pousa em seu destino. “Ele está morrendo de sono!

Billy Sole (Sonny Landham) – Era o nativo-americano e rastreador da equipe. Quando eu digo que o time de Dutch era bem diverso para um grupo de brucutus é basicamente a ele que eu me refiro. No filme, Billy parece “sentir” quando o Predador está por perto e morre desafiando-o para um combate mano-a-mano.

Jorge “Poncho” Ramirez (Richard Chaves) – Era o especialista em explosivos e o token latino guy da equipe. Foi o último a ser morto pelo Predador no filme. Assim como Jesse Ventura, o ator Richard Chaves também foi um militar na vida real, tendo lutado na Guerra do Vietnã.

Rick Hawkins (Shane Black) – Era o operador de rádio e o membro mais novo da equipe de Dutch. Sempre fazendo as piores e mais ofensivas piadas, geralmente envolvendo vaginas e seus diferentes tamanhos. O roteirista/diretor Shane Black ganhou um papel nesse filme como uma forma de “agrado” dos produtores, que queriam que ele re-escrevesse algumas partes do roteiro. Embora ele tenha feito, acabou não ganhando crédito no filme por esse trabalho, porém alguns de seus outros projetos já estariam encaminhados para virar filmes como Máquina Mortífera e… err… Deu a Louca nos Monstros (Monster Squad).

Tô LendoPontos Fortes
  • Filmaço. Elevado à categoria de cult hoje em dia, não teve muitos resenhas generosas na época. Porém como todo amante de filme de ação sabe, não são as críticas que fazem um bom filme de ação. Em geral, quanto pior a crítica, melhor o filme!
  • Música. Criada por Alan Silvestri. Sim, o mesmo de De Volta Para o Futuro, ela tem um climão bacana que aumenta a tensão do filme nas partes em que o Predador é só uma ameaça desconhecida.
  • O Monstro. O Predador se tornou um dos monstros mais clássicos do cinema e instantaneamente reconhecido! Mesmo depois de tantas idas e vindas quanto ao design, graças ao mago dos efeitos e seu estúdio, a Stan Winston School, ele virou essa coisa assustadora que conhecemos hoje. Não à toa o cara foi o responsável por alguns dos melhores efeitos práticos do cinema, desde The Thing à Jurassic Park.
  • Get to the choppa! É só um exemplo de algumas das falas mais clássicas do cinema cunhadas por este filme. “Get to the choppa!”, inclusive é uma das preferidas por quem sempre curte fazer uma imitação do vovô Schwarza. Inclua aí também “If it bleeds, we can kill it!” (“Se ele sangra, podemos matá-lo!”), entre outras!
Tô LendoPontos Meh
  • Roteiro. Se o seu forte é roteiro, esqueça. Aqui ele é só um fiapo utilizado pra justificar mais ou menos porque aquele grupo de soldados está sendo caçado na selva pelo Predador.
  • Ofensivo. Não que por ser de outra época justifique a falta de sensibilidade do filme. Mas enfim, era outra época, e era um filme banhado na masculinidade-padrão dos filmes e da cabeça das pessoas naquele fim de século. Então ele está cheio de piadas racistas horrorosas contra quase todas as etnias, contra mulheres, contra gays, etc. etc. A única mulher do filme é uma moça indefesa e muda por boa parte da história, então se isso te incomoda, passe longe. Uma pena que boa parte dos filmes dos anos 80 não passe incólume por este quesito.
  • Continuações. Quando eu disse que “quanto pior a crítica, melhor o filme de ação”, claramente esta regra não se aplica a todos. Enquanto Predador 2 (com o Danny Glover) e Predadores (com o Pianista e o Eric de That 70s Show) são continuações bacanas, as outras incursões dos caçadores espaciais não foi muito frutífera. Acho toda a saga Alien vs Predador de uma qualidade baixíssima. Eu diria para dispensarem completamente essas.

Alguns dos estudos de personagem de Stan Winston (com uma ajudinha de James Cameron) para o Predador.

Estou ansioso pelo novo filme O Predador, dirigido pelo próprio Shane Black desta vez? Um bocadinho. Ainda mais em sabendo que o nome do filme é uma referência a um dos primeiros títulos do original. Acho que vai ser tão bom quanto o primeiro? Nem um pouco. O trailer tem algumas boas piadas, mas não acho que vá passar muito disso. Algumas críticas já dizem que ele é meio confuso e não chega aos pés do original, mas se for divertido, tá valendo!

Mas eu queria ver um filme mesmo onde o Pianista voltasse pra Terra junto com a Alice Braga numa nave espacial roubada e juntasse Danny Glover e vovô Schwarza numa vingança que os levassem direto para o planeta dos Predadores, terminando com uma frase “Now let’s hunt these motherfuckers!” Fala sério que não ia ser IRADO?

De qualquer maneira, acho que Predador, vale cinco caveiras-troféus caçadas no meio da selva da América Central! 💀💀💀💀💀

E você? O que você mais gostaria de ver num filme com Predadores?

Kadu Castro

Por: Kadu Castro

Quadrinista, criador do “Escalafobético, O Ornitorrinco” ( e ainda esperando o sucesso). Professor de Inglês. Fã de quadrinhos. Aprendeu a desenhar vendo o Jim Lee, mas é fã mesmo do Scott McCloud. Acessórios vendidos separadamente. Não inclui pilhas.

2018-12-06T01:40:53+00:00 17 de setembro de 2018|11 Comentários
  • Jean Carlos

    Ja me deu vontade de assistir novamente, vou ter que fazer aquele download maroto.

    • Olha que vale, hein? Curti muito revendo pra escrever a coluna.

  • Gabriel

    Texto muito divertido, faz juz ao filme! E vamos rever pra preparar o buxo pro novo!

    • Opa, valeu! Ainda não consegui ver o novo, mas vou em breve!

  • Bruno Messias

    Uma das melhores experiencias com rpg na minha vida: dividimos a turma de amigos em dois grupos. Cada grupo ficou em uma sala. Eram duas pessoas mestrando a aventura, um mestre pra cada grupo (eles se comunicavam por walkie talkies. Ainda não existiam celulares!). O cenário era uma estação espacial abandonada, e um grupo jogava como aliens e o outro como predadores! Quando finalmente os grupos se encontram, a gente se juntou na mesma mesa pra rolar os dados juntos. Foi MUITO divertido! A ideia (e as regras pra criar os personagens, pra GURPS) foi de uma edição da Dragão Brasil. Eu era um predador. Os aliens venceram a parada.
    Saudade dessa época…

    • Poutz, isso deve ter sido bem foda mesmo, hein? Que ideia sensacional!

  • Gabriel Ferreira

    Predador é um clássico sagrado
    infelizmente o novo filme é muito ruim HAUAUHHAHU

    • Hahahah. Eu já imaginava, mas quero ver ainda assim. 😂

  • Roberto Hunger Junior

    Eu tive a sorte de assistir este filme no cinema, jovem com meu pai, na semana de estréia. Ao sair do cinema super empolgado eu sabia que tinha assistido algo que não seria esquecido mais. As cenas de ação, as piadas (sim, na época nãos questionávamos os preconceitos, pena), o conceito do monstro, as cenas de ação, e o carisma de Arnold Shwarzenegger (eu atibuio hoje muito do carisma dele a dublagem da época), foi um filme marcante na minha infância. Tudo foi muito divertido. Mesmo sendo um filme datado, com roteiro superficial, eu digo que ele cumpriu com o prometido e fez aquele garoto sair do cinema maravilhado com o mundo da ficção científica. São filmes assim que nos fisgam e abrem as portas para filmes maiores na medida que crescemos.

    • Que maneiro, cara. Deve ser uma experiência diferente ver esse filme num telão. Lembro que há um tempo atrás o Cinemark aqui do RJ fez umas sessões de filmes antigos tipo Duro de Matar. Eles bem que podiam fazer de novo com Predador.

      E o Schwarza é bem carismático sim, mas eu acho que ele atua melhor quando é dublado. Hahaha.

      • Roberto Hunger Junior

        Graças ao Garcia Júnior (e outros excelentes dubladores Brazucas) muitos atores americanos brucutu´s anos 80 são vistos como atores fantásticos.