CDC #71 – Sorria

Sorria

SORRIA é uma excelente Graphic Novel, cujo lançamento aqui no Brasil pela Devir passou despercebido por muita gente! Um equívoco que, na minha humilde opinião, precisa ser reparado… VAMOS PRA RUA!

A trama conta a história de uma menina que, por conta de um acidente bobo, machuca a boca e tem que usar aparelho pelos próximos três (ou talvez mais, não tenho certeza) anos da sua vida. Como isso acontece no final da infância, a evolução do aparelho dental é acompanhada também pelo crescimento a garota, a descoberta da sua personalidade, percepção e si mesma e das pessoas com quem ela anda. O mais interessante é que isso é feito de uma maneira muito sutil, o leitor mais atento e mais sensível pode pegar isso na hora, mas o leitor mais jovem pode se entreter simplesmente acompanhando “as aventuras” da protagonista, sem perceber que está, também, aprendendo com elas. Esse, a meu ver, é um dos maiores méritos de quem consegue escrever pra essa idade: fazê-lo sem estampar lições abertamente em sua obra.

Outra coisa que eu achei extremamente interessante é o fato de, apesar da história ser bem específica, ela é bastante identificável. Mesmo eu não sendo uma menina (até onde eu sei) eu pude me identificar com vários aspectos da estória, muito além da questão do aparelho (que eu também tive que usar na adolescência e dói pra c@#%#0 cada vez que você vai ao dentista). Por outro lado, minha mulher, que nunca usou aparelho (pois nasceu perfeita, fazer o quê!) também se identificou bastante. Agora só falta a opinião de alguém que não tenha usado aparelho e não seja do sexo feminino e alguém do sexo feminino que tenha usado aparelho e pronto, completamos toda a lista de pesquisa do IBGE.

O traço é bem simples, e eu digo isso de uma maneira positiva. Não há sujeiras, ou excessos de detalhes, é bastante clean e direto ao ponto, o que te ajuda muito a mergulhar naquele universo. Às vezes chega a parecer que você está assistindo a uma animação. É possível notar uma forte influência da arte de Bill Waterson (criador de Calvin e Haroldo) e eu também digo isso de uma maneira positiva. Ajuda a deixar tudo ainda mais familiar para gente, com cara de “um velho conhecido nosso”.

As cores são maravilhosas! Dá gosto de ver. Parece um livro de colorir muito bem colorido. Parece que você está numa loja de balas. Parece que eu preciso de metáforas melhores. Mas, caso não tenha ficado claro, as cores são ótimas.

Outro ponto positivo é a narrativa super fluida! Eu, normalmente, sou um cara meio lerdo pra ler as coisas. Essa foi uma daquelas raras revistas que, apesar de ser polpuda como um livro, eu li em dois dias, quase sem parar. Tenho certeza que uma pessoa normal (digo, menos lerda que e eu) seja capaz de ler tudo em quarenta minutos. E depois vai querer ler de novo, porque desce que nem água.

Vamos às vantagens e desvantagens:

Tô Lendovantagens
  • Saiu no Brasil.
  • Saiu pela Devir, que, se eu não me engano, entrega pelo seu site no Brasil todo e abastece bem as livrarias, então não deve ser difícil de achar.
  • Acabamento editorial lindíssimo. O livro é fofo. Não tem como descrever de outra maneira. Você pega ele a primeira vez e quer levar pra casa e botar na estante e andar de mão dada com ele.
  • História pessoal, muito bem escrita, de maneira leve, porém significativa. Eu esqueci de falar isso lá em cima, mas é autobiográfico!
  • Uma excelente maneira de viajar no tempo, sem sair da sua poltrona, porque você é imediatamente transportado pra época da sua vida em que você tinha problemas semelhantes.
  • Excelente pra todas as idades, eu acho!
  • Excelente leitura para meninas e meninos!
  • Aliás, acho que esse é um presente isca ideal, para atrair gente para a nossa causa. Aquela sobrinha, aquela irmã mais nova da sua namorada… começa lendo Sorria e depois, BAM, Novos Titãs!!!!!
  • Traço leve, muito espirituoso. Gera uma leitura muito gostosa.
  • Minha mulher gostou. Como eu gosto de falar aqui, isso é raro! Esse tem o Selo Mari de Qualidade! (É um selo muito importante, sim! Não questiona!!)
Tô Lendodesvantagens
  • Não sei quanto é o preço estabelecido, mas pode ser que alguns considerem caro pela leitura leve e rápida que o livro gera.
  • Apesar de ser baseado em uma história pessoal, você não pode esperar um Persépolis. É a história de uma menina americana de 12 anos. É mais sessão da tarde. Então tem que dar um desconto. São objetivos diferentes e ambos são igualmente válidos. Aliás nem sei porque eu tô discutindo com você!

E aí? Quem já leu essa? Eu fico muito curioso pra saber a opinião de outras pessoas! Entra aí e deixa o seu parecer, vou ficar esperando!

Até a próxima e boas leituras!

Tô LendoAlgumas imagens!
Sorria
Sorria
Sorria
Sorria
2020-07-21T14:19:41+00:00 22 de julho de 2020|0 Comentários