NAS PRATELEIRAS #66 – Vingadores #1 (2018)

Início/Destaques, Leia!, Nas Prateleiras/NAS PRATELEIRAS #66 – Vingadores #1 (2018)

Com Vingadores: Ultimato nos cinemas do mundo, a internet (e seus amigos) não fala de outra coisa, mas a pergunta que não quer calar é: e agora? Quanto ao futuro do Universo Cinematográfico da Marvel eu não sei, mas sei de onde você pode começar a acompanhar esses heróis nos quadrinhos!

Ano passado a Marvel Comics partiu para mais uma mudança na sua linha editorial, zerando o número de suas revistas mensais e criando o chamado Legado Marvel. A ideia principal era trazer seus principais personagens de volta ao foco da editora após a passagem de bastão que tivemos em Generations onde os heróis antigos e da nova geração foram reunidos. Tony Stark volta a ser personagem principal na revista do Homem de Ferro, Steve Rogers veste o manto de Capitão América e Thor volta a ser… bem, ele volta a ser o Thor!

A edição deste marco foi a Marvel Legacy que apresentou a primeira formação dos Vingadores liderada por Odin cerca de cinco mil anos no passado. Talvez essa seja a única recomendação de leitura antes de embarcar nessa nova jornada em Vingadores #1 já que a referência é bem grande (mesmo a história do Legado não seja de agrado de todos).

Os heróis que conhecemos 3 mil anos atrás em Legado Marvel

A partir daqui as revistas receberam a numeração #1, porém, também continuam recebendo a numeração LCY#691, indicando sua numeração pela ordem original. Essas revistas chegaram ao Brasil mês passado pela Panini, com capa cartão e melhor qualidade que anteriormente custando cerca de R$10 cada revista equivalendo à duas edições americanas (se pensar que a revista lá fora custa cerca de U$3 cada, tá valendo na conversão).

Chegamos então à Vingadores #1! O grupo no momento está desfeito, não existe Vingadores, e acompanhamos Tony, Steve e Thor tomando uma bebida para lembrar os velhos tempos quando, óbvio, uma nova ameaça surge. Porém, essa ameaça aos heróis e toda humanidade (não ache que Thanos é o maior vilão que iremos ver nos quadrinhos) tem relação com aquela história que vimos há cinco mil anos atrás.

Tudo (re)começa com um chopp gelado e um bate-papo entre amigos

Também, é claro, que os três não são capazes de passar por essa sozinhos e juntam-se a eles Dr. Stranho, Mulher Hulk, Pantera Negra, Capitã Marvel e Motorista Fantasma (sim, o nome ainda é Ghost Rider, mas houve uma adaptação visto que agora o espírito da vingança vem com um carro fantasma e não uma moto)… pelo menos no início é isso. Esse arco inicial dura oito capítulos originais, o que quer dizer que estamos na metade aqui no Brasil, faltando duas edições para fechar, mas, atualmente, já estamos no número 23 nos EUA e com muita água para rolar.

A equipe criativa por trás dessa nova fase é composta por Jason Aaron no roteiro, desenhos de Ed Mcguinness, arte final de Mark Morales e cores de David Curiel, apesar de termos mudanças após as primeiras edições.

Se você se sentiu órfão dos Vingadores após o fim da fase 3 do MCU (se bem que Homem-Aranha: Longe de Casa ainda é fase 3), tem aqui um bom lugar para acompanhar os heróis nas HQs. Se você já é leitor, vai curtir também, por que não?

Tô Lendovantagens
  • Jason Aaron fez um trabalho muito bom com Thor no passado e durantes os acontecimentos de Pecado Original, ele sabe lidar com eventos épicos.
  • Zerar a numeração é uma boa jogada de marketing para pegar novos leitores e, mesmo sabendo que é isso, funciona. É um ponto de corte de ajuda a identificarmos o fim de uma fase e início de outra.
  • Uma formação diferente do que vemos nos filmes, mas com os personagens principais. Melhor: todos vivos… ainda!
  • Dá tempo de acompanhar nas bancas ainda, só dar uma corridinha até a esquina.
  • Se, ao contrário de mim, ao ver Endgame no cinema, ficou saturado dos mesmo heróis… pode ser que a formação nova faça diferença.
Tô Lendodesvantagens
  • A edição #1 pode já ter saído das bancas e você terá que comprar online no site da Panini (que não tem o melhor serviço de entrega do mundo).
  • Se, ao contrário de mim, ao ver Endgame no cinema, ficou mesmo saturado de super-heróis… não tem jeito.
  • Não sei se começar com um evento tão grande é a melhor ideia, mas a Marvel acha que sim. Então vamos la…

E quem gostou, deixa um comentário aí!!!

Tiberio Velasquez

Por: Tibério Velasquez

Analista de sistemas por profissão, integrante do Conselho Jedi do Rio de Janeiro, Tibério também é fotógrafo, turista, iPhoner e colecionador. Curte de tudo: filmes, músicas, livros, séries, peças teatrais, jogos e quadrinhos. Nerdices à parte, assiste sempre MMA, NFL, Rugby, NBA, MLB, futebol, e tenta não deixar a prática de esporte de lado.

2019-05-03T14:34:06+00:00 2 de maio de 2019|8 Comentários
  • Queria mesmo saber sobre essa nova versão, sua coluna foi muito útil pra mim! Vou dar uma chance. Amo o Ed McGuiness de um jeito quase carnal, não consigo evitar…

    • Hahaha Eu gosto do McGuinness, mas lá pela oitava edição, quando o David Marquez assume junto com Justin Ponsor o traço e cores ficam mais realistas, com mais tons e curto mais.

      Ah, mas não se preocupar que ele volta umas edições depois

    • Yuri

      Eu gosto do McGuines, mas devo dizer que o traço dele deu uma mudada nessa HQ e, na minha opinião, pra pior…

  • Adriano Martins Leite

    “Vestibulum sem lectus, ultricies laoreet tincidunt rutrum, pulvinar a
    massa. Donec aliquet odio vitae accumsan molestie. Vestibulum tristique
    nulla sit amet tellus varius, non vestibulum risus porttitor. Integer eu
    arcu et eros faucibus lacinia. Nullam bibendum urna ac mollis feugiat.
    Quisque laoreet ex in urna auctor tristique. Proin sit amet turpis id
    eros convallis ultrices. Nunc ipsum nulla, sodales ut velit quis,
    sodales dapibus sem.”

    ??????

    • Huhuahuahauhua Foi um lixo de teste no post. Falha nossa!

  • Ricardo Varotto

    Beleza. Vou conferir.

  • Ricardo Varotto

    Cara, acabei de ler aqui essa história inicial, com os Celestiais, e não gostei. Para falar a verdade, infelizmente, achei bem ruim. ☹️