CdC #85 – Sunny Side Up

Início/Caverna do Caruso, Destaques/CdC #85 – Sunny Side Up
Caverna do Caruso #85 - Sunny Side Up -Jennifer Holm Matthew Holm

Eu estou sempre procurando revistas em quadrinhos em todo lugar que eu vou, especialmente quando eu viajo. E qual não foi minha surpresa ao encontrar esse maravilhoso encadernado em nenhum outro lugar que não um supermercado!

Isso mesmo, foi dentro de um Super Target no Colorado, enquanto minha mulher surtava com diversas blusas e bugingangas pela bagatela de U$5.99 que eu me deparei com Sunny Side Up, de Jennifer Holm & Mathew Holm, dois autores de quem eu nunca tinha ouvido falar.

Eu já conhecia o (maravilhoso) trabalho de Raina Telgemeier – Sorria que saiu pela Devir e foi resenhada aqui na Caverna do Caruso #71 bem como Irmãs da mesma editora. E foi justamente a semelhança com essas obras me levaram a gastar um tempo folheando Sunny Side Up na sessão de literatura infanto-juvenil do Target.

A história é bem simples e aborda um período na vida da protagonista Sunny, quando ela vai passar um tempo na casa do seu avô, na Flórida, porém com um pequeno agravante: o avô mora num asilo para idosos e ela tem apenas 10 anos de idade. Enquanto acompanhamos a desesperada busca da garotinha pelo que fazer, aos poucos vamos descobrindo sobre seu passado, dando dicas sobre o motivo de sua ida para Orlando. Isso adiciona um leve ar de mistério a uma trama já cativante, te ajudando a devorar a leitura ainda mais intensamente.

Duas coisas me chamaram atenção logo de cara: a trama se passa na década de 70, o que dá um ar bem biográfico para coisa toda e faz um contraste interessante para a história infantil; a obra fala de outras revistas em quadrinho da época. Num determinado momento, Sunny faz um amiguinho que lhe apresenta o maravilhoso mundo das histórias em quadrinhos de Super Heróis! Então podemos ver pelo traço da autora a percepção de uma menina de dez anos sobre Batman, Superman, Homem Aranha, Hulk e companhia. Uma passagem que eu achei bem curiosa foi o primeiro contato de Sunny com o Batman. O que mais lhe chamou atenção não foi o fato do herói se veste de morcego, ser milionário e combater o crime e sim a morte dos seus pais (“que triste!”), mostrando a diferença que faz um olhar sensível em cima de um personagem que estamos acostumados há tanto tempo.

A leitura é extremamente fluida e passa muito rápido. Li toda no vôo da volta (é bem verdade que era um vôo de 15 horas, mas eu sou um leitor meio lerdo). O traço é super simples, gostoso de acompanhar e as cores são deliciosas, te fazendo mergulhar totalmente no livro. Só é preciso uma atenção redobrada para acompanhar as datas (em especial os meses) no início de cada capítulo, para ajudar a se situar na história e entender o que é flashback e o que é “os dias de hoje”, já que os dias de hoje também são flashbacks, pois tudo se passa na década de 70. Confuso? Foi mal, eu não sei escrever direito.

Vamos às vantagens e desvantagens, na esperança de que eu me saia melhor em tópicos!

Tô Lendovantagens
  • História fechada
  • Encadernado bonitinho, em formato de livro
  • Desenhos e cores legais!
  • Um excelente material para quem quer fisgar novos leitores para o universo dos quadrinhos! É perfeito para emprestar para a esposa, o sobrinho, a filha, etc.
  • Bom para jovens e adultos
  • Um outro olhar sobre o universo dos super ceroulas
  • Roteiro super sensível
  • Custou só U$12,90 (isso no Target. Talvez dê pra achar mais barato numa amazon da vida)
  • Minha mulher adorou! (Coisa rara, por isso eu valorizo sempre!)
Tô Lendodesvantagens
  • Só em inglês! (Mas é um inglês bem facinho, ótimo pra quem quer aprender a língua)
  • Não saiu no Brasil, então tem que catar na gringa! (A não ser que a Devir resolva publicar aqui, na mesma onda de Sorria e Irmãs. O título, aliás, conta com indicação dessa autora logo na capa! Então a semelhança não é mera coincidência)
  • É uma leitura muito despretensiosa. Então se você está esperando Maus ou Persépolis, você vai se decepcionar (mas até aí, a culpa é sua de esperar Maus ou Persépolis numa leitura infanto juvenil da prateleira de um supermercado)
  • As passagens de tempo podem ser um pouco confusas para o leitor mais desatento

Volto a reiterar: essa não é uma daquelas leituras de “oh, meu deus, você tem que ir atrás dela”, mas foi uma agradável surpresa para mim! Se você se pegar algum dia esperando alguém fazer compras durante horas (eu disse hoooras, ouviu, meu amor?) dê uma olhada, pode ser que ela te faça uma boa companhia.

No mais, espero contar com os seus comentários aqui embaixo, se não sobre essa revista em particular (que eu sinceramente duvido que alguém mais por aqui tenha lido), sobre outras agradáveis surpresas que você teve no universo da literatura infanto-juvenil!

Até a próxima e boas leituras!

Tô LendoAlgumas imagens!
Caverna do Caruso #85 - Sunny Side Up -Jennifer Holm Matthew Holm
Caverna do Caruso #85 - Sunny Side Up -Jennifer Holm Matthew Holm
Caverna do Caruso #85 - Sunny Side Up -Jennifer Holm Matthew Holm
2017-12-20T10:27:49+00:00 20 de dezembro de 2017|15 Comentários
  • Adriano de Oliveira Ferreira

    outra hq q nunca vira para BraZil

    • Pois é……. Maaaaas, Sorria e Irmãs vieram! Então há esperanças!

  • marwin souza

    Oi, Caruso.
    Sempre acho bacana história em quadrinhos com histórias em quadrinhos aparecendo. Gostei de Sorria e acho que vou curtir esse gibizinho também.
    Valeu pela recomendação.

    • Que bom, Marwin! Se conseguir colocar as mãos nele, please, volte aqui para dizer 1) o que achou; 2) como conseguiu colocar as mãos nele! Esse último pode me ajudar a fazer outros leitores alcançarem a leitura! Forte abraço!

  • Mariana!!!

    Agora podemos sempre demorar no Target, pra dar tempo de vc descobrir novas leituras!!!! Viva as brusinha de 5,99!!!

  • Mariana!!!

    me identifiquei tb com a BOREDOM que sentia às vezes durante as férias.

    • Engraçado, eu não tenho essa lembrança! Férias pra mim era só alegria! Até o boredom era gostoso, quando havia algum…

  • Léquinho Maniezo

    Porra, adorei o estilo do desenho. Queria muito que vendessem quadrinhos mais variados nos supermercados daqui, mas acho que até hj só achei turma da monica (não que eu esteja reclamando, grazaDeus que ainda tem). Adorei a resenha, se não fosse esse quadro n ficaria sabendo disso nem por um caralho. o/

    • Hahahahahahahha Fico feliz em servir! Obrigado por deixar a inscrição nas paredes da Caverna!

  • Bruno Messias

    Eu também tenho esse desafio de tentar achar quadrinhos que minha esposa curta. Acho que “curta” é justamente a palavra… qualquer quadrinho mais longo que eu dê na mão dela vai ser lido em mais prestações do que eu conseguiria em qualquer carnê das Casas Bahia.

    “A não ser que a Devir resolva publicar por aqui”… Pelos preços da Devir, acho que vou buscar lá no Target.

    • Rapaz, vivemos o mesmo drama! Eu sempre vou marcar aqui quais foram os quadrinhos que prenderam a atenção à la Dolly da minha esposa, mas já te adianto uma pequena lista que pode ser útil: Sorria, Irma, Pétalas, Chico Bento – Pavor Espaciar (Graphic MSP) e a biografia do Stan Lee que saiu pela Geektopia, isso só pra dizer os nacionais e facilitar a sua busca. Também colocaria o Alex + Ada na jogada, que também saiu no GeekTopia (falei dela aqui numa Caverna passada), mas, apesar de curto, são quatro volumes. Todos os outros que eu falei, são um volume só! Depois, se puder, vai me dizendo o resultado! Forte abraço, cara!

      • Bruno Messias

        Graphic MSP parece ser receita perfeita pra agradar esposa! A minha curtiu “Laços” e “Lições” (ainda não comprei a mais nova… “Lembranças”, acho). Pavor Espacial eu mesmo já não curto tanto.

  • Josue Gentil

    Boa dica.
    Sunny side up é um termo para ovo frito, isto é, aquele ovo que lembra um sol, a gema pra cima, joga no google que aparece a imagem. Tem a ver com o tipo de ovo preferido por algum dos personagens?

    • Hahahahaaha Caraca, não sabia disso! Não, isso não a referências a ovos fritos em nenhum momento da leitura. Mas tem todo um lance da menina “ver o lado bom das coisas e aproveitar a vida”…