CDC #56 – X-STATIX

Início/Caverna do Caruso, Destaques, Leia!/CDC #56 – X-STATIX
X-Statix

X-Statix é, disparado, um dos meus xis-títulos mais preferidíssimos de todos os tempos! Foi todo publicado aqui no Brasil, mas, mesmo assim, passou por debaixo do radar de muita gente. Esse é um daqueles que eu acho que merece ser resgatado!

Em meados de 2001 alguns títulos da Marvel sofreram uma reformulação. Uma das coisas que eu achei mais interessante dessas reformulações foi que apesar de serem completamente radicais, elas não zeraram a numeração da revista, contando com – coisa raríssima hoje em dia – a inteligência dos leitores para sacar que as coisas mudaram.

Dessa forma, na edição 116 de X-Force (não era nem um número redondo, gente!), Peter Milligan e Mike Allred entraram pra substituir sei lá que porcaria completamente inócua e esquecível que estava rolando no título até então.

Sem nenhuma preocupação com explicações, Milligan fez uma limpa na casa e substituiu t-o-d-o m-u-n-d-o, na maior! “Senta lá, Shatterstar”. Criou-se um time completamente novo, com ares de MTV, e com a maior parte da equipe mais preocupada com fama, dinheiro e sexo, do que com fazer justiça e “ajudar a proteger um mundo que os odeia”. E, pra piorar, logo num dos primeiros números já morre uma cabeçada, te deixando pra sempre com aquela tensão – quase inexistente na maioria das revistas da Marvel – que todo mundo pode morrer, pra valer, a qualquer momento. Dessa forma, as histórias conseguem manter um senso cru de realismo muito interessante, ao mesmo tempo que mantém os elementos comics extraordinários que nós amamos. É uma perfeita fusão entre Vertigo e Super-Heróis.

A arte de Mike Allred é espetacular. Eu sou suspeito para falar, posto que já declarei meu amor pelo homem falando de iZombie e Red Rocket 7. No caso de X-Force / X-Statix, Allred consegue emular muito da época áurea do Jack Kirby, cheio de dinamismo e um ar “pop art”, com cores chapadas, extremamente “cool”.

Falando em “cool”, vários personagens novos e maneiríssimos são criados para essa revista (para depois nunca mais serem aproveitados novamente)! A dinâmica da narrativa às vezes segue uma aventura do grupo e às vezes aprofunda na trama de um dos personagens, contando histórias muito peculiares. Gosto muito do passado da Dead Girl e da forma como os poderes do Mr Sensitive são descritos nos recordatórios. A leitura é um verdadeiro prato cheio. Depois de um tempo eu já tinha até aprendido a língua do alienígena Doop, que podiam ser todas traduzidas para o inglês, letra por letra (não sei como isso ficou aqui, nas edições nacionais…).

Essa aí eu recomeindo (sempre que eu falo “recomendo” eu imagino sotaque paulista, não sei por quê), veementemente! São 39 edições, juntando o que foi publicado como X-Force e o que foi publicado como X-Statix (mudança de nome para não dar dinheiro para o Liefeld, que na época estava em litígio com a Marvel), que valem a pena ir atrás ou serem tiradas do fundo escuro do seu armário para verem a luz do dia novamente!

Vamos a algumas vantagens e desvantagens:

Tô Lendovantagens
  • Saiu aqui no Brasil! Êêêê! You can avoid learning english a little bit longer!
  • Histórias de super heróis com pegada de quadrinho alternativo, tudo isso num título de linha, sem zerar numeração ou criar um universo paralelo. Quer dizer… é possível!!!
  • Reviravoltas surpreendentes! Não quis falar muito sobre isso pra não estragar as surpresas…
  • Arte espetacular do Mike Allred na maioria dos números
  • Apresentação de personagens novos, com personalidades bem construídas e poderes diferentes, todos muito, muito legais!
  • Uma fase finita, não precisa acompanhar pra sempre
  • Não linka com outros títulos nem participa de nenhuma grande saga
  • Deve dar pra achar em vários sebos, dando sopa, à preço de banana, pelo Brasil à fora
  • Se alguém quiser procurar as edições americanas, tudo foi republicado na ordem, bonitinho, em encadernados facílimos de achar na gringa
Tô Lendodesvantagens
  • O final cai bastaaaaaaante de nível. Mas ainda assim, não invalida a jornada. Só é bom ficar ciente, para evitar decepções
  • Não faço a menor ideia de qual título-x publicou essas histórias aqui. Se você quiser ir atrás das edições nacionais, vai precisar fazer um belo garimpo! O site Guia dos Quadirnhos pode te ajudar nessa jornada…
  • Não foi republicado aqui, o que significa que, pra conseguir essas revistas, você vai ter que levar junto uma porção de título porcaria que devia vir no mix da época
  • Me dói dizer isso, mas tem gente que não gosta da arte do Allred. Ai, ai… Mas, enfim, se você for uma dessas pessoas, as chances de curtir essa fase são baixíssimas.
  • O que foi moderno e inovador na época, depois de copiado diversas vezes, pode envelhecer meio mal. Mas acredite: foi moderno e inovador na época!

Bem, se você for uma das pessoas que nunca leu X-Statix, eu te invejo bastante! Adoraria estar no seu lugar… Se você for uma das outras pessoas que já leu, please, troca uma ideia comigo! Eu sou fãzaço dessa fase, no entanto não encontro muita gente que tenha passado por ela pra conversar… Então dê o seu parecer!

Aos tímidos, até a próxima quarta e boas leituras! 

Tô LendoAlgumas imagens!
X-Statix
X-Statix
X-Statix
X-Statix
X-Statix
X-Statix
2019-12-10T12:55:59+00:00 11 de dezembro de 2019|0 Comentários