Rebobinando #48

Quando o NINTENDO SIXTY-FOOOOOOOUR foi lançado em 1996, ele veio com alguns poucos jogos, um dos mais memoráveis foi, claro, Mario 64. Mas o que pouca gente imaginava que logo no ano seguinte sairia aquele que seria o jogo para terminar amizades de longa data quer você escolhesse o Oddjob ou jogar com Proximity Mines. Sim, a Rebobinando de hoje é sobre o clássico 007 Goldeneye 64!

Baseado no filme de mesmo nome lançado em 1995 com Pierce Brosnan no papel principal, Goldeneye 64 meio que chegou como quem não quer nada no console. Parecia apenas mais um jogo de FPS (First Person Shooter, pros não-iniciados, “Atirador em Primeira Pessoa” pros menos iniciados ainda) inspirado em Doom e semelhantes. Como o N64 era vendido como um console de novíssima geração, os gráficos que hoje parecem tosquinhos eram um avanço considerável para o resto dos jogos no mercado da época. Se bem que olhando assim, depois de velho até que tem um charminho esse 3D poligonal quadradão, né? Ai, ai, que saudade…

Os lançadores de Granada no Modo Paintball!

Lembro que entre 1998-99 quando eu estava terminando o Ensino Médio (segundo grau pros menos iniciados), no meu colégio tínhamos aulas na parte da manhã e da tarde como preparação para o vestibular. Como eu estudava longe de casa, sempre ia almoçar na casa de um amigo depois da aula e quase sempre perdíamos parte do primeiro tempo de aula da tarde porque ficávamos batendo um contra em Goldeneye 64. Eu quase sempre jogava de Boris porque ele era o nerdão do filme e do jogo. Às vezes conseguíamos até juntar quatro pessoas e é aí que a gente perdia a hora mesmo. Não a toa eu fiz vestibular duas vezes.

E é aí que morava o charme do jogo para mim. Como eu nunca fui muito de jogar em lan-house com quase trinta pessoas ao mesmo tempo, como era moda na época, o máximo de party game que eu cheguei foi juntar uma cabeçada de amigos e jogar infinitas partidas deste jogo em seus mais diversos modos. Para quem tinha crescido só com um Mega Drive pra duas pessoas, ter acesso a um videogame que te permitia juntar até quatro cabeças era o máximo! E putz, como era divertido! Não esqueço até hoje como eu e uma amiga ficamos tão, mas tão viciados em jogar esse jogo no modo Proximity Mines que já sabíamos até os pontos de respawn de todas as fases, o que gerava incontáveis xingamentos até a nossa 18ª geração! Era tenso. Como eu disse no início, amizades foram quase desfeitas por conta deste jogo!

Proximity Mines: Quando você vir uma, já era!

O jogo em si.

Havia dois modos. O modo de história, claro, que era para um jogador apenas e que seguia mais ou menos a mesma história do filme. Como de praxe, havia os modos de dificuldades variados Agent, Secret Agent e 00-Agent (respectivamente os modos fácil, médio e difícil), sendo que o último era praticamente impossível de tanto inimigo que aparecia na tela! Além disso, era possível customizar várias coisas que poderiam te facilitar a vida no jogo, como a mira automática, minha boa e velha amiga. A página de cheat codes era praticamente embutida no próprio jogo e ia liberando certas features conforme você avançava ou cumpria certos desafios (tipo terminar uma fase dentro de um tempo limite). Com um pouco de paciência e habilidade, você tinha acesso a praticamente todos os aspectos do jogo e podia fazer coisas legais como habilitar a Golden Gun com munição infinita. Ou jogar só com Rocket Launchers pelas fases e tal. Era bem divertido.

O outro modo do jogo, consistia obviamente no Modo Multiplayer, que permitia jogar de duas até quatro pessoas ao mesmo tempo, dividindo a tela em quatro quadrados pequenos. Você não faz idéia de como era emocionante jogar em frente a uma tevê de tubo pequena, com mais três marmanjos espremidos ao seu lado, olhando ao mesmo tempo sua própria tela e a dos coleguinhas para saber onde está quem e saírem correndo para se matar! Vocês acham que Uno ou Banco Imobiliário são jogos horríveis? Experimenta jogar Goldeneye 64 com pessoas hiper-competitivas como os meus amigos! Hah!

Havia muitas opções de personagens para jogar o Modo Multiplayer.

O Modo Multiplayer também tinha suas particularidades, que traziam um certo dinamismo para as partidas de “contra”. Você tinha a possibilidade de habilitar diferentes tipos de armas, ou estipular um número de kills para o fim das partidas. O que era sempre engraçado quando, por causa das Proximity Mines, você se matava por acidente e tinha que compensar um saldo negativo de kills fazendo a partida durar horas. Enfim, era diversão para toda a família!

Boris era o nerd de T.I. e ele era INVINCIBLE! (até morrer, claro)

A produção do jogo

Antes de ser posto a venda, Goldeneye 64 não teve um impacto muito forte. Ninguém esperava muita coisa por se tratar de mais um “jogo de filme” e além disso ele teve uma demonstração meio fraca na E3 de 1997. O que parece loucura se considerarmos que ele foi o TERCEIRO JOGO MAIS VENDIDO DO CONSOLE, ficando atrás apenas dos powerhouses da Nintendo Mario 64 e Mario Kart 64 (que é outro que destrói amizades). Você tem noção do que é esse jogo ter vendido mais de 8 milhões de cópias ao redor do mundo, passando até o incrível The Legend of Zelda: Ocarina of Time? 8 milhões de cópia, maluco.

Os diferentes cenários onde dava pra se estapear a vontade com seus melhores amigos.

O jogo teve um design de produção baseado no filme e os programadores foram até os estúdios onde o filme havia sido gravado para buscar as plantas baixas e fotografias para criar as fases. Além disso eles ainda conseguiram os direitos de uso do Tema de James Bond, para ambientar o jogo. Sem contar que a A.I. dos NPCs não era exatamente burra e reagiam às ações do jogador. Por exemplo, se você sacar uma arma numa onde é preciso apenas conversar com o personagem, este personagem reage e tenta te matar. Aí você precisa matá-lo e, se não chegou ao fim da conversa, se virar para atingir o objetivo específico daquela fase e passar para a próxima.

Além de Doom, que é a inspiração mais óbvia, o jogo também teve como “molde” um outro clássico dos arcades: Virtua Cop. Que possuía vários aspectos que foram incorporados em Goldeneye 64, como o reload de armas e a ativação de “cutscenes” em pontos específicos da fase, para citar alguns. Pra quem não sabe, Virtua Cop era um jogo I-R-A-D-O de arcade, desses de light gun, que tinha um pedalzinho que fazia o reload da arma e te ajudava a se esconder dos tiros. Reza a lenda que os programadores queriam que o reload de armas fosse através da retirada e reinserção do Rumble Pack no joystick! O que, levando em consideração o formato nada ergonômico do controle do N64, seria de um atabalhoamento único! Inclusive, eu tenho um amigo que até hoje odeia com todas as forças esse jogo porque ele não consegue de jeito nenhum utilizar o joystick do N64 do jeito que se deve. Diz ele que é porque ele jogava jogo de tiro no computador e que o controle da Nintendo é ruim… Mas eu acho que ruim é ele mesmo!

O pau comia nesse banheiro! No sentido de tiroteiro, veja bem!

Tô LendoPontos Fortes
  • Modo Multiplayer. Cara, era fantástico. Melhor party game de todos os tempos, com certeza. Queria muito saber onde minha mãe guardou o meu N64 antigo que sumiu durante as muitas mudanças que fizemos na vida. Esse deixou saudades imensas.
  • Fidelidade. Se você é fã de James Bond e curte o filme 007 vs. Goldeneye, como eu (eu A-M-O esse filme, mais do que qualquer outro da franquia) deve adorar o jogo também. Em muitas fases você se sente quase um agente secreto mesmo, tendo que ser stealth e usar silenciador, Sniper Rifle, desabilitar câmeras, etc.
  • Proximity Mines. Eu adorava esse modo de jogo. Era quase um rei das minas de proximidade! Adorava ver meus amigos surgindo nos pontos de respawn e explodindo. E achava mais engraçado ainda quando eu mesmo caía nos pontos de respawn minados e morria logo depois.
  • Slaps Only. O desespero era palpável na sala.
Tô LendoPontos Meh
  • Gráficos. Hoje em dia pode ser que os gráficos desapontem um pouco. Jogar com as crianças deve ser mais enjoado porque eles podem achar desinteressante logo de cara.
  • Dificuldade do joystick. Eu zoei o meu amigo, mas confesso que o joystick do N64 não era pra qualquer um não. À primeira vista ele é um trambolho de três pernas que você não sabe nem por onde segurar… mas com a devida paciência dá pra se adaptar rapidinho. A não ser que você seja o meu amigo Caike.
  • Disponibilidade. Juro que não sei nem por onde começar a procurar esse jogo hoje em dia. Jogar pelo PC não parece ser uma opção bacana porque a idéia é ter os amigos juntos. Jogar em outras plataformas, também me parece meio complicado e não sei se a Nintendo resolveu aproveitar o aniversário de 20 anos do jogo ano passado pra fazer algum revival dele num dos consoles novos. Enfim, se você não tem um N64 guardando poeira em casa com um Goldeneye empacotadinho junto, as chances de jogar esse jogo novamente são pequenas. Ah,se eu tivesse dinheiro…!

Recentemente os criadores do jogo criaram uma nova “polêmica” dizendo que se você jogar o modo multiplayer com o personagem Oddjob é trapaça! Tudo porque, no jogo todos os personagens têm praticamente a mesma altura, o que facilita a troca de tiros entre todos. Exceto o Oddjob, que é mais baixinho. Isso por si só já dificultaria os tiros, mas se você lembrar que dá para “andar ajoelhado” com os personagens no jogo, acertar o Oddjob com um tiro é uma tarefa quase impossível. Imagina se for Slaps Only?!

Enfim, o filme é maravilhoso e o jogo é mais ainda! 007 Goldeneye 64 merece cinco golden guns! Mas como não tem emoji de golden guns, vai valer cinco rebobinandos mesmo! 📼📼📼📼📼

Kadu Castro

Por: Kadu Castro

Quadrinista, criador do “Escalafobético, O Ornitorrinco” ( e ainda esperando o sucesso). Professor de Inglês. Fã de quadrinhos. Aprendeu a desenhar vendo o Jim Lee, mas é fã mesmo do Scott McCloud. Acessórios vendidos separadamente. Não inclui pilhas.

2018-09-03T23:52:53+00:00 3 de setembro de 2018|5 Comentários
  • Ricardo Varotto

    Vi no ML vários anúncios de N64 completos por volta dos R$220. Já os cartuchos do Goldeneye, saindo de R$100 a R$130. Mas, quem sabe, uma escavação arqueológica com sua mãe não dê frutos?

    • Hahaha. Pelo menos sai mais barato, quem sabe não está fechado em algum lugar na casa dela? 😜

  • Jean Carlos

    kadu, engracado que eu nunca fui fã da franquia mais me amarrava no jogos de 007 e esse com certeza foi o melhor que teve cara que saudade de jogos assim ja vou procurar pra matar a saudade, eu tava jogando Metal Slug esses dias me amarro em jogo antigo.

    • Cara, nem sei muito bem quais eram os outros jogos da franquia, pra ser sincero. Lembro da Nintendo ter lançado um outro jogo de 007 baseado num dos filmes do fim dos anos 90, mas ele não tinha nada a ver com Goldeneye e fiquei meio decepcionado.

      Continuo achando incrível esse jogo ter chegado aonde chegou só no “boca a boca” da galera que jogava na época.

      • Jean Carlos

        Os filmes que eu nunca fui fã, mais jogos esse foi o melhor mesmo sem duvida.