NAS PRATELEIRAS #47 – Valerian

Início/Destaques, Leia!, Nas Prateleiras/NAS PRATELEIRAS #47 – Valerian
Essa semana vamos falar de um quadrinho da década de 60, mas que voltou às prateleiras depois do anúncio do filme homônimo de 2017. Valérian é aquele exemplo que mostra que a nona arte sempre foi porta de entrada para o universo fantástico.

Valerian e Laureline, como no original, começa com a história de Valerian, um agente do espaço-tempo de futuro distante que viaja pelo universo (e pelo tempo) quando, numa viagem à Terra durante o século XI, encontra Laureline, que o salva e se torna sua companheira de aventuras. Juntos eles vão se meter em tremendas confusões! Clássico… porém, não deixa de ser verdade.

Pode parecer que não é nada demais, mas a complexidade desse universo e as possibilidades são infinitas (e sensacionais). Estamos no ano de 2713 e a raça humana descobriu uma forma de viajar instantaneamente para qualquer lugar à qualquer tempo e, a cada edição, somos lançados para um mundo novo e em uma época nova numa missão do Império Galático da Terra. Nossos protagonistas são agentes do Serviço Espaço-Temporal que protegem os planetas de pessoas ou eventos que podem acabar com a vida como ela é. Tudo isso junto com uma crítica construtiva (sutil ou nem tanto) à sociedade moderna, ao autoritarismo e outros problemas que impregnam nosso mundo.

Caverna do Caruso - Valerian e Laureline - Pagina Dupla

Página dupla do terceiro encadernado mostram povos diferentes e mudança climática

Criado por Pierre Christin (roteirista) e por Jean-Claude Mézières (desenhista), com muita ficção científica, mundos fantásticos, humor, paradoxos temporais, aquela inventividade que gostamos e uma ideia de igualdade que não esperamos ver em uma HQ de 1967, estamos diante de um material à frente de seu tempo e que influenciou gerações. Lendo Valerian, você encontrará referências e imagens que te darão a sensação de “já vi isso antes…” quando, na verdade, os franceses fizeram primeiro. Estranho até pensar que, após ler Khamandi (que já falamos aqui), imaginar que Christin e Mézieres podem ter inspirado Jack Kirby ou George Lucas.

Ah, também inspirou claramente Luc Besson no seu Quinto Elemento de 1997, tanto que veio a produzir e dirigir o filme baseado na obra original após ser questionado pelo próprio criador da série: “por que fazer Quinto Elemento e não Valerian?“. Porém Besson não achava possível essa adaptação na época. O filme é divertido, bonito, mas poderia ser um pouco melhor. Não sei se colocar atores jovens para o papel tenha sido uma boa ideia

Caverna do Caruso - Valerian e Laureline - Infos Extras

Além da história, informações extras sobre os autores e sua criação

Bem, graças a editora SESC-SP, temos esse material em português. Já são três encadernados de seis lançados (se considerarmos que estamos seguindo o lançamento do material igual aos Estados Unidos) e, em cada um, são reunidos três ou quatro edições originais. Bem, estamos na metade! Vamos torcer para que a publicação continue e possamos ter Valerian e Laureline completos por aqui.

Tô Lendovantagens
  • Tem tanta coisa boa que é difícil colocar um ou dois pontos positivos… mas começamos que saiu no Brasil!!
  • A arte é muito boa, bastante informação nos quadros que aumenta a imersão
  • Temas antigos e atuais que te fazem pensar e além de divertir
  • Ah, tudo! Até o preço vale a pena!
Tô Lendodesvantagens
  • Também nem sei um ponto negativo… talvez o fato de não ter todas as edições? O filme não ter sido tão bom e não ter mais gente interessada no material original?

Comente, opine ou sugira aqui embaixo. Já conhecia Valerian antes do filme ou nem assim? Vai dar uma chance? Não vá embora sem deixar sua mensagem!

Tiberio Velasquez

Por: Tibério Velasquez

Analista de sistemas por profissão, integrante do Conselho Jedi do Rio de Janeiro, Tibério também é fotógrafo, turista, iPhoner e colecionador. Curte de tudo: filmes, músicas, livros, séries, peças teatrais, jogos e quadrinhos. Nerdices à parte, assiste sempre MMA, NFL, Rugby, NBA, MLB, futebol, e tenta não deixar a prática de esporte de lado.

2018-11-08T14:16:35+00:00 8 de novembro de 2018|2 Comentários
  • Ricardo Ferreira

    Valerian é bem bacana! Esses albuns europeus que tem chegado ao Brasil tem sido muito “refrescantes” para quem estava um pouco cansado de ler sempre as mesmas coisas. O formato diferente, a forma de contar a história, com muito mais informação nos quadros, uma arte narrativa não tão rápida e dinâmica, mas ao mesmo tempo muito bonita…palmas para a SESI-SP que resolveu investir nos álbuns europeus.

    Eu li apenas o primeiro album, tem dois ainda na fila e ouvi falar que são mais de 20 albuns! Alguém confirma?

  • Ricardo Varotto

    Nunca havia ouvido falar antes de lançamento do filme, mas agora ja estou com um tanto aqui na minha fila de leitura. Há uma série espanhola, hoje na Netflix, chamada El Ministerio del Tiempo, que também trabalha nessa linha de “agência secreta que trabalha para corrigir erros na linha do tempo”. Você já viu? É bem divertida. Esquema “monstro da semana”, com casos fechados ao final de cada episódio.