NAS PRATELEIRAS #104 – Opus

Início/Destaques, Leia!, Nas Prateleiras/NAS PRATELEIRAS #104 – Opus

Vamos voltar um pouco no tempo para falar de um mangá de 1995, mas que chegou ao Brasil apenas em 2017 pela Panini Comics. Uma história surreal onde o criador de um mangá cai dentro de sua própria história e precisa lidar com as suas decisões, passadas e futuras. Metalinguagem da metalinguagem e vice-versa.

Chikara Nagai, mangaká responsável pela obra Resonance, se encontra perto do deadline para finalizar sua obra de sucesso quando se vê caindo dentro de seus próprios traços. Chegando em meio às últimas páginas de seu mangá, Nagai fica frente a frente com sua criação, a investigadora Satoko Miura e o grande vilão, o Máscara. No início apenas o escritor tem conhecimento do que está acontecendo, mas aos poucos os personagens do mangá dentro do mangá vão tendo conhecimento da situação e das várias figuras de metalinguagem que o autor usa, inclusive passando a entender o que eles são.

Caverna do Caruso - Opus - Manga - Sotoshi Kon - Pagnia 2

Ali está Chikara Nagai em uma perspectiva um pouco diferente de sua própria obra

Quando comecei a ler esse mangá me lembrava as vezes que Maurício de Souza era puxado para as historinhas da Turma da Mônica para dar alguma explicação ou levar uma bronca dos seus personagens, mas aqui o assunto é mais sério já que estamos falando de uma história de um assassino serial com grandes problemas psicológicos.

O mais interessante de tudo é como o autor, junto com suas criações, lidam com cada situação e como ele passa a se preocupar com eles de forma que nunca havia imaginado antes, afinal, se você gera um evento traumático em um personagem, é só um personagem, certo?

Nas indas e vindas entre universos vamos conhecendo mais a história desse mangá dentro do mangá e curtindo as brincadeiras disso tudo (como o fato de que nenhum desenhista se importa com os detalhes dos prédios no funco de uma página) mesmo que as vezes jogados de volta numa história tensa de terror psicológico.

Caverna do Caruso - Opus - Manga - Sotoshi Kon - Pagina 1

Ideias e mais ideias saindo da cabeça do autor

Opus foi criado por Satoshi Kon, conhecido principalmente foi seu trabalho como diretor e escritor de animes e aqui veio se aventurar no mundo do mangá. Satoshi faleceu em 2010, aos 46 anos, mas não sem antes deixar seu nome marcado no mercado oriental e mundial.

O mangá Opus não teve uma conclusão oficial, foi cancelado junto com a revista no qual era publicado em 1996 e abandonado, porém, em 2010 após a morte do autor, um capítulo ainda em rascunho foi encontrado e adicionado ao final dessa história, dando um desfecho merecido para os fãs.

Tô Lendovantagens
  • Apesar de não parecer um tema novo, uma história inteira sobre essa interação “mais estranha que a ficção” é bem legal de ver, ainda mais em uma mídia física.
  • São só dois volumes, não é demorado, vale o seu tempo.
  • Ainda bem que encontraram esse capítulo final, mesmo que só um bom rascunho, porque ia ficar bem decepcionado do jeito que terminou oficialmente.
  • Conhecer um pouquinho da história do autor deixa o último capítulo mais interessante ainda, aliás a dica é que o material animado do Satoshi Kon vale a olhada.
Tô Lendodesvantagens
  • Não é difícil de achar, mas também não tá dando sopa por aí. Já tem alguns anos, né?
  • Poderíamos ter mais boas histórias se a revista não tivesse sido cancelada lá em 1996…

Apesar se não ser uma revista nova, vale pela curiosidade e a metalinguagem que deixa tudo mais interessante. Deixe sua mensagem aqui pra gente, vai que a gente não é só um fruto da sua imaginação?!!?

Tiberio Velasquez

Por: Tibério Velasquez

Analista de sistemas por profissão, integrante do Conselho Jedi do Rio de Janeiro, Tibério também é fotógrafo, turista, iPhoner e colecionador. Curte de tudo: filmes, músicas, livros, séries, peças teatrais, jogos e quadrinhos. Nerdices à parte, assiste sempre MMA, NFL, Rugby, NBA, MLB, futebol, e tenta não deixar a prática de esporte de lado.

2020-08-06T14:32:13+00:00 6 de agosto de 2020|0 Comentários