NAS PRATELEIRAS #88 – CCXP 2019: O Resumo

Início/Destaques, Leia!, Nas Prateleiras/NAS PRATELEIRAS #88 – CCXP 2019: O Resumo

Chegou ao fim mais uma CCXP e a hora de relembrar os momentos mais marcantes do evento, principalmente para aqueles que não puderam estar lá em um ou mais dos quatro dias em que a São Paulo Expo foi aberta ao público.

Na verdade, para alguns, a Comic Con Experience começa na quarta-feira à tarde com o que é chamado de spoiler night, onde imprensa, convidados e o público com o crachá Epic ou Full Experience conseguem dar uma olhada na feira antes de todas as outras pessoas. Neste dia não tem painéis nos auditórios e um ou outro estande pode ainda estar sendo montado, mas temos uma boa noção do que virá pela frente.

Neste ano a convenção foi direcionada para os 80 anos do Batman e isso significou termos uma parte da exposição que está no Memorial da América Latina, o pôster da CCXP com arte dele e convidados especiais que tinham alguma ligação com o homem morcego. Neal Adams, Joelle Jones e Mikel Janin, por exemplo, estiveram lá. Na quinta, como exemplo, tivemos um painel no palco principal sobre o aniversário do Cavaleiro das Trevas com presença do Eduardo Risso, Rafael Grampá, Rafael Albuquerque e Frank Quitely além dos outros três citados anteriormente. E, mesmo estando com sua lotação máxima, ainda era possível entrar no auditório Cinemark no meio do dia e ficar até o final para ver o painel com as atrizes de Aves de Rapina. Bem, há quem tenha se empolgado com elas e com o novo trailer, mas fico bem com o pé atrás ainda. Tivemos outros painéis voltado à animação como sobre o Rei Leão e Aranhaverso, o que mostra o trabalho animal que está sendo feito hoje em dia com computação gráfica.

Não vou comentar muito sobre o que aconteceu nos auditórios menores porque, apesar de bem legal, ficaria repetitivo de contar. Sempre tínhamos uma partida de RPG com o Didi Braginha e outros influenciadores digitais, tínhamos as sensacionais Masterclass com os artistas nacionais e internacionais sobre a arte de escrever e desenhar quadrinhos, entrevistas, anúncios das novidades da Panini e Iron Studios para o próximo ano, discussões sobre representatividade… tinha bastante opção para quem quisesse participar e ficar perto do seu ídolo, por quê não?

Muita gente andando nos corredores do evento que as vezes ficava até difícil de ir de lado para o outro

Voltando à programação, na sexta o ponto alto do momento internacional foi o painel do Amazon Prime com os atores de The Boys (que depois andaram pelo evento gerando um alvoroço temporário) e Lana Parrilha de Once Upon a Time. Claro que teve mais coisa, mas eu mesmo aproveitei para conhecer o Artist’s Alley (de novo), ver os cosplays, uma partida rápida de PES no Game Arena e ouvir o Charlie Adlard, desenhista do The Walking Dead, contar um pouco da jornada.

Aliás, o Artist’s Alley esse ano estava lindo, pelo menos do lado do consumidor. Muita coisa legal, aproveitei para pegar uns resultados das contribuições do Catarse.me e conhecer trabalhos novos que não tinha visto nem online. Vou deixar uma lista lá no final do que trouxe da feira, calma aí!

Antes de fechar a sexta, queria dar meu apoio àqueles que estavam na fila desde a manhã ou quinta a noite para conseguir entrar no auditório Cinemark no sábado (e mesma coisa para domingo). Eu não sei se aguento o perrengue, mas parabéns. Inclusive para aquela galera que chega de madrugada para conseguir os colecionáveis exclusivos da Iron Studios. Guerreiros.

E chegou sábado! Galera em polvorosa com a presença dos atores principais da nova trilogia de Star Wars além do diretor J. J. Abrams. Estava muito cheio o dia todo e aproveito para fazer uma sugestão: tivemos um aumento este ano de 20 mil pessoas em relação ao ano passado com o mesmo espaço disponível, será que não devíamos aumentar a área também? Ou o tamanho do auditório? Bem, pensem aí.

Ryan Reynolds

Ryan Reynolds volta para ver se ficou tudo bem após a queda da divisória

Continuando, sábado foi um prato cheio para os fãs da Disney e da Marvel, tanto das animações quanto das grandes franquias. Ryan Reynolds esteve lá e teve que dar um pulo ninja para fugir da placa de madeira que cairia na sua perna. Kevin Feige mostrou um trailer ainda não lançado de Os Eternos. A galera de Star Wars trouxe o público abaixo. Eu tive a oportunidade de estar pertinho do Frank Miller na coletiva sobre o novo Cavaleiro das Trevas e foi um grande dia. Aliás, ouça nossa participação no Podcratinadores (link aqui) dessa semana que demos uma passada nos acontecimentos de sábado.

No domingo já tinha rolado um burburinho sobre um tal ex-Superman estar em São Paulo, o que deu uma ideia do que seria o painel secreto da Netflix. The Witcher com a presença do ator Henry Cavill, aproveitou para empolgar o público com essa nova série baseada nos livros (e não nos games) de mesmo nome. Aliás, tive a oportunidade de participar da coletiva de imprensa com o ator e a produtora da série, Lauren Schmidt. Os dois pareciam bem empolgados e passaram muita confiança no trabalho, mostraram conhecer do material original e se aprofundaram na personalidade do Geralt. Eu já estou na expectativa.

Bem, no próprio painel da Netflix tivemos a presença do elenco de La Casa de Papel e a volta do Ryan Reynolds para falar do Esquedrão 6. Depois tivemos His Dark Materials da HBO fechando com a presença de Gal Gadot e Pat Jenkins falando de WW84 com um trailer inédito até então. Vou falar que as atrações de domingo foram tão boas ou até melhores que as dos painéis de sábado, talvez que pela primeira vez na história do evento.

Lauren Schmidt e Henry Cavill

Lauren Schmidt e Henry Cavill após o painel sobre The Witcher

Antes de fechar, uns quadrinhos novos que trouxe de lá (fora os que já tinha falado no artigo da semana passada):

Self Made, Image Comics, com arte e cores dos brasileiros Eduardo Ferigato e Marcelo Costa.
Astronauta – Entropia, Graphic MSP, do Danilo Beyruth.
Chico Bento – Pavor Espaciar, Graphic MSP, do Gustavo Duarte.
10 Dias Perdidos, já na terceira edição, pelo criador de Atômica: Sam Hart.
Redenção, novo capítulo da série de histórias escritas pelo Carlos Stefan com a sensacional arte do Pedro Mauro (já tinha falado sobre primeira parte aqui)
Astolat, quadrinho independente do Hiro Kawarara.
Como Fazer Amigos e Enfrentar Fantasmas, escrito pelo Eric Peleias, que já resenhamos material dele várias vezes aqui no site, e arte do Gustavo Borges também.
Corśarios, um projeto muito legal do Samuka Marinho, que criou uma HQ através de fotos, muitas fotos!

Confesso que tem mais que isso, mas não consegui desfazer a mala toda ainda (xiiii…), mas quem sabe um ou outro volta aqui na Caverna do Caruso para uma resenha completa, hein?

Claro que isso tudo foi um resumão (e olha que ficou bem grande), mas fato é que a convenção já entrou para o calendário nerd. Os lançamentos mundial de trailers, exclusividades que ninguém mais verá, presenças ilustres… tudo isso mostra que a CCXP está consolidada como um evento mundial do gênero. Mesmo com um ou outro desconforto contornável, é o lugar que você precisa estar pelo menos uma vez na vida. É como se fosse um estádio de futebol numa final de campeonato para os fãs.

Antes de ir, deixe aí sua opinião sobre o evento, o que mais gostou, quais autógrafos pegou, quais painéis conseguiu assistir!

E espero encontrar todo mundo lá ano que vem. Ah, e já deixa anotado na agenda: de 3 a 6 de Dezembro de 2020! Nos vemos na CCXP 2020!

Tiberio Velasquez

Por: Tibério Velasquez

Analista de sistemas por profissão, integrante do Conselho Jedi do Rio de Janeiro, Tibério também é fotógrafo, turista, iPhoner e colecionador. Curte de tudo: filmes, músicas, livros, séries, peças teatrais, jogos e quadrinhos. Nerdices à parte, assiste sempre MMA, NFL, Rugby, NBA, MLB, futebol, e tenta não deixar a prática de esporte de lado.

2019-12-12T13:05:32+00:00 12 de dezembro de 2019|0 Comentários