CdC #90 – Klaus

CdC #90 Klaus Grant Morrison Dan Mora

Conheça a origem do Papai Noel, numa história que mistura o clima de Game of Thrones com o protagonismo de Duro de Matar!

Klaus saiu aqui no Brasil pela Devir e, curiosamente, antes da revista chegar em minhas mãos, eu nunca tinha nem ouvido falar dela. Por isso fiquei surpreso ao ver o nomão na capa “GRANT MORRINSON” e passei ela pro topo da pilha de leituras. Não me arrependi!

A trama conta a história de Klaus (que às vezes é chamado de Noel nos diálogos), voltando para a sua cidade… aham… natal… e encontrado-a em uma situação de amargura, onde as crianças estão proibidas de possuir brinquedos e os homens são explorados escavando minas misteriosas que escondem uma terrível força oculta. E isso logo durante Yulletime! (Eu suponho que Yulletime seja o nome antigo para a festa natalina…). A partir daí, acompanhamos o protagonista burlando a guarda real para levar brinquedos para as crianças, no melhor estilo Duro de Matar!.

CdC #90 Klaus Grant Morrison Dan Mora

Além do roteiro – que é extramamente cativante e fluido em sua leitura – o que chama atenção logo de cara é a espetacular arte de Dan Mora, que me lembrou muito o desenhista do Invincible, Ryan Otley, de quem sou bastante fã. Ele faz uma caracterização excelente de um jovem Noel (antes de ser “papai”, talvez?) porradeiro, de barba ainda preta, super sagaz, além de belíssimos planos aéreos sobre a tal cidade de Grimsvig. A movimentação dos personagens também é muito viva, dando a impressão que estamos assistindo a uma animação de altíssimo gabarito. A colorização do título também é fantástica e ajuda muito em todos esses aspectos.

Essa é uma daquelas leituras que pode facilmente passar por debaixo do seu radar, mas que, definitivamente, não deveria! Se você ainda está na dúvida, dê uma conferida nas imagens abaixo. Ler Klaus todo ano pode ser sua nova tradição natalina!

Tô Lendovantagens
  • Saiu no Brasil!
  • Album conta com uma história completa, nada de esperar o próximo volume pra saber o que acontece.
  • Arte espetacular!
  • Acabamento primoroso! Apesar de ser uma revista americana, com formato Americano (tanto nas medidas quanto na contagem de páginas para cada capítulo/edição), o acabamento gráfico desse encadernado, junto com a arte e as cores, dão ares de álbum europeu! (Ou talvez a temática da história tenha me influenciado um pouquinho…)
  • Acredito que esse possa ser um ótimo título para presentear leitores de primeira viagem
  • Papai Noel bad ass
  • Lobos brancos. Esqueci de mencionar isso quando descrevi a história, mas qualquer coisa com lobos brancos são melhores do que quaisquer outras coisas sem lobos brancos.
Tô Lendodesvantagens
  • Capa dura. Eu não gosto de capa dura. E a minha edição já sofreu um “efeito alavanca” por conta do encadernamento, já dando sinal de desgaste em uma das brochuras internas. Um problema específico meu? Muito provavelmente sim, você tem toda razão. Mas a coluna é minha e eu boto o que eu quiser nas desvantagens, me deixa
  • O final. O Grant Morrinson é conhecido por estragar finais. Esse nem é o pior dos casos, longe disso (taí a fase dele em New X-Men que não me deixa mentir… Beijo, Fera Branco do futuro!). Mas a história começa muito bem, super pé no chão e vai para lugares bem fantasiosos no desfecho, que podem causar algum estranhamento. Não chegou a me incomodar, mas já fica o aviso para leitor mais incauto.
  • Apesar de eu ter AMADO a arte do Dan Mora, alguns momentos ela pode ser um pouco confusa. Às vezes o flashback cortava para o tempo real e eu me confundia quem era o personagem que estava sendo retratado ou o quê, exatamente estava acontecendo em um quadro ou outro. Mas são detalhes bastante pequenos diante da quantidade de acertos que o rapaz coloca na página!

Como quem lê aqui já sabe, eu adoro indicar coisas fora do eixo Marvel/DC. O problema disso é que muitas vezes acabo indicando coisas que não saem aqui. Fico feliz quando conseguimos encontrar outras opções dentro do nosso verdejante território nacional. E acho que é nosso dever espalhar essas boas leituras por aí, dando força ao mercado editorial brasileiro, que anda sempre mal das pernas. Então seja um bom menino ou boa menina e faça a sua parte: deixe suas impressões aí na área de comentários e ajude a divulgar esse material virtualmente desconhecido!

Estarei aí embaixo à vossa disposição!

Boas leituras!

Tô LendoAlgumas imagens!
CdC #90 Klaus Grant Morrison Dan Mora
CdC #90 Klaus Grant Morrison Dan Mora
CdC #90 Klaus Grant Morrison Dan Mora
CdC #90 Klaus Grant Morrison Dan Mora
CdC #90 Klaus Grant Morrison Dan Mora
CdC #90 Klaus Grant Morrison Dan Mora
2018-03-09T23:44:12+00:00 7 de março de 2018|31 Comentários
  • Léquinho Maniezo

    A primeira vez que eu vi isso ai fiquei com medo achando que ia ser extremamente ruim apesar do Morrison, MAS PARECE QUE ESTOU ERRADO NÃO É MESMO? (e isso não é incomum). A arte é realmente linda hein, taqueopariu, aquela pagina coloridona ali é uma putaria de bonita. Os ângulos de camera usados parecem bem interessantes tmb.

    Te falar que as vezes eu acho capa dura meio chatinho mesmo, principalmente quando a edição é muito fininha, sei la, me incomoda, TPB é um formato que as vezes me agrada mais, apesar de eu babar por uns Omnibus que a DC lança. Enfim, ótima indicação, “+ i filho” é sempre uma boa pedida, um dos meus escritores PERFERIDOS (sim, incluindo Crise Final).

    Abraço! Até semana que vem!

    • Eita. Incluindo Crise Final?? Ok…
      Bem, esse pelo visto tem que fazer parte da sua coleção! Não é sempre que a gente tem o Morrison contando a origem do fucking Papai Noel, né? Depois, se tiver esse paciência, volte aqui para dar o seu parecer! Fico curioso pra saber a opinião de um verdadeiro fã de Morrison. Ou, deve dizer, um……. Morissette. RÁ

      • Bruno Messias

        Tipo gatos, que tem 7 vidas. Nós morremos uma vez só. Um gato morre sete… (Alô, Tibério!)

      • Hahaha. Não seria irônico?

  • Jean Carlos

    Que traço foda Caruso, esse com certeza vai pra minha lista, eu tambem nao curto capa dura, acho que é mania de colecionador.

    • Pois é… Mas nesse caso, como é um formato “quase” europeu, a capa dura incomoda menos, viu? Pelo menos pra mim…

  • Bruno Messias

    Uma vez vi um filme que conta que Noel na verdade era mauzão, mas um dia perdeu uma aposta com um anjo e foi obrigado a fazer boas ações por mil anos. O filme começa justamente quando termina esse prazo… E Noel sai barbarizando por aí. Acho que chamava “Satan Claws”, ou algo do tipo.

  • O papai noel já teve algumas aparições em quadrinhos (como o crossover com o Lobo), seria essa a melhor história sobre o papai noel já publicada em quadrinhos? Seria um clássico do Morrison?

  • Hank

    aérios?!?!?!

    • Eita, vou corrigir lá, obrigado pela observação. Em minha defesa, o “i” fica do lado do “o”, então eu culpo a digitação em detrimento da ignorância.

      • Hank

        Vou acreditar nessa desculpinha. Acredito em papai noel também…

  • Lionel Leal

    Em geral eu fico com um pé atrás de recomendações de histórias de Morrisson, acho que o pessoal se derrete muito pra ele. Acho que não é o caso, porque o próprio texto reconheceu que ele costuma vacilar nos finais das histórias que escreve, então provavelmente vou correr atrás dessa aí.
    Em tempo: Yulletime deve ser o mesmo que Yule, não? Era a celebração do solstício de inverno dos nórdicos, acho que já li alguma coisa a respeito em um livro de Cornwell.

    Edit: isso mesmo, comemoração do solstício de inverno dos pagãos germânicos. Aqui: https://pt.wikipedia.org/wiki/Yule

    • É isso aí, Lionel! Vai fundo, que eu não me derreto todo por ele não! Se quiser ver meu placar, eu gosto muito de Homem Animal, WE3, Asilo Arkham, mas não suportei Flex Mentallo, Crise Final e o término do arco dele em New X-Men (mas o início eu me amarrei!).
      Se rolar, depois me diz o que você achou, pra gente emparelhar opiniões!
      Abração

  • Elvis Kleber

    Esse Quadrinho ja ta na lista pra ler,vc ja indicou ele no Podcast MDM.
    Me interesso pro essas historias do tipo “a verdadeira historia por trás da historia”,inclusive estou lendo um manga que ta saindo nos EUA,Frau Faust,que é tipo uma reinterpretação do Fausto.Ai o Fausta é uma mulher e tem toda uma relação com o Mefistófeles e tem os inquisidores atrás deles e tals,fica uma historia legal no fim das contas(que não tem nada a ver com o original hehe).

    • Opa, mas então: ela descamba um pouco mais pra fantasia, ok? Eu achava que ia ser mais realista (tem aliás até um podcast MdM que eles falam sobre a “verdade por trás de lenda” do Papai Noel – é o episódio de Satanismo – que conta uma história até mais realista e “possível” do que essa), mas ela vai prum lado mais mágico lá pro final. Então vai com o coração aberto pro milagre natalino acontecer!

  • Elvis Kleber

    THE NUNCIA!!!
    DC esta RELANÇANDO os FUTUROS CLÁSSICOS do Bendis,que foram lançados no selo autoral Icon da marvel,e agora fazem parte do seu catalogo Digital. https://www.readdc.com/search/items?search=bendis&subType=COLLECTIONS
    Depois CERTOS SITES vem falar que a MARVEL COMPROU o Miracleman,Que na verdade foi salvo do perrengue jurídico pela mesma,mas negligenciam essas atitudes questionáveis dessa empresa Chamada DC,que desde que ROUBOU V de Vingança dos britânicos vem coagindo grandes escritores a serem seus ESCRAVOS!

    PS:Mas falando serio,o que vc acha do Bendis na DC,ta empolgado?vai ler o Superman dele?

    • Com certeza! Eu leria o Brian Michael Bendis escrevendo meu atestado de óbito. Sou a maior putinha dele do Brasil.

      • Elvis Kleber

        Ele vai Escrever tanto superman quanto action comics,e de quebra vai fazer uma mini serie semanal em 6 edições chamada homem de aço,vai trabalhar muito!
        Mas o que esta sensacional na DC é o Tom King,que fez o Visão na marvel.
        Ele ta fazendo o Batman,que até quem não gosta de Batman(como eu) ta gostando,ja tendo a famosinha saga do Coringa vs Charada.Tem o Omega Men que é uma HQ espacial incrível(da pra ler sem ter visto nada dos personagens) e o melhor de Todos que o Mister Miracle,que ta sendo facilmente a melhor coisa saindo atualmente em forma de quadrinho,lidando com suicido,trauma e governo.É como ler o Cavaleiro da Lua do Jeff Lemire só que elevado a ¹² Potencia (no sentido de narrador não confiável,as temáticas são bem diferentes)

        • Putz, sensacional! O Tom King tá no meu radar, desde que o @tbrvelasquez:disqus falou que quase chorou lendo o Batman dele! Mas, como sempre, vou acabar lendo atrasado, esperando botar as mãos num encadernado gringo… Mas lerei com certeza! O Visão eu devo ler antes, porque acabou de sair aqui pela Panini… Obrigado pelas dicas!

  • A última imagem parece que tem uma leve inspirada de Assassin’s Creed também.

    Mas pô. Fiquei curiozaço (essa palavra existe?) em ler isso aí, hein? Esse Noel antes de ser Papai (Titio Noel?) com cara de Sansão bravo tá muito maneiro também.

    Nem sei onde achar, mas já vou procurar.

  • commodusrs

    Essa tá na minha lista de compra, mas só vai pra sacola quando tiver no mínimo 50% de desconto no preço absurdo de capa. Também não gosto de capa dura, ocupa muito espaço!!!

  • Leonardo Rama

    Excelente dica Caruso, li nesse final de semana depois da sua recomendação. Já estou lendo os demais Cdc para ver o que mais perdi!!! Valeu

    Abraços vim pelo podcast do MdM

    • Opa! Fico feliz, Leonardo! Sempre que você comentar nas colunas antigas, farei o meu melhor para achar o comentário e responder! Às vezes o Disqus come mosca e não me avisa, não sei por que…. Também falamos desse quadrinho em um dos episódios do MdM, o Fiorito elogiou bastante!

  • Fábio Ochôa

    Eita Caruso! Olha que eu ia passar reto graças aos Morrison (tenho trauma das histórias dele, sempre parece que estou assistindo um power-point de algum economista do governo), mas com essa resenha, vou à caça.
    (ir à caça = encontrar o álbum em algum lugar onde não estejam cobrando 96 reais por ele)

    • Hahahahahah Eu tenho essa sensação de Power Point com vários autores! Jonathan Hickman sendo o principal deles! Mas esse aí mais “ação-oriented”, então acredito que não seja um problema. Depois me diga o que você achou!