NAS PRATELEIRAS #63 – Shazam!

Início/Destaques, Leia!, Nas Prateleiras/NAS PRATELEIRAS #63 – Shazam!

Shazam! está hoje nos cinemas do Brasil e se você saiu da sua sessão querendo saber mais sobre esse personagem carismático, a dica de hoje vai te colocar direto dentro da história que o filme foi baseado.

Já vou começar dizendo que, assim como todos os textos aqui na coluna, esse artigo é spoiler free, tanto do filme quanto dos quadrinhos, tentando deixar toda a surpresa da leitura para o momento certo, mas claro que alguma coisa tenho que falar. Dito isso, a primeira sugestão é: veja o filme antes de ler essa HQ, porque, se você não conhece nada do Shazam, terá umas surpresas bem legais… por outro lado, se você ler a revista primeiro, vai pegar mais Easter eggs e referências… ah, sabe de uma coisa, vai no instinto!

Bem, voltando no tempo, Shazam foi criado em 1939 pela dupla C. C. Beck e Bill Parker publicado pela Fawcett Comics que deteve os direitos do personagem até 1953. Após uma briga judicial que durou por anos onde a DC Comics alegava que o até então Capitão Marvel era uma cópia do Superman, o super-herói foi incorporado ao mesmo universo que o Superman, Mulher-Maravilha, Batman e seus amigos. Outro conflito de marca seguiu adiante com o nome Capitão Marvel (obviamente) e somente “ontem”, em 2011, o personagem foi finalmente nomeado de Shazam!

Segura meu bastão!

Fato é que toda essa briga sobre direitos e nomes não fez bem ao Billy Batson que praticamente nunca teve uma revista para chamar de sua (sem contar que ano passado a DC iniciou uma revista própria para embarcar no sucesso do filme… normal). Se procurar por Shazam ou Capitão Marvel verá pouca coisa e a maioria dentro de outras revistas. Com a dica de hoje não é diferente.

O encadernado lançado em 2014 (lá fora) e logo depois aqui (com previsão de relançamento para este mês pela Panini) compilando algumas histórias que foram publicadas dentro da revista mensal da Liga da Justiça reconta a história de origem do Shazam e é tudo que você precisa para acompanhar o herói a partir de agora.

Que mané Dr Silvana, vilão maneiro mesmo é o Black Adam

Desde a vida do jovem Billy, os poderes, os maiores inimigos e sua família: tudo é apresentado aqui. São treze edições compiladas de uma forma que contam a história bem mais rápido do que termos que esperar os dois anos desde a edição 7 até a 21. Essa fase é iniciada no meio dos Novos 52, então você pode estranhar os uniformes diferentes dos atuais… mas isso muda sempre de qualquer forma.

O roteiro fica por conta de Geoff Johns (que tem o currículo muito extenso para caber aqui) e a arte é do já conhecido parceiro de DC de Johns, Gary Frank. Então, tudo em casa.

Como disse antes, é uma leitura muito boa seja para antes ou depois de ver o filme, vai acrescentar boas informações de qualquer maneira.

Tô Lendovantagens
  • O encadernado facilita bastante a vida reunindo as edições num só lugar.
  • Expande o universo do personagem para quem se interessar mais pelo assunto.
  • Já saindo uma edição novinha esse mês.
  • É uma história fechada, mas com um gancho legal para querermos ler mais.
Tô Lendodesvantagens
  • O sucesso do lançamento da HQ vai depender diretamente do filme, então tomara que tudo dê certo.
  • A adaptação pro cinema foi bem próxima da história, então uma das duas mídias vai receber spoiler da outra.

Leia, assista o filme e comente aqui! Em breve tem opinião sobre a versão pro cinema nos Podcrastinadores… aguardem.

Tiberio Velasquez

Por: Tibério Velasquez

Analista de sistemas por profissão, integrante do Conselho Jedi do Rio de Janeiro, Tibério também é fotógrafo, turista, iPhoner e colecionador. Curte de tudo: filmes, músicas, livros, séries, peças teatrais, jogos e quadrinhos. Nerdices à parte, assiste sempre MMA, NFL, Rugby, NBA, MLB, futebol, e tenta não deixar a prática de esporte de lado.

2019-04-04T23:09:18+00:00 4 de abril de 2019|4 Comentários