Caverna do Caruso #85 - Sunny Side Up -Jennifer Holm Matthew Holm

Eu estou sempre procurando revistas em quadrinhos em todo lugar que eu vou, especialmente quando eu viajo. E qual não foi minha surpresa ao encontrar esse maravilhoso encadernado em nenhum outro lugar que não um supermercado!

Isso mesmo, foi dentro de um Super Target no Colorado, enquanto minha mulher surtava com diversas blusas e bugingangas pela bagatela de U$5.99 que eu me deparei com Sunny Side Up, de Jennifer Holm & Mathew Holm, dois autores de quem eu nunca tinha ouvido falar.

Eu já conhecia o (maravilhoso) trabalho de Raina Telgemeier – Sorria que saiu pela Devir e foi resenhada aqui na Caverna do Caruso #71 bem como Irmãs da mesma editora. E foi justamente a semelhança com essas obras me levaram a gastar um tempo folheando Sunny Side Up na sessão de literatura infanto-juvenil do Target.

A história é bem simples e aborda um período na vida da protagonista Sunny, quando ela vai passar um tempo na casa do seu avô, na Flórida, porém com um pequeno agravante: o avô mora num asilo para idosos e ela tem apenas 10 anos de idade. Enquanto acompanhamos a desesperada busca da garotinha pelo que fazer, aos poucos vamos descobrindo sobre seu passado, dando dicas sobre o motivo de sua ida para Orlando. Isso adiciona um leve ar de mistério a uma trama já cativante, te ajudando a devorar a leitura ainda mais intensamente.

Duas coisas me chamaram atenção logo de cara: a trama se passa na década de 70, o que dá um ar bem biográfico para coisa toda e faz um contraste interessante para a história infantil; a obra fala de outras revistas em quadrinho da época. Num determinado momento, Sunny faz um amiguinho que lhe apresenta o maravilhoso mundo das histórias em quadrinhos de Super Heróis! Então podemos ver pelo traço da autora a percepção de uma menina de dez anos sobre Batman, Superman, Homem Aranha, Hulk e companhia. Uma passagem que eu achei bem curiosa foi o primeiro contato de Sunny com o Batman. O que mais lhe chamou atenção não foi o fato do herói se veste de morcego, ser milionário e combater o crime e sim a morte dos seus pais (“que triste!”), mostrando a diferença que faz um olhar sensível em cima de um personagem que estamos acostumados há tanto tempo.

A leitura é extremamente fluida e passa muito rápido. Li toda no vôo da volta (é bem verdade que era um vôo de 15 horas, mas eu sou um leitor meio lerdo). O traço é super simples, gostoso de acompanhar e as cores são deliciosas, te fazendo mergulhar totalmente no livro. Só é preciso uma atenção redobrada para acompanhar as datas (em especial os meses) no início de cada capítulo, para ajudar a se situar na história e entender o que é flashback e o que é “os dias de hoje”, já que os dias de hoje também são flashbacks, pois tudo se passa na década de 70. Confuso? Foi mal, eu não sei escrever direito.

Vamos às vantagens e desvantagens, na esperança de que eu me saia melhor em tópicos!

Tô Lendovantagens
  • História fechada
  • Encadernado bonitinho, em formato de livro
  • Desenhos e cores legais!
  • Um excelente material para quem quer fisgar novos leitores para o universo dos quadrinhos! É perfeito para emprestar para a esposa, o sobrinho, a filha, etc.
  • Bom para jovens e adultos
  • Um outro olhar sobre o universo dos super ceroulas
  • Roteiro super sensível
  • Custou só U$12,90 (isso no Target. Talvez dê pra achar mais barato numa amazon da vida)
  • Minha mulher adorou! (Coisa rara, por isso eu valorizo sempre!)
Tô Lendodesvantagens
  • Só em inglês! (Mas é um inglês bem facinho, ótimo pra quem quer aprender a língua)
  • Não saiu no Brasil, então tem que catar na gringa! (A não ser que a Devir resolva publicar aqui, na mesma onda de Sorria e Irmãs. O título, aliás, conta com indicação dessa autora logo na capa! Então a semelhança não é mera coincidência)
  • É uma leitura muito despretensiosa. Então se você está esperando Maus ou Persépolis, você vai se decepcionar (mas até aí, a culpa é sua de esperar Maus ou Persépolis numa leitura infanto juvenil da prateleira de um supermercado)
  • As passagens de tempo podem ser um pouco confusas para o leitor mais desatento

Volto a reiterar: essa não é uma daquelas leituras de “oh, meu deus, você tem que ir atrás dela”, mas foi uma agradável surpresa para mim! Se você se pegar algum dia esperando alguém fazer compras durante horas (eu disse hoooras, ouviu, meu amor?) dê uma olhada, pode ser que ela te faça uma boa companhia.

No mais, espero contar com os seus comentários aqui embaixo, se não sobre essa revista em particular (que eu sinceramente duvido que alguém mais por aqui tenha lido), sobre outras agradáveis surpresas que você teve no universo da literatura infanto-juvenil!

Até a próxima e boas leituras!

Tô LendoAlgumas imagens!
Caverna do Caruso #85 - Sunny Side Up -Jennifer Holm Matthew Holm
Caverna do Caruso #85 - Sunny Side Up -Jennifer Holm Matthew Holm
Caverna do Caruso #85 - Sunny Side Up -Jennifer Holm Matthew Holm