NAS PRATELEIRAS #12 – Red Sonja/Conan

Início/Leia!/Nas Prateleiras/NAS PRATELEIRAS #12 – Red Sonja/Conan
Red Sonja e Conan Mythos Dynamite

O lendário bárbaro se junta à grande guerreira de cabelos de fogos para mais uma aventura com sangue, suor e glória. Lançados em 2015 nos EUA, após dois anos chega ao Brasil pela editora Mythos em formato de luxo e com artes de capas originais. Show!

Há muitos anos Conan, o guerreiro cimério, já passou por tantas fases da vida quanto uma pessoa que nasceu lá em 1932, já foi chamado de bárbaro, conquistador, rei, lenda… e sua vida, assim como suas histórias são repletas de altos de baixos, dependendo da fase ou artista que traz o argumento ou ilustra a obra. Mesmo nunca sendo uma unanimidade, é impossível não conhecer nem um pouco do personagem depois de tanto tempo, seja por quadrinhos ou pelos filmes.

Red Sonja tem metade dos anos de Conan. Criados pelo mesmo artista, Robert E. Howard, a hyrkaniana se tornou popular a partir de 2005 com títulos mensais ao chegar na Dynamite Entertainment, incluindo crossovers com o Homem-Aranha e Witchblade. Apesar de terem sido criados no mesmo universo, um título com o nome dos dois só veio a aparecer em 2015 com o roteiro da grande Gail Simone que já escrevia sobre ela nos anos anteriores.

Red Sonja Conan - Capa Volume 2

Arte usada na capa de Conan/Red Sonja

Podemos dizer que temos um arco principal de histórias com dois capítulos: Conan/Red Sonja e Red Sonja/Conan. O primeiro saiu no Brasil como “Conan a Lenda e a Invencível Sonja – Volume 2” e o segundo como “Red Sonja/Conan: Sangue Divino”. Sim, isso mesmo, a história que se passa antes, inclusive com ligação entre elas, se chama Volume 2!! O motivo? “Conan A Lenda” possui uma linha editorial na Mythos e essa história seria continuação dela. O Volume 2 aqui não se refere à continuação de “Red Sonja/Conan” e sim ao encadernado lançado no início de 2017.

Bem, se você não entendeu a confusão que foi criada, resumo: leia “Conan a Lenda e a Invencível Sonja – Volume 2” e depois “Red Sonja/Conan: Sangue Divino”. Simples!

Vamos aos quadrinhos em si: o primeiro, aquele Volume 2, (ah, vocês entenderam!) é escrito pela dupla Gail Simone (Batgirl, Tomb Raider, Mulher Maravilha) e Jim Zub (Samurai Jack, Thunderbolts) além da arte de Dan Panosian, Randy Green e Rick Ketcham. Como acontece nas duas edições, os dois guerreiros se encontram por acaso cumprindo suas missões e aquilo que foram pagos para fazer… eles são mercenários ué!?!?

E, como ocorre SEMPRE quando dois heróis se juntam, um vilão poderoso aparece e eles devem unir forças para enfrentá-lo. Aqui não é diferente. Gosto da forma que o roteiro segue rumo ao destino dos personagens e os desafios no caminho. A arte dessa edição é muito boa, apesar de variar de ilustrador entre um capítulo e outro, além disso, Gail parece trabalhar melhor o lado da Red Sonja, passando a sensação que ela é melhor no que faz que Conan.

Red Sonja Conan - Sangue Divino

Arte de Alex Ross usada na edição brasileira de Red Sonja/Conan: Sangue Divino

Na continuação “Sangue Divino”, após anos terem se passados, os dois se encontram novamente para enfrentar um feiticeiro que pretende dominar o mundo (ou qualquer coisa assim que não importa). Com argumento de Victor Gischler (Deadpool, Justiceiro) a história é direta, as vezes com coisas explicadas repetidamente e diálogos iguais (sabe quando alguém acha que você não está entendendo o que ele tá falando?), mas com um plot twist bem legal que salva a aventura. A arte de Roberto Castro parece excelente algumas páginas e outras nem tanto (fuén..), porém o conjunto final é bom.

Por fim, imagine um filme de guerra medieval num mundo de fantasia com uma história simples e direta. Deixe o cérebro descansar um pouco. Rs… Muita ação, sangue, cabeças voando e monstros, claro. É isso que você pode esperar de Red Sonja/Conan ou Conan/Sed Sonja.

Tô Lendovantagens
  • Edição brasileira com bom acabamento e artes extras como as capas de Ed Benes ou Alex Ross valorizaram o produto.
  • União de dois grandes guerreiros medievais não tem erro, vai ter sangue e cabeças rolando
  • Histórias fechadas que podem ser lidas sem problemas, mesmo sendo melhor ler na ordem
  • Apesar de tudo, tem uma pitada de humor em alguns (muito poucos) momentos
  • Não precisa ter um conhecimento prévio dos personagens, mas não sei se funcionaria bem dessa forma (me conta aí a experiência se você leu sem conhecer nada de Conan ou Red Sonja antes!)
Tô Lendodesvantagens
  • Não é um material barato. Não sei se é o tipo de material que poderia se trabalhar com capa cartão e diminuir o custo, mas com a Mythos é sempre capa dura de qualquer forma
  • Sangue Divino, em alguns poucos momentos, me passou a sensação de uma Sonja menos “badass”, mesmo que ela venha e salve o Conan, de novo
  • A arte no geral é boa, mas irregular, não sei se chega ser uma desvantagens, mas vale falar
  • Que merda de lançamento fora de ordem é esse? Primeiro lança um, depois lança o primeiro, as história tem ligação amigo editor da Mythos!
  • Não leia a sinopse da segunda edição que vai quebrar o plot twist, depois não diga que não avisei

Você pode comprar as revistas no própria site da editora: Red Sonja e Conan: Sangue Divino aqui (dica: não leia a descrição lá) e Conan e Sonja, A Lenda – volume 2 aqui.

E não deixe de comentar o que achou do artigo! Você pretende comprar os encadernados? Nem pensar? Por quê não coitados? E, se já leu, o que achou?

Tiberio Velasquez

Por: Tibério Velasquez

Analista de sistemas por profissão, integrante do Conselho Jedi do Rio de Janeiro, Tibério também é fotógrafo, turista, iPhoner e colecionador. Curte de tudo: filmes, músicas, livros, séries, peças teatrais, jogos e quadrinhos. Nerdices à parte, assiste sempre MMA, NFL, Rugby, NBA, MLB, futebol, e tenta não deixar a prática de esporte de lado.

2018-02-19T18:36:49+00:00 4 de janeiro de 2018|6 Comentários
  • Adriano de Oliveira Ferreira

    o preco da mythos me mata!!!!

    • Verdade Adriano. Bem, se for paciente pode esperar uma oportunidade daquele site de vendas da floresta tropical brasileira. 😉

  • Jean Carlos

    Show, que pena não fizeram um filme a altura, o melhor mesmo é o clássico com Arnold Schwarzenegger, e a arte do Alex Ross esta linda cara.

    • Calma aí Jean, está falando de qual filme ruim? O filme ruim do Conan ou o filme ruim da Red Sonja? O da Sonja era com o Arnoldão também!! Mas era ruim.. vamos combinar.

      As ilustrações do Alex Ross são sempre lindas. Sou fã dele. Ainda vai ter muita coisa dele por aqui…

  • Mais uma bela indicação, Tibério! O que acaba acontecendo com a Mythos é que eu sempre coloco ela mais pra trás na fila mental de leitura, porque os preços nunca abaixam. Aí eu acabou esquecendo. Mas tenho um plano por exemplo de um dia comprar todos aqueles Hellboys deles e fazer esse supletivo. Mas vou ter que escolher se faço isso ou reformo o banheiro.

    • Gosto do Hellboy também, mas tenho um problema sério com essa coleção da Mythos também ($$$). hehehe
      Tenho só umas histórias mais específicas.