NAS PRATELEIRAS #42 – Os Leões de Bagdá

Início/Destaques, Leia!, Nas Prateleiras/NAS PRATELEIRAS #42 – Os Leões de Bagdá

Muito longe da temática de super-heróis que estamos acostumados, hoje vamos falar de uma HQ inacreditavelmente baseada em fatos reais. Relançada em formato de luxo pela Panini, essa é uma obra que merece ser lida.

Os Leões de Bagdá (Pride of Baghdad) foi lançado pela DC Comics dentro do selo Vertigo em 2006 e conta a história de quatro leões do zoológico de Bagdá que se encontram em liberdade após o bombardeio da cidade por aviões americanos durante a Guerra do Iraque. Sinceramente, eu já quis ler os quadrinhos só por isso, mas descobri que tem muito mais que isso num conto que pareceria simples.

Voltando um pouco, a Guerra do Iraque começou em 2003, desencadeada por eventos resultados dos atentados em 11 de Setembro de 2001. Ela durou (oficialmente) até 2011 quando os EUA retiraram suas tropas de território iraquiano (oficialmente). Pensando assim, um fato curioso é que estamos lendo uma história lançada durante o período da guerra, mesmo aqui no Brasil, em que a primeira publicação ocorreu em 2008.

Guerra não tem nada de bonito, muitas perdas de material histórico ocorreram no Iraque, mas as vidas que são realmente irrecuperáveis (existem estimativas que ultrapassam 1 milhão de mortes no período). Aqui vamos de uma perspectiva um pouco diferente: já se pensou nas vidas dos animais que vivem no local em guerra? Seja na cidade grande ou na floresta, eles sofrem.

Caverna do Caruso - Os Leoes de Bagda - Pagina dupla

Os caças americanos sobrevoam Bagdá

A história idealizada por Brian K. Vaughan (criador de obras como Y: O Último Homem, Ex Machina e Saga) se baseia em uma história real relatada por soldados americanos que avistaram uma alcateia meio às ruas de Bagdá (e com pouca importância dada pela mídia). De maneira sensacional, acompanhamos estes animais após os ataques à cidade.

Poderia ser algo esquecível, mas Brian humaniza os animais, dá falas a eles e passa com primor a personalidade de cada um gerando uma empatia instantânea. A idosa de vida sofrida ou o jovem de confiança excessiva são personagens que vemos serem desenvolvidos mesmo em poucas páginas.

A arte é do Niko Henrichon. Já tinha notado seu trabalho anteriormente em Noé (lançado depois desta, mas lido antes por mim) e, novamente, impressiona. As cores representam muito bem cada momento da história e cada página é uma nova obra prima bela à sua maneira.

Caverna do Caruso - Os Leoes de Bagda - Pagina 2

Em sua jornada, os leões encontram um ancião com muitas histórias

Se até aqui você se deixou enganar por desenhos da animais “fofinhos” que falam, o fato de estarmos dentro da Vertigo deveria ser um sinal de alerta: não é uma história para crianças. Assuntos sérios como morte, tortura e até estupro são tratados implicitamente ou explicitamente durante as páginas. É uma HQ de cerca de 160 páginas, mas que fica dias sendo absorvida pelos seus pensamentos. Além de um quadrinho, uma crítica.

Para fechar com chave de ouro, a edição de luxo lançada este ano possui várias páginas de esboços (e explicações) do roteiro e desenhos contando a criação de Os Leões de Bagdá, aquele extra que vale a pena.

Tô Lendovantagens
  • Sou muito fã do Brian K. Vaughan e tudo que é dele é bom! Ponto!
  • Já falei da arte? (rs…) Sensacional!
  • Aquela história para guardar pra vida. Em 20 anos você vai ler novamente e vai continuar se emocionando.
  • Além de tudo, gera debate e quando se consegue fazer algo assim, você tá de parabéns!
Tô Lendodesvantagens
  • Apesar de merecer, não precisava ser uma edição de luxo em capa dura (se esse é um dos motivos para o preço mais alto).
  • Pode atrair um público infantil pela bela arte, mas a temática é bem adulta.

E antes de ir, deixe seu comentário aqui embaixo. Gostou? Não gostou? Não leu? Vai ler? E até a próxima.

Tiberio Velasquez

Por: Tibério Velasquez

Analista de sistemas por profissão, integrante do Conselho Jedi do Rio de Janeiro, Tibério também é fotógrafo, turista, iPhoner e colecionador. Curte de tudo: filmes, músicas, livros, séries, peças teatrais, jogos e quadrinhos. Nerdices à parte, assiste sempre MMA, NFL, Rugby, NBA, MLB, futebol, e tenta não deixar a prática de esporte de lado.

2018-09-13T13:52:05+00:00 13 de setembro de 2018|15 Comentários
  • Jean Carlos

    Na amazon esta indisponivel consegui encontrar no Mercado Livre por 60 reais, se tratando de um edicao de luxo ate que o preco esta bom.

    Gostei muito da arte e do tema tambem, esse com certeza vai pra minha estante.

    • Jean, dá uma olhada na Amazon novamente porque tem duas edições, a de 2008 e a desse ano. A nova tem ainda. Abraço

      • Jean Carlos

        Encontrei Tibério, valeu pela dica!!!

  • Bruno Messias

    Colecionador com toc é fogo. Mesmo sabendo que a nova edição em capa dura está à venda, paguei mais caro na versão cartonada no Mercado Livre, só pra não fugir do padrão da minha coleção. Chegou hoje, tô doido pra ler!

    • 😆 Sei como é… Mas eu tenho uma parte “capa dura” que consigo colocar ali e fica do mesmo tamanho.

      Mas, não sei se devia te falar isso, a versão cartonada de 2008 não tem os extras como a “edição de luxo”. 😕

      • Bruno Messias

        Tem uns extras que me dão raiva. Todo mundo fala muito bem da fase da Mulher Maravilha nos novos 52, então comprei os encadernados pra conferir. Pô, em algumas edições METADE da revista são extras. E extras mais bestas impossível: a história do encadernado inteira repetida, mas apenas no lápis. Que raiva me deu!

        • Nesse caso tem uns esboços dos personagens e de roteiro. Apesar de ser um roteiro que você acabou de ler, é interessante porque ali tem coisas que não estão no final. Por exemplo, os leões invadem uma mansão e lá no roteiro original do extra ele fala de quem é. Coisinhas assim pra quem quer ser aprofundar mais.

          • Bruno Messias

            Da Mulher Maravilha não tem nada de extra… Só as páginas a lápis mesmo… Nem um editorialzinho! Mas pelo menos a história é legal. Gosto especialmente do Hades.

  • Ricardo Varotto

    Já tinha esbarrado nisso, mas não dei atenção. Vou conferir.

  • Gabriel

    Comprei a minha hoje! Já tava ansioso pra ler, e agora fiquei mais ainda!

    • Legal Gabriel, depois volta aqui pra dizer o que achou. Abraço

  • Gabriel Ferreira

    O final é de fuder

  • BarbaAlGhul

    Eu confesso que nunca li essa história por não gostar dessas histórias com animais que falam e pensam. É algo bem pessoal mesmo, mas esse é o mesmo motivo de eu não suportar WE3 do Morrison (apesar de eu achar a narrativa sensacional)

    • Mas nesse sentido é diferente. WE3 eles falam com humanos, tem sci-fi e tudo mais. Aqui estamos num lugar que os animais falam entre si, são os mesmos animais que vemos hoje e consideramos irracionais. É a visão deles se um acontecimento, nesse caso, a Guerra do Iraque.