NAS PRATELEIRAS #18 – Até o Fim

Início/Destaques, Leia!, Nas Prateleiras/NAS PRATELEIRAS #18 – Até o Fim
Ate o Fim - Geektopia - Gustavo Borges

Nas Prateleiras dessa semana vamos falar de mais um quadrinho 100% nacional lançado em Outubro de 2017 após ter sido selecionado pelo Programa de Ação Cultural (conhecido como ProAC) realizado pelo Governo do Estado de São Paulo em incentivo à cultura.

Até o Fim foi criado pelo trio de artistas Eric Peleias (roteiro), Gustavo Borges (arte) e Michel Ramalho (cores). Já vou confessando que não conhecia o trabalho do Eric anteriormente, mesmo já tendo ouvido falar de Olhos Insanos que foi financiado em 2015 pelo Catarse. Já Gustavo Borges foi como cheguei até essa HQ, conheci esse excelente quadrinista em seu trabalho junto a Cris Peter em Pétalas e posteriormente no projeto com Felipe Cagno com Escolhas (aliás, todos esses quadrinhos nacionais e independentes são recomendadíssimos). Michael também é o primeiro trabalho que vejo e já digo que as cores foram essenciais para a imersão na história.

Vou começar a falar da HQ mesmo dizendo que gostei muito do que li e queria que os leitores soubessem o mínimo possível da história toda ao colocar as mãos nessa história (sim, gosto de ler, assistir ou jogar sem saber o que esperar do gibi, filme, série ou jogo… SPOILER FREE FOREVER!). Sabendo disso, vamos à história de Lilian que, em uma viagem com um grupo de amigos (cada um com um tipo de relacionamento diferente com ela), precisa encarar a morte de frente e deve entender como as escolhas em vida influenciam o destino de cada pessoa. É uma história sobre morte, mas também sobre a vida, entende? Será que estamos todos preparamos para o que nos espera?

Caverna do Caruso - Ate o Fim - Pagina

O início de Até o Fim

Não sei muito bem o porquê, mas essa história me remeteu a outra obra que gosto bastante, The Graveyard Book, do Neil Gaiman. Apesar de serem histórias diferentes, tem algo em comum ali no meio. Sei lá… Mas essa relação de vida e morte está bem presente nas duas obras. Faz você pensar, não só em nós mesmos, mas nas pessoas que estão ao nosso redor.

Apesar da ótima leitura, possui apenas 96 páginas, incluindo extras sobre a sua criação, e acabei sentindo a história correndo mais do que gostaria, queria conhecer mais os personagens, sabe? (Além disso, sempre queremos mais… sempre! Hehehe) Já sei, podia ter uma segunda edição com as “cenas deletadas”!! Olha aí a ideia lançada!

Anyway, você encontra Até o Fim nas principais lojas do Brasil pelo selo Geektopia da Novo Século ou até no próprio site da editora onde poderá ler as primeiras páginas online. (Só vamos combinar que o preço de capa dos lançamentos da Geektopia não são dos mais baratos, né? Ajuda a gente aí, poxa!)

Tô Lendovantagens
  • 100% nacional, capital nacional, quadrinistas nacionais, sempre é vantagem termos os autores por perto
  • Material de ótima qualidade, não só o roteiro e arte, mas tô falando do papel mesmo
  • Curti bastante os extras sobre a criação da HQ, escolha da palheta de cores… tudo
Tô Lendodesvantagens
  • Sempre pode ter mais páginas, talvez nos conectaríamos mais e teríamos ainda mais empatia por todos os personagens
  • Capa dura… não que seja ruim, mesmo preferindo capa cartão, mas se isso é motivo para aumentar o preço da edição, por favor, não faça

Não deixe de comentar o que achou do quadrinho. Já conhecia? Pegou sua edição em mãos na CCXP também?

Ah, futuramente vi que teremos mais uma edição da Graphic MSP: Cebolinha, pelas mãos do Gustavo. Fiquem ligados.

Tiberio Velasquez

Por: Tibério Velasquez

Analista de sistemas por profissão, integrante do Conselho Jedi do Rio de Janeiro, Tibério também é fotógrafo, turista, iPhoner e colecionador. Curte de tudo: filmes, músicas, livros, séries, peças teatrais, jogos e quadrinhos. Nerdices à parte, assiste sempre MMA, NFL, Rugby, NBA, MLB, futebol, e tenta não deixar a prática de esporte de lado.

2018-05-15T18:44:04+00:00 22 de fevereiro de 2018|4 Comentários
  • Atualmente, temas já bem explorados, pelo jeito não anda atraindo muito público. Acho que correr risco de ter uma história mais pretensiosa não vale a pena pras editoras / escritores. infelizmente

    • Verdade, mas já estou um pouco saturado de super-heróis e essas invasões alienígenas e tudo que está por aí desde 1900 e qq coisa. Tõ atrás de novidades mesmo, de histórias diferentes, mesmo que envolvam supers.

  • Boa, Tibério! Fiquei curioso, lerei. Li mais ou menos recentemente o Ima, do Eric Peleias tb e estou com uma resenha engatilhada. Vale bem a pena! Legal a Geektopia lançar esse material. Pena, no entanto, ser caro…

    • Não li o Ima, conheci o trabalho do Eric só na CCXP quando fui atrás do Até o Fim. Depois diz o que achou também.