NAS PRATELEIRAS #03 – A Fonte

Início/Leia!/Nas Prateleiras/NAS PRATELEIRAS #03 – A Fonte
Caverna do Caruso - A Fonte - SESI-SP

A Fonte é um quadrinho autoral dos brasileiros, Anderson Nascimento e Ronan Cliquet lançado pela também brasileira SESI-SP e, se você não faz ideia do que estamos falando, não sabe o que está perdendo!

Antes de começar a falar mesmo da HQ, quero abrir esse review elogiando a SESI-SP Editora pelo trabalho que tem feito para os quadrinhos no Brasil. Além dos trabalhos autorais como Kimera, Laser Gun e a própria A Fonte, a editora tem trazido material de fora do mainstream das grandes editoras e mandou muito bem publicando Valerian, Blacksad, Spirou… Sensacional!

Seguindo em frente, estamos falando aqui de quadrinho 100% nacional, escrito pelo Anderson Nascimento e ilustrada pelo Ronan Cliquet, inspirada num conto chamado “Dois Possíveis ao se Matar Duchamp” (que você pode ler no final da revista) e, se você não reconheceu o nome, A Fonte é o nome de uma das obras mais famosas do artista Marcel Duchamp.

Caverna do Caruso - Página de A Fonta

Duchamp é um ladrão de ideias.. um assassino!

Bem, resumindo muito, Duchamp foi o cara que comprou um mictório numa loja, colocou numa exposição, assinou com outro nome e falou que aquilo era uma obra de arte (se quiser saber mais sobre o artista, readymade ou dadaísmo dá uma pesquisada que só vai te fazer mais culto).

Lançado em 2016, foi o acaso ter lido essa história recente em um mesmo momento que a arte contemporânea está sendo criticada e todo aquele papo sobre o que é arte volta a tona (a história da humanidade é bem cíclica não?). Fato é que Aluísio, nosso protagonista aqui, está pouco se lixando para o que é arte, mas sim pelo fato de que Duchamp roubou a ideia do readymade de seu bisavô!! Seu ódio pelo artista francês o deixa cego e ele se vingar de qualquer maneira. “Mas como?”, você está se perguntando… e eu lhe respondo “leia!”.

Caverna do Caruso - A Fonte

“A Fonte” de Duchamp

A história é curta, então qualquer coisa que eu fale a mais pode estragar sua experiência, mas só digo que a dupla paulista Anderson e Ronan fez aqui quadrinhos de primeira!

Tô Lendovantagens
  • A arte é show, as cores ajudam a contar a história, sou fã mesmo do cara
  • Quadrinho nacional, isso que dizer que os artistas estão aqui do nosso lado e a gente pode bater um papo com eles em um evento por aí
  • Material de qualidade pela SESI-SP, papel couché de 150 g/m², vai durar vida toda
  • Vi na promoção vááárias vezes… preço que não paga nem a matéria prima
  • Formato de quadrinhos europeu (pra mim isso é uma qualidade oras!)
Tô Lendodesvantagens
  • A roteiro é bom, mas não é uma obra-prima, tipo, “já vi isso antes”, sabe?
  • Curto, queria mais! Ah, não quer dizer que queria ver a continuação do que ia acontecer na última página não tá?!? Seu doente!
  • Formato de quadrinhos europeu (tá, ele não alinha com seus quadrinhos no formato americano e sei que você tem TOC)
2018-02-21T18:30:36+00:00 2 de novembro de 2017|7 Comentários
  • Gustavo Santos

    Ótima resenha, me deixou curioso para conferir essa HQ.

    • Lê sim Gustavo, acha fácil ela nas lojas onlines. Leitura fácil e rápida também. Eu curti!

  • Hahahaha Mais uma excelente resenha, Tibérius! Tô rindo porque eu me identifiquei muito com o formato europeu nas vantagens E desvantagens! O toque do TOC calou fundo aqui!
    Fiquei curiosaço de ler!!!

  • Kauê Lovecchio

    vou tentar pegar essa na comix, sempre procuro material nacional e nunca tinha nem ouvido falar dessa..
    Vlw mestre Carusos

  • miltondiogo

    Rapaz a SESI-SP entrou na velocidade 5 kkkkk. Além de tudo, eles estão lançando uma penca de HQs europeias!

    • Muito feliz com isso! Blacksad 2 e Verões Felizes 2 já estão por aí.