Rebobinando #46

Início/Leia!/Rebobinando/Rebobinando #46

Eles eram os irmãos menores dos Thundercats. Enquanto um passava na Globo, eles passavam no SBT! Com uma das aberturas de desenhos mais memoráveis da década de 80, não por acaso também com um solinho de guitarra irado! Com suas asas de prata, suas asas de aço, eles chegaram voando na tv brasileira e nos corações da molecada! Hoje a Rebobinando é sobre os Silverhawks!

Era ao som da abertura aí de cima que começava um dos desenhos mais maneiros do SBT nos anos 80. Junto com outras pérolas como Muppet Babies, Pole Position e Cavalo de Fogo. Lembro vagamente que o desenho passava à tarde, provavelmente no programa da Mara Maravilha. Obviamente, sendo um desenho do SBT, não havia qualquer compromisso com a ordem de episódios e/ou qualquer preocupação com o horário também. Era sempre uma roleta russa querer acompanhar qualquer coisa no canal do Tio Sílvio.

Lembro até hoje de tentar assistir o anime de Street Fighter que passava aos sábados na emissora. Cada fim de semana o desenho era exibido num horário diferente e às vezes eu assistia o segmento infantil inteiro pela manhã, sem conseguir um vislumbre sequer de Ryu e cia. Enfim. Isso é papo pra outra Rebobinando.

Os silverhawks e suas naves maneiríssimas!

O desenho

Produzido pela mesma empresa que lançou os ThunderCats em 1985, a Rankin/Bass Productions, os Silverhawks chegaram às TVs norte-americanas em agosto de 1986. Por ser uma “série-irmã”, ela possuía basicamente as mesmas características, exceto pela ambientação. Enquanto as aventuras dos Gatos do Trovão se passavam em uma época não definida, os Silverhawks eram especificamente ambientados no futuro, no século XXIX (29, tá?) para ser mais preciso.

As similaridades é que eles eram um grupo de heróis, contra um grupo de vilões, em que o grande chefão se transformava num monstro pior ainda, eles lutavam, venciam e no final tinha uma liçãozinha de moral. Só que ao invés de ser o Lion quebrando a quarta parede, era o personagem-mirim da equipe, Copper Kidd, aprendendo algo sobre os costumes da Terra numa espécie de teste. Mas não para por aí, não. Alguns dos mesmos dubladores originais de ThunderCats também trabalharam em Silverhawks! Se você acha que é mera coincidência que o vilão Monstro Estelar tinha a mesma voz do Mumm-Ra, fique sabendo que antes de ambos serem dublados por Silvio Navas aqui no Brasil eles também tiveram o mesmo dublador no original em inglês.

Por seguir a mesma fórmula, aparentemente o desenho não agradou tanto quanto o original e ele acabou durando apenas uma temporada de 65 episódios. O que não é ruim, se você parar pra pensar. Silverhawks era exibido nos EUA e no Brasil cinco dias por semana, e por aqui pelo menos foi reprisado até a exaustão por uns bons dez anos na TV aberta.

O desenho estreou em terras brasileiras no programa do Sérgio Mallandro, o Oradukapeta, em 1988. Mais tarde no mesmo ano ele foi para o programa da Mara (que foi quando eu comecei a assistir). Depois disso ele foi exibido em horários e programas diversos até mais ou menos 1998. Até ressurgir como tapa buraco no Bom Dia & Cia entre 2001 e 2004. Tirando isso, acho que a aparição mais memorável do desenho foi um vislumbre do vilão Monstro Estelar em um episódio do remake maneiro de Thundercats de 2011.

Easter egg no remake de ThunderCats de 2011. Ainda tinha os TigerSharks que não chegaram a sair no Brasil.

A história

O desenho é sobre uma espécie de força policial intergaláctica chamada, d’oh, de Silverhawks. Os heróis passaram por modificações cibernéticas para se tornarem ciborgues e trazerem a paz à Galáxia do Limbo, um local no espaço dominado pelo crime e pela Máfia comandada pelo terrível Monstro Estelar (Mon*Star, no original em inglês e talvez o nome MAIS MANEIRO de vilão que eu já vi). O primeiro episódio mostra que o vilão já estava encarcerado no Planeta Penal pelo Comandante Stargazer, mas que graças aos poderes do Raio Estelar do Limbo (uma espécie de estrela vermelha do mal que fica nesta galáxia) ele consegue escapar usando sua transformação. Agora, porque raios você tranca um bicho numa prisão-planeta com janelas que fica AO LADO da estrela do mal que dá super poderes pra ele eu não sei!

Os Silverhawks são então convocados pelo Comandante para enfrentar o vilão e seus comparsas e trazer de volta à paz aquele cantinho do universo. A equipe de campo era formada por:

  • Quicksilver – Líder da equipe e sempre acompanhado de seu fiel Falcão Biônico, que era uma espécie de batedor da equipe. Pelo nome, já dá para saber que ele era muito rápido, não só para agir como para pensar e criar planos de ataque.
  • Bluegrass – O tenente-coronel Bluegrass é o segundo-em-comando da equipe. É o único que não voa com asas próprias, porém é o piloto da Miraj, a nave que transporta os Silverhawks para as missões. Ele é bem-humorado e gosta de bancar o caubói, usa um chapéu e sua arma é uma guitarra-laser (porquê não, né?).
  • Steelheart & Steelwill – São os gêmeos. Eles possuem um elo mental de irmãos que possibilita que sintam o que o outro está sentindo. Emily Hart, é a engenheira da equipe juntamente com o seu irmão Will Hart, que também faz as vezes de porradeiro da equipe. Juntos eles são talvez os membros mais fortes dos Silverhawks.
  • Copper Kidd – Muitas vezes chamado só de Kidd, ele é o caçula da equipe e o único que não é terráqueo. Vindo do “planeta dos mímicos” ele é um gênio da matemática e está sendo treinado por Bluegrass para ser um futuro líder de equipe. Se comunica apenas por assobios e sons computadorizados bem no estilo R2D2.

Fala sério que essas máscaras eram muito fodas, né não?

O maneiro do desenho é que eles tinham um elenco de heróis e vilões muito maneiros e bem criativos. Eles seguiam mais ou menos a mesma onda de ThunderCats e He-Man, obviamente, muito embora não parecesse que eles estavam tentando enfiar até a pia da cozinha. Por serem da máfia e do crime organizado, alguns dos vilões seguiam bem essa temática e eu, já na época, mesmo nem notando esse detalhe, já curtia muito.

Outra coisa é que, como o desenho foi criado pela mesma produtora de ThunderCats, a animação era muito bem feita nas cenas de ação, além da abertura, claro. Mesmo com várias repetições de cenas, como a dos heróis voando ou da transformação do vilão, ainda assim eles parecem ter gastado um pouco mais na hora de animar, o que acaba sendo uma pena quando a gente lembra que só uma temporada foi produzida.

Assim como ThunderCats, os Silverhawks também tiveram uma série de gibis lançada por um dos selos da Marvel Comics.

Tô LendoPontos Fortes
  • Personagens carismáticos – tanto os heróis quanto os vilões eram bem bacanas, tanto em design quanto poderes. Inclusive, arrisco dizer que o design da maioria dos Silverhawks era infinitamente superior ao de ThunderCats. Só porque eu até hoje não entendo aquela “janela de tanquinho” que o Lion usava. As armaduras dos Silverhawks eram bem mais iradas!
  • Animação – Revendo algumas coisas no YouTube para escrever a coluna eu percebi que para um desenho que era exibido diariamente eles tinham uma animação muito boa. Bem superior a He-Man, por exemplo, que também era exibido diariamente, mas que foi um sucesso muito maior.
  • Música – Vai lá ouvir a abertura de novo, silverhaaaaaaaawks! Kaaaaaaw!
Tô LendoPontos Meh
  • Série curtaMas Kadu! 65 episódios é coisa pra burro! Sim, eu sei. Mas levando em consideração que os desenhos de sucesso da época tiveram de duas  a quatro temporadas, agregando em torno de uns 130 episódios cada um, fica aquele gostinho de “quero mais”, sabe?
  • Lição de moral – seguindo a linha da época, todo desenho tinha que ter uma lição de moral meio tatibitate no final. Sempre achei meio pé no saco isso, mas era um mal necessário. Às vezes a lição de moral era substituída por uma aulinha de astronomia, aí era mais maneirinho, pelo menos.
  • Difícil de achar – Pois eu catei exaustivamente na internet, em especial no YouTube, e não achei muita coisa do desenho original. Tem alguns episódios largados da série por aí, mas infelizmente só em inglês. E eu acho que se a gente quer rever algo da nossa infância, a dublagem é essencial.

Os modelos de personagem do Monstro Estelar e do Silverhawk Bluegrass.

Pois bem, Silverhawks era meio que o ThunderCats de pobre, mas teve lá seus fãs, eu entre eles. A decepção de saber que ele durou uma temporada só porque não fez muito sucesso me atingiu como um murro, mas pelo menos não foi como descobrir que Pole Position teve só 13 episódios! Quando os Gatos do Trovão ganharam seu remake em 2011 eu tive uma certa esperança de que isso trouxesse os Falcões de Prata na rabeira do sucesso, porém o desenho foi cancelado antes mesmo de ter alguma chance nessa vida louca dos remakes do novo século. Vai que ThunderCats Roar! se mostra um pouco mais mercadológico e a gente não ganha mais um remake chamado SilverHawks Soar! em alguns anos?

O fato é que Silverhawks vale quatro rebobinadas! 📼📼📼📼

Concorda? Comenta aí!

Kadu Castro

Por: Kadu Castro

Quadrinista, criador do “Escalafobético, O Ornitorrinco” ( e ainda esperando o sucesso). Professor de Inglês. Fã de quadrinhos. Aprendeu a desenhar vendo o Jim Lee, mas é fã mesmo do Scott McCloud. Acessórios vendidos separadamente. Não inclui pilhas.

2018-09-11T18:06:16+00:00 20 de agosto de 2018|10 Comentários
  • Roberto Hunger Junior

    Nossa, eu estava assistindo estes desenhos dias atrás. Por causa do MIMIMIMIMIMIMIMIMIMIMIMIMIMIMIMIMIMIMIMIMI sem sentido do remake atual da She-ra cliquei em algo no youtube no desenho clássico da guerreira, e o algoritmo do youtube o link., achei um canal com pouca qualidade, mas revi alguns. Também achei a animação de boa qualidade até para os dias de hoje, coloca lado a lado ao desenho atual dos vingadores da marvel, e se levarmos em conta a tecnologia atual, está muito pau a pau em muitos aspectos.

    • Sim, com certeza. Foi um detalhe que eu notei quando falei de ThunderCats e Galaxy Rangers aqui na Rebobinando. Os estúdios que produziram esses desenhos tinham uma espécie de parceria com uns estúdios de animação japonesa então é por isso que já naquela época a animação era de alta qualidade.

      Até hoje eu acho inacreditavelmente boa a abertura de Thundercats.

  • Bruno Messias

    Eu custei muitos anos pra entender que o COPPER Kidd era vermelho porque era de cobre, não de prata.
    Como esses desenhos antigos tinham aberturas boas, não? Silverhawks, Pole Position, Dinosaucers, Jayce, Jem e as hologramas (que eu via em segredo porque era desenho de menina), Galaxy Rangers, Mask… só musica legal!

    Uma coisa muito engraçada e que destoava total das aulas de astronomia do final do desenho era a total falta de respeito pela física! Eu lembro que o chefe dos Hawks tinha uma moto espacial, e quando ele saia da base dava um cavalo de pau que cantava pneu… em pleno vácuo!
    Eu gostava de uma vilã que era o contraponto do Bluegrass: ela tinha uma daquelas guitarras/teclado, que criava altas distorções.
    Ótimas lembranças!

    • Era a Melodia. Cara, eu só lembrei dela por causa da pesquisa, mas eu curtia muito o Minotauro e o outro maluco que usava um diapasão gigante como arma!

      E pô, quanto aos nomes, normal, né? A gente era pequeno e não sabia inglês direito, eu mesmo cantei a música de abertura toda errada por anos a fio. Mas revendo umas coisas do desenho fiquei meio sem entender porque adaptaram os nomes dos vilões pra português mas os dos heróis não.

  • Ricardo Varotto

    Esse desenho me passou completamente batido. Não me lembro de ter ouvido falar sobre ele até muito recentemente. Esse e o tal Galaxy Rangers. Acho que já estava mais velho e não estava em casa no horário. Talvez já estivesse na faculdade. Mas ele deve ter sido posterior aos Thundercats e He-man, pois destes me lembro bem.

    • Hahah. Ele é posterior à TC e HM sim. Ele, Galaxy Rangers e outros da mesma época vieram todos atrás do sucesso de He-Man e Star Wars, na verdade.

      Tudo “comercial de brinquedo”, na verdade, hehe.

  • Cara, comentando rapidamente: maior nostalgia. Curtia muito e lembro de ir pra Argentina na época e só lá que vi os bonecos da série. Consegui comprar (ou convencer minha mãe a comprar) 3 bonecos do Stargazer, do Quicksilver e do Bluegrass. Devo ter até hoje em algum lugar… vou procurá-los.

    • Depois põe a foto aqui. Eu lembro de ter ficado super frustrado na época pq nunca vi um boneco do desenho pra vender.

  • Nayguel Andrys

    Me desculpem outros membros da Caverna do Caruso, mas eu só consigo ler todos os posts como se fosse a voz do Caruso!

    • Hahahaha. Tranks. Se vc quiser eu te mando um áudio de WhatsApp depois pra vc ler com a minha voz, hehehe.