CdC #95 – Stan Lee – Geektopia

Início/Caverna do Caruso, Destaques, Leia!/CdC #95 – Stan Lee – Geektopia
CDC-#95-O Incrível Fantástico Inacreditável Stan-Lee Peter David Colleen Doran Geektopia

Taí uma grande surpresa que saiu aqui no Brasil pela Geektopia! O Incrível, Fantástico, Inacreditável Stan Lee, de Peter David e Coleen Doran, faz jus a todos os seus adjetivos e eu preciso confessar que eu não achei que seria assim!

Quando folheei pela primeira vez, a arte e a disposição dos quadros me deu uma leve sensação de material didático, sabe? Aquela coisinha careta, institucional, sem nenhuma surpresa. Até porque, a maioria de nós leitores de quadrinhos (em especial nós, os, hum, como dizer… marvecos safados) conhecemos tão bem a biografia de Stan, The Man, Lee, quanto a nossa própria.

Mas, para a minha surpresa, o que temos aqui é uma leitura extremamente envolvente, toda narrada pelo próprio Stan (já estou íntimo), como se ele estivesse em uma de suas inúmeras apresentações em convenções de quadrinhos pelo mundo afora. Quem já viu uma de suas participações, ao vivo ou em vídeo, pode perceber que todos os maneirismos estão muito bem representados, te dando até a sensação de ouvir a sua voz rouca, mesmo que você esteja lendo a revista em português.

A trama vai e volta no tempo e conta momentos marcantes da vida do criador dos principais heróis da Marvel, mas focando em momentos pessoais como a primeira vez que conheceu sua esposa, o nascimento de suas filhas, a relação com o irmão e até seu desentendimento com o Jack Kirby. É claro que tudo de maneira demasiadamente leve, sem muita complexidade. Muitos fatos apresentados na história, inclusive, podem ser questionados. Mas como você lê tudo sobre a ótica do narrador, é muito fácil relevar algumas incongruências em detrimento da diversão. E o Stan Lee sabe divertir!

Também me surpreendeu muito o texto ser do Peter David, de quem eu estava acostumado a ler várias histórias nos anos 90, com tramas incrivelmente rocambolescas. Jamais apontaria ele como a pessoa ideal para retratar uma biografia e nem sabia que ele ainda estava na ativa, ainda mais escrevendo de maneira tão relevante! Excelentes surpresas!

Tô Lendovantagens
  • Saiu no Brasil, pela Geektopia! A Geektopia é uma editora relativamente nova (já falei dela aqui na coluna sobre Alex + Ada), que tem marcado presença forte nas livrarias. Portanto é razoalvemente fácil de achar esse tíulo nas sessões de quadrinho das Saraivas e afins.
  • Leitura leve e rápida. Mas ao mesmo tempo bem servida. Facilmente revisitável.
  • Um volume só! Nada de grandes compromissos.
  • Fatos curiosos sobre a vida de Stan Lee, que podem surpreender até mesmo alguns –cof, cof – Marvecos Safados…
  • Ótimo para catequizar leitores! Mães, pais, namoradas, sobrinhos… Com a recente popularização dos filmes da Marvel, acho que essa HQ pode ser muito mais bem recebida hoje, do que há 10 anos atrás, por exemplo!
  • Minha mulher leu e SE A-M-A-R-R-O-U! Depois, toda vez que aparecia o Stan Lee em algum lugar ela falava “Olha, o Stan Lee!” como quem dizia “Olha aquele coroa nosso amigo!”. Para alguém que tenta incansavelmente fazer a esposa ler mais quadrinhos há 5 anos, isso foi uma tremenda vitória!
Tô Lendodesvantagens
  • Para os conhecedores mais profundos, pode parecer uma versão meio “boba” dos acontecimentos.
  • A revista conta os fatos de acordo com o ponto de vista do Stan Lee. Então não espere podre sobre ele.
  • Essa versão “fofa/relações públicas do Stan Lee” pode irritar os fãs mais ardorosos de Jack Kirby, Steve Ditko e etc.
  • Só tem em capa dura
  • O traço, numa primeira folheada, não é dos mais espetaculares e criativos. Não é o melhor cartão de visitas do mundo…

E aí? Quem leu essa? Ficou afim? Conte-me tudo, não me esconda nada

Tô LendoAlgumas imagens!
CDC-#95-O Incrível Fantástico Inacreditável Stan-Lee Peter David Colleen Doran Geektopia
CDC-#95-O Incrível Fantástico Inacreditável Stan-Lee Peter David Colleen Doran Geektopia
CDC-#95-O Incrível Fantástico Inacreditável Stan-Lee Peter David Colleen Doran Geektopia
2018-05-23T12:09:01+00:00 23 de maio de 2018|33 Comentários
  • Jean Carlos

    Tudo que vem de Stan Lee e sempre bom comprar né, temos que respeitar o cara.

    • Sem falar que vai chegar um momento… Cara, não quero nem pensar…. Mas enfim, vai acabar esgotando esse título! 🙁

  • Já estive com esta revista em mãos algumas vezes e sempre passei. Precisava de um incentivo. Acho que na próxima vez que ver ela por aí vou pensar com mais carinho. Fato que sempre pensei em se algo mais superficial e romanceado com muita informação que já tenho… sei lá.

    • Pois é. Acho que eu e você temos as mesmas informações. Mas ainda assim me entreteve. E também entreteve a Mari, então vai que a Bianca não curte também??? Só isso já é motivo!

  • Capitão CoruJão

    | ̄ ̄ ̄ ̄ |
    | CHUPA |
    | KIRBY |
    | _____|
    (__/) ||
    (•ㅅ•) ||
    /   づ

    • …e para a discórdia. Triste utilização de ursinhos. 🙁

  • Capitão CoruJão

    | ̄ ̄ ̄ ̄ |
    | CHOLA |
    | MAIS |
    | DITKO |
    | _____|
    (__/) ||
    (•ㅅ•) ||
    /   づ

  • Greicy Duarte

    Meus olhos brilharam aqui. Stan Lee é um gênio criativo sem igual, na minha opinião. Fiquei muito curiosa pra ler

    • Vai fundo, Greicy! Depois me conta! Fico curioso pra saber a sua opinião!

      • Greicy Duarte

        Essa sem dúvida foi a biografia mais divertida que eu já li, tanto pela forma que foi narrada e mostrada, como por ser fã de quadrinhos.
        Muito legal saber como foi criado os principais heróis e vilões e saber da trajetória de Stan Lee.
        Item obrigatório na coleção de quem é fã.

        • Aêêê, Greicy!! Que bom que você gostou! Muito obrigado por voltar aqui para dar o seu parecer! Beijão!

  • Ricardo Varotto

    Puxa… Acabei de comprar um pacotão na Amazon BR e podia ter incluído esse se tivesse lido seu texto antes. Fica para o próximo.

    • Pena, Ricardo! Mas como essa também não é exatamente uma literatura “quente”, ela pode aguardar tranquilamente seu próximo pacotão! Quem sabe você até não consegue um desconto??

      • Ricardo Varotto

        Nem demorou tanto assim. Não resisti e comprei hoje mesmo junto aos “Invasão Secreta” e “VIngadores: A Queda”.

        Ao longo da década de 80 eu e meus irmãos éramos, como você diz, marvecos safados e comprávamos todos os títulos. Com o tempo a frequência de compra de quadrinhos foi caindo até cessar. De uns tempos para cá, comecei a comprar algumas dessas edições encadernadas de coisas que não tinha, ou até mesmo de outras que tenho as originais ainda hoje, como O Cavaleiro das Trevas, Ronin, Elektra Assassina, etc. Além de outros titulos da DC. E agora estou nessa…

        • Hahahahah Que maravilha, Ricardo! Depois me diga o que você achou!
          Aliás, Vingadores: A Queda é uma baita leitura! Parece um filme! (Não sei se você já leu, mas bela aquisição!)

          • Ricardo Varotto

            Custou, mas demorou… Com a greve dos caminhoneiros, meu pacote só chegou hoje, quase dez dias depois. Realmente, é bem divertida. Valeu a dica.

          • YESSS

      • Ricardo Varotto
        • Noooossa, que maravilha!!! Todas em excelente estado! A casa dos seus pais deve ficar em alguma cápsula temporal! E UOU: Homem Aranha número 1! Essa foi a última que eu peguei para completar a minha coleção da Abril e até hoje quando eu vejo me causa um certo impacto! Um histórinha do Homem Aranha pelo Frank Miller! Que foto linda, rapaz…!

          • Ricardo Varotto

            Obrigado 😀. Tem muuuito mais de onde vieram essas. Só espalhei algumas na hora para tirar a foto. Olhando a imagem agora de novo me lembrei de ter visto você falar que sua primeira foi a Teia do Aranha do Kraven, que está na foto. Não foi isso?

          • Na verdade foi uma depois dessa, a 19!

      • Ricardo Varotto

        Por algum motivo, o comentário que explicava as fotos que postei fica desaparecendo… 😢

        Essas fotos são uma pequena parte do resultado de uma exploração arqueológica que realizei recentemente em caixas minhas guardadas na casa de meus pais.😎

      • Ricardo Varotto

        Ah, Caruso, me esqueci de comentar uma coisa. Você disse para esperar e, quem sabe, conseguir um desconto. Na verdade acho que já consegui, já que comprei na promoção da Amazon BR em que se você comprar quatro títulos, o mais barato sai grátis. Não sei, mas me parece que um desconto de 100% está valendo a pena…

  • The Freeman, El Cucaracho Libr

    Cara, confesso que sempre que vejo um material desses auto (ou supostamente) bibliográfico fico com um pé atrás porque parece ser altamente tendencioso, principalmente vindo do Stan Lee, que de tempos pra cá se tornou ainda mais um garoto propaganda da empresa. Sempre acho as suas indicações válidas, mas dessa vez as desvantagens parecem pesar mais que as vantagens.
    Tudo isso na minha opinião, claro (sempre bom deixar isso claro na internet).

    • Entendo bem o que você está dizendo. Mas essa é feita de uma maneira tão escancarada que a meu ver, não incomoda. Ele não tenta “disfarçar” ou fingir uma imparcialidade. Existe uma teatralidade na narrativa que facilita muito relevar isso. O autor evita os temas mais “cabeludos” e não tem uma pegada de “olha, vou contar como aconteceu na verdade”. É bem leve e descontraído. Acho que te ganha numa folheada. Dá uma chance numa livraria e vê o que você acha. Meu chute é de que você vai acabar gostando!

  • Léquinho Maniezo

    Vou vir aqui só pra falar bem do Peter David pq eu sou esse fã pistola com o Stan Lee hehehe. O pior é que essa revista realmente parece boa e me deu vontade de ver, mas eu tenho uma certa raiva da figura do Stan Lee. Enfim, Peter David é show, adoro ele e Justiça Jovem mora no meu coração, assim como o Hulk dele, o Aquahomem dele e até o X-Factor (principalmente o fortão).

    Boa indicação Sr. Caruso, a foto da capa está excelente kkk

    • Faça as pazes com o Stan Lee, meu nobre, nem que seja para ler mais essa obra do Peter David. Ou não faça. Mas leia mesmo assim, te garanto que vale a pena! (Quer dizer, não sei se eu posso “te garantir” isso, mas acredito piamente que valha…)

  • Elvis Kleber

    Caruso sua participação no podcast MDM de manga ficou muito boa!
    E dê outra chance a Hunter x Hunter.Quando avança pra saga das formigas quimera é muito bom mesmo.
    O Togashi usa a forma que essas formigas humanoides se organizam em sociedade pra fazer um comentário sobre como a própria humanidade age,é muito criativo e autoral(ele põe uma visão sobre capitalismo,sociedade e ser humano de maneira bem particular). E tem lutas muito boas.

    • Opa, que bom que você gostou! Mas olha só: eu não abandonei Hunter X Hunter não! Fui até o final da saga das formigas! Parei de ler quando a JBC parou de publicar! Me amarro em tudo, até nas partes “malas”….
      (Mas confesso que não tinha me ligado nessa analogia que você fez não! Agora gostei até ainda mais!)

      • Elvis Kleber

        Beleza,é que vc comentou da saga da ilha da ambição e achei que vc tinha parado lá.
        É muito absurdo que a saga das formigas quimera foi publicados na Shonen jump,o mainstream do mainstream dos mangás (essa revista tem até versão nos EUA). Quando o Netero explode a bomba no final e envenena o rei pra não dar chance das formigas sobreviverem é muito cruel e extremamente humano,só o ser humano desenvolveria um instrumento de aniquilação em massa que envenena o local de impacto e prejudica a chance de sobrevivência da própria espécie como é a bomba atômica.Só vejo simbolismos e metáforas tão profundos sobre a bomba atômica em mangá justamente pelos japonese terem sido bombardeados em Hiroshima e Nagasaki,eles sentiram na pele.
        E essa parte no anime ficou excelente: https://youtu.be/trhy6a50M04?t=173

  • Elvis Kleber

    Pareceu interessante pelas fotos que vc colocou,mas pelo que vc escreveu parece ser muito cinebiografia chapa branca tipo Discurso do rei,jogo da imitação,Uma mente brilhante (apesar desse ser muito bom). Não é o meu tipo de gibi mas vou por na lista.

    • Então, eu também achava exatamente isso antes de ler, mas me surpreendi. Acho que vale aquela folheadinha na livraria. A leitura flui e ainda consegue surpreender dentro do possível, no âmbito mais pessoal da vida dele. Peter David escreve bem!