Rebobinando #145: O Casamento de Wanda e Visão

Início/Destaques, Leia!, Rebobinando/Rebobinando #145: O Casamento de Wanda e Visão

Existem casamentos memoráveis nos quadrinhos. Taí Lois e Clark. Reed e Sue. Scott e Jean…err. Peter Parker e Mary Jane… errr. Bom, deixa para lá. Hoje vamos relembrar um dos casamentos mais memoráveis dos Vingadores: O Casamento de Wanda e Visão!

O mais impressionante dessas capas é saber que alguém GUARDOU AS TATUAGENS!

Antes de mais nada, devo apontar que nunca fui um grande fã dos Vingadores. Se você já lê a Rebobinando, provavelmente já me viu falando isso em uma coluna ou outra, mas tudo bem. Para mim, a Feiticeira Escarlate e o Visão já eram um casal bem estabelecido quando eu comecei a acompanhar os quadrinhos de super-heróis e a coisa mais marcante dos dois, pra mim, era o fato dela ser uma humana (mutante, quer dizer) e ele um sintozóide (basicamente um robô cheio de guéri-guéri).

Desde mais novo eu me amarrava nesse tipo de história que desafiava os paradigmas da sociedade. Tipo um herói com deficiência (oi, Demolidor), ou um herói pobretão (oi, Homem-aranha), ou ainda um casal fora do comum. Mesmo sem compreender muito bem o porquê eu começava a gostar de personagens que fugiam um pouco do normal com o que eu havia crescido e, bom, Visão e Wanda meio que se resumiam a isso para mim.

Pede ela em casamento logo, Visão. Não precisa ficar vermelho de vergonha.

A história do casamento dos dois nunca foi uma das mais memoráveis para mim, até porque ela aconteceu anos antes de eu sequer conhecê-los propriamente. Nos EUA, o evento ocorreu ao final de uma história dos Vingadores em Giant-Size Avengers #4, lançado em 1975. Aqui no Brasil, no entanto, ela saiu em 1985 no mix de Grandes Heróis Marvel #10, em conjunto com parte das histórias de The Avengers #133-135. Como de praxe, a Editora Abril na época fatiou as edições de para tudo caber numa edição só. Graças ao Guia dos Quadrinhos (meu eterno aliado nessa batalha das memórias) a publicação contou com 61 páginas (das 84 originais), divididas em:

  • 18 pgs de Avengers  #133, com arte de Sal Buscema;
  • 13 pgs de Avengers  #134 (das 18 originais), com arte de Sal Buscema;
  • 12 pgs de Avengers  #135 (das 18 originais), com arte de George Tuska;
  • 18 pgs de Giant-Size Avengers #4 (das 30 originais), com arte de Doug Heck.

As capas das edições mutiladas pela Abril Jovem.

ORIGEM E CASAMENTO

Abrindo com um spoiler logo de cara, o meu maior problema com a edição é que o casamento dos dois não é o foco da história. Na época, os Vingadores tinham um grupo bem diverso e, como de costume na Marvel, sempre tinha aquele personagem com um passado secreto desconhecido. No caso, na época havia dois: Visão e Mantis (sim, aquela mesma dos filmes dos Guardiões da Galáxia). Então o foco era a revelação do passado de ambos, através de alguns paranauês mágicos envolvendo Immortus, um guardião das linhas do tempo. Depois de derrotar mais uma vez a sua versão maligna de outro universo, o vilão Kang, o Conquistador (quadrinhos, heh!), com a ajuda dos Vingadores, ele retribui dando a eles a oportunidade de viajar pelo tempo para descobrirem suas origens secretas.

Então, desde o início da trama em Avengers #133, escrita por Steve Englehart, o foco era saber de onde o Visão tinha vindo. Claro, nessa época, todo mundo sabia que ele era uma cria do vilão robótico Ultron,que havia mudado de lado. Mas será que havia alguma outra coisa além disso? Então durante três edições da revista mensal, a história se divide entre a origem secreta do Visão, a origem secreta da Mantis (que francamente, ninguém se importa) e uma traminha paralela envolvendo a Feiticeira Escarlate treinando com a bruxa Agatha Harkness e sendo posteriormente capturada pelo ser sobrenatural Dormammu. 

Aprendiz de Feiticeira… Hein? Hein?

Em suma, uma confusão.

No fim das contas, eu até entendo os profundos cortes na história feitos pela Abril Jovem. Em geral, boa parte deles foram das partes da história que envolviam Mantis, deixando apenas a origem do sintozóide no fim. Como a capa brasileira já dizia: “VISÃO: TUDO SOBRE ORIGEM E CASAMENTO”. Então, bye bye Mantis.

O meteoro é a Abril Jovem. #explicandoapiada

ORIGEM CONFUSA E CASAMENTO RAPIDINHO

Como eu disse antes, durante as três primeiras edições de Avengers que fazem a parte inicial de Grandes Heróis Marvel a história é basicamente um gigantesco retcon costurando partes da história do Tocha Humana original o andróide criado pelo prof. Phineas T. Horton. O Visão viaja pelo tempo sozinho, guiado apenas por um cetro que lhe foi concedido por Immortus. Ele vê o seu nascimento como um andróide que pega fogo sem querer, seu primeiro “enterro secreto” e libertação, levando-o a se firmar como um herói da Segunda Guerra Mundial. 

Em seguida, acompanhamos parte de sua decadência. Desde o primeiro encontro com um grupo de russos que o derrotaram e o enterraram em 1949, até sua posterior libertação graças a uma explosão atômica em um campo de testes americano. O Tocha continuou agindo como um herói por um tempo, até descobrir que estava “morrendo” por causa da radiação. Ao entrar em supernova, ele desaparece de vez. Ou assim achamos.

Pra todos os efeitos, o Tocha Humana PASSOU A TOCHA do heroísmo pro Visão.

Muitos anos depois ele é desenterrado pelo vilão Pensador Louco, um especialista em andróides. Ele o ressuscita para lutar contra o Quarteto Fantástico, mas ambos acabam derrotados. O Tocha original “morre” novamente e é deixado para trás, no laboratório secreto, até ser redescoberto mais uma vez, pelo vilão Ultron! Apesar de ser uma inteligência artificial, o robô não compreende como fazer o andróide funcionar novamente (algo a ver com a pele sintética e as partes pseudo-orgânicas ou whatever) e vai atrás deseu criador, Phineas Horton!

Horton, coitado, deixou de ser um grande cientista e agora, já velho e cansado, vive consertando televisores. Ele é abordado por Ultron, que o leva até o laboratório em busca de ajuda para fazer o Tocha Humana se levantar novamente. Horton consegue terminar o trabalho, mas não apaga a mente de seu “filho”, levando uma pequena batalha entre os dois seres sintéticos. Horton é assassinado por Ultron e o Tocha, agora completamente transformado em Visão, o segura em seus braços e jura vingança. Infelizmente ele é derrotado e reprogramado como “filho” de Ultron, para ser enviado contra os Vingadores.

Tudo bem Phineas. O Sal Buscema vai te trazer de volta quando for desenhar o Miles Warren.

Então, só aí depois de TODA ESSA VIAGEM, o Visão segue adiante no tempo e entra numa espécie de limbo, por acidente. Nesse limbo, ele encontra a Feiticeira Escarlate aprisionada por ninguém menos que Dormammu. Visão é forçado então a batalhar contra os capangas do vilão infernal e contra a própria Feiticeira Escarlate, com a mente dominada. Ela quase o mata e, em seus últimos momentos, o sintozóide declara o seu amor… libertando Wanda do controle mental. O que ocorre em seguida parece muito com o fim do filme do Doutor Estranho, ela supera o vilão em diversas frentes, não deixando opção senão um trato, que os liberasse por completo e protegesse a Terra de seus desejos de dominação.

“Lembra, querido? Nossa primeira briga de casal, no inferno quando eu quase te matei?”

Wanda e Visão voltam à Terra juntamente com Agatha Harkness, que também havia sido aprisionada. Os dois vagam pela mansão dos Vingadores trocando juras de amor, até que Visão a pede em casamento. Wanda, obviamente aceita e… Pimba.

Ambos são transportados por Immortus para o mesmo local onde os outros Vingadores estão, e bem perto da resolução da trama de Mantis. Ao fim da história, Mantis declara seu amor ao herói Espadachim e, ali mesmo, numa cerimônia surpresa oficializada por ninguém menos que o próprio Immortus, hehe, ambos os casais se unem em sagrado matrimônio.

Tipo? Nem uma splash page? Nenhuminha?

Tô LendoPontos Fortes
  • Sal Buscema.  POR INCRÍVEL QUE PAREÇA, a arte do Sal Buscema é algo que salva aqui. O que é realmente surpreendente, porque a arte de Don Heck geralmente é muito boa. Mas na edição gigante dos Vingadores, por conta do número de páginas, ela parece bem corrida.
  • Origem. A origem do Visão sofre um retcon gigantesco na história, ligando-o diretamente ao passado do universo Marvel, fazendo dele uma nova versão do Tocha Humana original. Ele ainda teria outros retcons como “os padrões mentais do Magnum”, etc. Mas eu acho bacana ele ser algo mais antigo que os próprios Vingadores.
  • Disponibilidade. Muito embora a GHM #10 não seja muito mais fácil de achar, a Panini Comics lançou uma compilação com a edição do casamento.
Tô LendoPontos Meh
  • História. Muita gente gosta do Steve Englehart, mas eu achei essa história incrivelmente chata, meodeos. O autor permaneceu escrevendo Vingadores por muitos anos e, claro, com altos e baixos. Mas eu sempre achei que quando ele se determinava em querer explicar demais algo que não precisava de explicação, fica um lenga-lenga interminável. Talvez seja só minha falta de interesse na história da Mantis, mas putz, são quatro edições longuíssimas que poderiam ter sido resumidas em uma.
  • Foco. O casamento dos dois é quase uma nota de rodapé numa história que é basicamente uma nota de rodapé por si só. Se o foco não fosse as origens secretas, e sim o relacionamento entre Wanda e Visão, talvez teria sido muito melhor.

Lua de mel? Mas como…? Será que…? Hein?

Como falei antes, a Panini lançou em janeiro de 2021 um encadernado chamado Visão e Feiticeira Escarlate: Dia das Bruxas, contendo a história de Giant-Size Avengers #4, mais quatro edições de uma minissérie de 1982, chamada Vision and the Scarlet Witch. A mini faz por Wanda o que essas histórias que rebobinamos hoje fizeram pelo Visão, ou seja, traz um pequeno retcon e uma visita pelo passado da heroína, pelas mãos dos grandes Bill Mantlo e Rick Leonardi. Essas histórias já saíram por aqui no Brasil e talvez valham uma boa Rebobinando nas próximas semanas.

Aguarde e confie.


O Casamento de Wanda e Visão vale, infelizmente, duas rebobinandos. 📼📼

Kadu Castro

Por: Kadu Castro

Quadrinista, criador do “Escalafobético, O Ornitorrinco” ( e ainda esperando o sucesso). Professor de Inglês. Fã de quadrinhos. Aprendeu a desenhar vendo o Jim Lee, mas é fã mesmo do Scott McCloud. Acessórios vendidos separadamente. Não inclui pilhas.

2021-01-18T03:45:27+00:00 18 de janeiro de 2021|0 Comentários