CDC #37 – Power Up

Início/Caverna do Caruso, Destaques, Leia!/CDC #37 – Power Up
CDC #37 - Power Up

Essa é uma excelente leitura para ler de uma vez só, sem enrolações! Um único encadernado, que eu acho que não foi nem publicado em forma de revista, ou seja, não tem nem divisão de capítulos. É aquele tipo de leitura que um amigo mais sensível já descreveu como “para ler em uma cagada só”. E essas leituras costumam surpreender a gente…

Power Up conta a história de um designer de videogames, que encontra um console de videogame antigo num “garage sale” (essas vendas que os americanos fazem em suas garagens pra se livras das suas tranqueiras) e a partir daí coisas estranhas começam a acontecer com ele. Coisas estranhas e muito divertidas, que descrever aqui tiraria bastante da graça dessa leitura. Como é uma leitura pequena, se eu tirar a graça, não sobra nada! Mas, pra nossa sorte, é possível “vender” Power Up sem contar o roteiro (que é incrível, por sinal!).

A HQ é escrita e desenhada por Doug TenNapel, que, curiosamente, é designer de videogames assim como o protagonista e criou o divertidíssimo Earth Worm Jim, dos anos 90, lembra? Eu me amarrava nesse personagem, era hilário! E o seu traço é bem particular, com cara de longa de animação, super cômico e expressivo (basta lembrar da cara do Earth Worm Jim). Além disso, seu roteiro é ágil e engraçado, cheio de pequenas reviravoltas interessantes. Ideal pra quem curte o universo dos videogames, mas não exclusivo a eles. A referência a esse universo é mais abrangente do que específica, então qualquer um familiarizado com os elementos básicos de qualquer joguinho da Nintendo (ou Sega, não vamos brigar) vai poder curtir.

Outra coisa legal é que apesar de ser um gibi ultra mega blaster alternativo (desses que nenhum dos meus amigos mais nerds já ouviu falar) ele foi publicado pela Image, o que mostra como essa editora está, já tem um tempo, apostando em revistas interessantes, diferentes e que fogem totalmente do mainstream dos comics, dando oportunidade para novos (ou velhos) artistas, com novíssimas ideias.

É o que eu sempre digo pra quem reclama dos clichês dos quadrinhos das grandes concorrentes (sim, é contigo mesmo): tem muita revista boa por aí, mas às vezes a gente precisa ir atrás delas!

Tô Lendovantagens
  • Um volume só. Pegou, leu, completou.
  • Leitura muito rápida. Está com uma pilha grande de leitura? Coloca Power Up na frente, que vai ser um excelente aperitivo e não vai tomar seu tempo.
  • Traço diferente
  • História diferente
  • Temática de videogame
  • Ideal para emprestar para amiguinhos não familiarizados com o universo dos quadrinhos, mas que estão com um pé na nerdice e só precisam de um empurrãozinho. Power Up é o empurrãozinho que faltava!
  • Leitura unissex
  • Ideal pra quem curtiu Scott Pilgrim e a brincadeira com o universo dos games
  • Como foi publicado pela Image, acredito que seja fácil de achar pela Amazon e a afins a preço de banana.
  • Minha mulher curtiu. Isso pra você pode não significar muita coisa, mas minha mulher é bem difícil de agradar! (Não sei até hoje como ela gosta de mim)
Tô Lendodesvantagens
  • Só na gringa. Acho, inclusive, que é a primeira vez na vida que alguém escreve sobre essa revista em português. (Estou incluindo aí Angola, Portugal e Cabo Verde). Então acho que nem na internet você encontra uma tradução. Mas também, pô, já tá na hora de tomar vergonha nessa cara e aprender inglês! Você tá com quantos anos???
  • Preto e Branco
  • Leitura muito rápida. Caso você consiga comprar essa revista na amazon, pague 100 dólares de frete e mais 3 mil reais de imposto, talvez você fique um pouco chateado de lê-la tão rápido, entende? Meu conselho: compra ela bem baratinho, junto com suas outras compras, pra diluir o frete. Ou entra na compra de um amigo. Ou… sei lá. (Mas você entendeu)
  • O traço é bem diferente, pode ser que alguém não curta. Mas ele é menos importante do que a história.
  • A história não vai mudar a sua vida. Vai te entreter durante 20 minutos e te deixar feliz por ter encontrado um negócio diferente. Mas não é Maus nem Watchmen. Então sossega aí.

Bem, é isso. Duvido muito que alguém já tenha lido essa desgraça, mas adoraria ouvir comentários! A parte mais divertida do meu dia é trocar figurinhas nerds e essa é uma das minhas figurinhas mais raras!

Até a próxima e boas leituras!

2019-03-19T16:59:12+00:00 20 de março de 2019|6 Comentários