Um documentário em forma de quadrinhos poderia ser algo de ser torcer o nariz para quem espera sem heróis, tiro, porrada e bomba, mas Primavera em Tchernóbil traz uma história interessante e belíssima arte para nos entreter e nos emocionar a cada página.

Há pouco mais de 35 anos atrás, em Abril de 1986, o maior desastre nuclear da história ocorreu na Ucrânia. Milhões de pessoas foram afetadas em toda Europa e a flora e fauna viraram “subprodutos radioativos”. Porém, a vida em Tchernóbil (ou Chernobyl, mas vou usar a forma de escrita escolhida pelo tradutor da HQ) nunca deixou de existir e, em 2008,  Emmanuel Lepage junto com outros artistas e ativistas chegam para documentar, cada um à sua maneira, o que restou da cidade.

A arte varia entre o preto e branco e cores, dependendo do que está sendo ilustrado

Apesar de ser documental e um “simples retrato” da viagem, o história chama atenção pelo seu ritmo onde vamos descobrindo aos poucos, junto com o autor, cada vez mais sobre aquele lugar. Desde sua saída de casa até seu retorno, acompanhamos esta jornada do artista conhecendo pessoas e descobrindo paisagens que nem nós (nem Lepage) imaginaríamos existir naquele lugar.

Alternando entre o preto e branco, sépia e cores, estamos diante de uma bela obra que inicialmente desperta curiosidade, mas logo em seguida nos pega pela emoção. Se estamos falando da tragédia ou flashbacks temos páginas sem cores e momentos depois somos surpreendidos com o verde de Tchernóbil. Toda a forma de contar a história foi muito bem escolhida.

Bela obra

O tema veio a tona novamente em 2019 com a série da TV Chernobyl produzida pela HBO e em meados do ano passado a Geektopia nos fez esse favor de trazer a obra para o Brasil lançada originalmente em 2012 na França. Ainda bem!

Além dos quadrinhos e série, se tem interesse no assunto e pouco tempo, vale pelo menos dar uma olhada no artigo da National Geographic deste ano: A vida segue em Chernobyl, 35 anos após o pior acidente nuclear do mundo.

Tô Lendovantagens
  • Obra completa, formato europeu, uma obra de arte.
  • Há algum tempo está com um bom desconto por aí. 40 a 50% do valor de capa, tá valendo muito a pena!
  • Ótimo para tirar o preconceito de pessoas “que não gosto de super heróis!” que não chegam perto de quadrinhos.
  • Renova interesse no tema que tem muita questão social e política envolvida.
Tô Lendodesvantagens
  • Apesar de um documentário, não se aprofunda em todos os aspectos do que ocorreu. O que não é um ponto negativo em si e nos faz buscar mais sobre o assunto (aí vira um ponto positivo… rs), mas vale avisar.

E deixe seu recado aqui nos comentário. Sua opinião sobre essa e outras obras são sempre bem vindas! Vale sugerir novas leituras também! Até!

Tiberio Velasquez

Por: Tibério Velasquez

Analista de sistemas por profissão, integrante do Conselho Jedi do Rio de Janeiro, Tibério também é fotógrafo, turista, iPhoner e colecionador. Curte de tudo: filmes, músicas, livros, séries, peças teatrais, jogos e quadrinhos. Nerdices à parte, assiste sempre MMA, NFL, Rugby, NBA, MLB, futebol, e tenta não deixar a prática de esporte de lado.