CDC #32 – Noble Causes

Início/Caverna do Caruso, Destaques, Leia!/CDC #32 – Noble Causes
CDC #32 - Noble Causes

Imagine uma novela, com aquelas tramas bem de novela (uma família que mantém as aparências para os vizinhos, mas tem vários problemas entre quatro paredes; filhos bastardos; amores proibidos com sua irmã de criação – ok, isso talvez não tenha em tantas novelas, mas faz uma exceçãozinha, vai?), mas imagine isso tudo com super heróis. Essa é a premissa de Noble Causes, criada por Jay Faerber.

Acompanhamos uma famosa família de super heróis, com alguns personagens bem típicos dos quadrinhos. Um pai inventor, a mãe uma “Maga da Terra” (seja lá o que isso for), um dos filhos é velocista, a filha tem poderes de “aerocinese” (seja lá o que isso for), o irmão tem poderes de gelo, etc. Os personagens, em si, são bem parecidos com vários outros que já vimos antes, em inúmeras revistas em quadrinhos. O que vai inovar em Noble Causes é a forma como eles se relacionam. Nada de aventuras, sagas e crises cósmicas. É mais sobre quem é afim de quem, quais segredos sórdidos eles escondem, e o que eles pensam uns dos outros. Como em qualquer família, só que, ao invés de discutir na hora do jantar, você tem super poderes para atirar na cara de seu ente querido.

Apesar de não ser algo ultra-mega-hiper-incrível-leia-agora, é o tipo de leitura que chama atenção justamente por colocar uma nova ótica sob um gênero que parece cada vez mais se alimentar do próprio rabo. É ideal pra quem reclama de que quadrinhos de super-heróis “é tudo a mesma m&#%@!”. Até é, mas pode não ser.

A trama é super envolvente e, como em toda boa novela, cheia de reviravoltas! Me surpreende como ela tenha passado debaixo do radar nerd de tanta gente. Noble Causes foi publicado pela Image Comics e tem uns 10 encadernados mais uns spin-offs. É uma leitura extremamente agradável, que merece ser conhecida por mais leitores.

Não falei nada do desenhista, porque são vários. E são todos ruins! Hahaha Parece que o Jay Faerber não tinha grana pra contratar nenhum medalhão e foi chamando todos os estagiários da indústria. Os desenhos não chegam a comprometer a história, longe disso. Na verdade estou sendo até um pouco cruel, eles não são ruins, propriamente dito, só não são… bons. Isso pode te desmotivar numa folheada descompromissada pela revista, mas não deveria. Ela sem dúvida vale pela história!

Eis algumas vantagens e desvantagens:

Tô Lendovantagens
  • Não é um título infinito, apesar de grandinho. 10 volumes e acabou.
  • É um jeito bastante inovador de contar histórias
  • Personagens bastante envolventes
  • Algumas situações típicas de quadrinhos (como troca de corpos, por exemplo), porém focada mais nas implicações psicológicas e emocionais dos personagens (essa mexeu comigo!!)
  • Leitura relativamente rápida
  • Por não se valer das soluções tipicamente machistas das revistas de super-heróis (“vamos chutar alguns traseiros!” e toda aquela testosterona excessiva) ela pode ser a revista ideal para atrair o público feminino que ainda não leu nada nesse universo
  • Publicado pela Image, com muitos reprints. O que significa que é relativamente fácil achar lá fora ou on-line a preço de banana
Tô Lendodesvantagens
  • Desenhos pouco inspirados
  • Não foi publicado no Brasil
  • Não sei por quê, mas muitas das histórias não têm a clássica numeração de 24 páginas (acho que elas foram originalmente publicadas como guest star em outra revista, sei lá) o que às vezes causa uma leitura um pouco truncada, com muitos capítulos. O mesmo acontece pela quantidade grandinha de extras com tramas individuais paralelas de cada personagem.
  • Como são muitas reviravoltas ao longo da história, essa é uma daquelas leituras que é melhor não parar muito tempo entre um encadernado e outro, pra você não perder o fio da meada. Até porque esse fio embola bastante…!

Então tai! Mais uma leitura que pouca gente conhece, mas que vale a pena conhecer (como tudo aqui na Caverna do Caruso, não é verdade?). Então se você já conhece, vou adorar saber sua opinião! Se você quiser conhecer, estou aqui para sanar qualquer dúvida que você possa ter (a não ser que eu não saiba a resposta, o que acontece com uma certa freqüência). De qualquer forma, essa troca nerd de figurinhas é a parte que eu mais gosto! Então, deixe seus comentários!

Até a próxima e boa leitura!

Tô LendoAlgumas imagens!
CDC #32 - Noble Causes
CDC #32 - Noble Causes
CDC #32 - Noble Causes
2018-12-12T15:03:37+00:00 12 de dezembro de 2018|22 Comentários
  • Ricardo Varotto

    Hummm… Essa não me parece ser uma candidata para o topo da lista…

    • Tá certo, cara! Prioridades… Essa aí tem uma desvantagem pra mim que é: muitos volumes.
      Por outro lado: se você gostou de Invincible, tem 70% de chance de você gostar dessa aí, pelo menos com 60 a 70% de intensidade. Acordei estatístico hoje.

      • Ricardo Varotto

        Fiquei 57,89% convencido.

  • Jotta Santos

    discordo do Ricardo, essa revista tem uma pegada parecida com a edição “The Just” da saga Multiversity, eu sou extremamente atraído a tudo o que me faz sair da zona de confrto. Essa pegada mais “futil” na vida de um super heróis é justamente a quebra de paradigma que te leva a um mundo estranho, mesmo que ele seja o SEU mundo, saca?

    • Pois então: talvez eu tenha me expressado meio mal: não é nem um pouco “fútil” a pegada da revista. É mais pra Nelson Rodrigues mesmo. Vários babados seríssimos, meio doentios, quase. Só não tem tanta porradaria, guerra cósmica, vilão da semana, essas coisas…

      • Jotta Santos

        Mas the Just de multiversity é isso mesmo… Talvez a palavra “futil” não seja a mais adequada, mas foi exatamente isso que você falou o que eu quis dizer

  • Eu

    Legal Caruso,vou colocar na lista de leituras. Obrigado e continue com o bom trabalho. n_nb

    • Muito obrigado, meu camarada! Obrigado também por tomar o seu tempo e comentar aqui! Se você conseguir ler, por favor, volte e diga o que você achou, vou querer muito saber a sua opinião, não conheço mais ninguém que tenha lido essa bagaça! kkk cada k uma lágrima

      • Eu

        Haha vou buscar isso aí. Volto pra te falar. Valew!

  • Arthur Teixeira

    Estava lendo todo o texto imaginando um história dos X-Men, existe várias fases dos X-Men que tratam exatamente das relações familiares e se utilizam desse fator “novelesco”, porém como se passam em um universo conhecido como o dos mutantes a familiaridade nos deixa mais propensos a dar uma chance a uma série com 10 volumes. Isso é algo que eu acho um ponto fraco das séries longas da Image pq se não for um título bem avaliado, ou com artistas renomados envolvidos, como Saga, Invincible, The Walking Dead, East of West, Black Science, Morning Glories, fica difícil fazer uma aposta com o dinheiro. Por isso eu prefiro qnd as séries curtas da Image de até 4 encadernados, pq dá para apostar no título e ser n for tão bom pelo menos a gasto foi pouco, e a image tem várias nesse estilo, Plutona, Dead Body Road, Rising Stars, Eu Mato Gigantes, Wayward, I Hate Fairyland, Tokyo Ghost.

    • Sim, concordo contigo, Arthur. No entanto, isso vai de cada um: às vezes tem gente procurando um título longo, vai saber! (Aliás, por quê a pessoa procuraria um título longo, meu deus?? Não faço ideia!! Rs) Por outro lado, o que eu sempre faço é o esquema test drive: compro o primeiro. Se eu gostar muito, vou em frente, comprando os outros “às prestações”. Se não, dou graças a deus por não ter gostado e não precisar desse compromisso. Como aconteceu comigo por exemplo em The Wicked and The Divine. Eu acho que Noble Causes vale o test drive do primeiro volume….

  • Luiz Henrique Macedo

    Olá Caruso! Adorei a recomendação e vou checar sem dúvida! Eu queria te perguntar o que mais você achou do traço, pois pra mim, o que me desanima um pouco em um quadrinho, é o traco variar demais, digo issoise a obra passar pela mão de desenhistas nao muito bons…não sei se estou escrevendo bobeira hehe, mas acho que isso acaba sendo um pouco pessoal também certo? Ah e te encontrei na ccxp e sou mega fã do seu trabalho 🙂

    • Aêê, Luiz! Bem vindo à Caverna! Então, o traço varia mais nas historinhas extras no final da revista (que não são tão importantes pra trama). Na trama principal, o traço é consistentemente ruim do início ao fim, rs. É o mesmo cara a maior parte do tempo. Eu só não acho esse cara muuuito bom.

  • Renato França

    Fernando,já leu ´´Olympians´´?. Vale a pena ser publicado aqui?.
    Dizem que é a versão genérica da ´´Liga da Justiça´´ cômica. Teve dois capitulos pela Marvel Epic.

  • Alexandra Gregório

    Aí eu amei, vou procurar pra ler, apesar que estou com uns 2 pra começar e um acabando agora, mas esse é teatral, enfim, vou procurar pra colocar na minha mesa pra ler antes de dormir!!!

    • O problema que esse ai é só em inglês, Alê! Tá com seu english em dia?? Kkkk

      • Alexandra Gregório

        Claro, n faço Fisk à toa né Kkkk, eu vi q era em inglês, mas mesmo assim eu gosto, português seria melhor né, mas é bom tbm, agora q entrei de férias do curso, vou continuar exercitando o inglês! Kkkk