NAS PRATELEIRAS #11 – Blacksad

Início/Leia!/Nas Prateleiras/NAS PRATELEIRAS #11 – Blacksad
Blacksad - SESI-SP - Capa

O ano de 2017 foi um excelente para leitores de quadrinhos no Brasil, grandes sagas da DC e Marvel finalmente chegaram aqui, autores nacionais com grandes projetos sendo produzidos de forma independente ou com apoio de editoras e quadrinhos europeus chegando na quantidade e qualidade gráfica que deveriam desde sempre.

Como já havia escrito antes aqui a SESI-SP Editora é uma das editoras que mais cresceu (no meu conceito) recentemente e taí mais uma prova disso. Ela é responsável por ter uma edição brasileira de Blacksad após 16 anos desde seu lançamento na França.

John Blacksad é um investigador particular no melhor estilo detetive noir hardboiled gangster anos 50 com direito a escritório com nome na porta, máquina de escrever, sobretudo, femme fatale… vocês entenderam né? (E eu curto muito o estilo detetive/policial como em Atômica) Só que a grande sacada dessa HQ foi que estamos em um mundo de animais! Sim, animais que andam em duas patas, falam e agem como humanos, levando em conta suas características como olfato mais apurado do cão policial da raça pastor alemão, claro! Os guarda-costas: gorilas. E nosso protagonista, um gato (no sentido de felino e não que ele é bonitão hehehe).

Blacksad - Gato preto

John Blacksad é esse gato preto meio ranzinza às vezes

Os autores espanhóis Juan Díaz Canales (escritor) e Juanjo Guarnido (ilustrador) publicaram Blacksad pela primeira vez em 2000 na França e desde então já tivemos 5 edições. No Brasil tivemos os dois primeiros volumes lançados este ano: Algum Lugar em Meio às Sombras e Arctic Nation. Ambos possuem 56 páginas, capa cartão e sensacionais.

O roteiro é simples e direto, não seria nada demais se fosse num mundo “normal”, mas quando transportamos isso para o universo de Blacksad, fica extraordinário. E a arte…. ah, a arte… pesquisa pelo nome da HQ aí no Google enquanto eu espero aqui rapidinho que você vai ter uma noção maior do que irá encontrar nas páginas da revista. Pela arte e roteiro a obra já ganhou vários prêmios pelo mundo, incluindo o Eisner Award. Inclusive, chegou a ser cogitada para virar um filme em 2006, mas não aconteceu, afinal, não era do Mark Millar (ainda bem porque acho que o CGI da época ia ficar bem fraco, quem sabe hoje…).

Blacksad - Universo de Blacksad

O mundo de Blacksad é assim, com pessoas normais #sqn

Como das outras vezes não vou entrar na história de primeira ou segunda edição, digo simplesmente: leia! Se não confia em mim, confie no resto do mundo.

Não esqueça de passar aqui depois de ler e deixar sua opinião ou bater um papo com a gente!

Tô Lendovantagens
  • Ótima representação do estilo detetive noir hardboiled femme fatale de mistério pulp fiction gangster anos 50
  • Se você não sabe ler, você pode ir só vendo as imagens, quadro a quadro, que são phod@s!!
  • Excelente edição nacional, material e impressão de primeira linha
  • Tudo que falei desde “O ano de 2017…”
Tô Lendodesvantagens
  • Curto, 56 páginas é menos que uma edição mensal de super-herói, por exemplo
  • Quando você comprar o primeiro volume, vai gastar mais dinheiro, porque você vai comprar o segundo e vai querer o encadernado americano… já viu.
Tiberio Velasquez

Por: Tibério Velasquez

Analista de sistemas por profissão, integrante do Conselho Jedi do Rio de Janeiro, Tibério também é fotógrafo, turista, iPhoner e colecionador. Curte de tudo: filmes, músicas, livros, séries, peças teatrais, jogos e quadrinhos. Nerdices à parte, assiste sempre MMA, NFL, Rugby, NBA, MLB, futebol, e tenta não deixar a prática de esporte de lado.

2018-02-16T18:59:05+00:00 28 de dezembro de 2017|9 Comentários