CDC #30 – Capes

CDC #30 - Capes

Capes é mais uma criação do Robert Kirkman, de um volume só, que TODO FÃ DE SUPER-HERÓIS deveria conhecer! A premissa é muito simples: num mundo cheio de super-heróis famosões, tem que ter alguns não tão famosões. Então o que eles fazem? Se juntam num sindicato. É isso aí: um sindicato de Super-Heróis, que funciona como um “Super Corpo de Bombeiros”, enfrentando os super problemas do dia-a-dia, mas sem todo aquele drama de “o destino do universo está nas nossas mãos”. Tá mais pra “opa, deu meu horário, tenho que ir, com licença”.

Em paralelo a isso, vamos acompanhando a vida de alguns deles, como eles se relacionam, como eles resolvem seus problemas pessoais, a escolha de seus “super-nomes”, etc. É uma história bem simples, bem linear, mas que coloca um novo olhar sobre esse universo. E, em se tratando de um universo tão desgastado, inventado e re-inventado, zerado e retconizado, eu acho que vale muito, muito a pena!

O traço do Mark Englert vai direto ao ponto. Não é nada particularmente espetacular, com splash pages marcantes, mas acho que é proposital, para dar um ar meio super-mundano que a história precisa. Ele imediatamente te transporta para uma era em que os quadrinhos de super-heróis eram menos complexos e apenas divertidos, quando a gente sentia aquela empolgação com os aspectos mais básicos da história. Você volta com facilidade a ter 10 anos, vivendo num mundo mais simples.

Os personagens criados pelo Robert Kirkman também são muito legais. Super criativos, com aquele ar de “putz, como ninguém pensou nisso antes?”. Dá vontade de acompanhar cada personagem em sua revista própria, até ele ser cancelado no número 7 por falta de vendas. Porque apesar de carismáticos e originais, todos eles são extremamente “segundo time”, se é que vocês me entendem! Acho que aí que reside parte do charme da história!

Tô Lendovantagens
  • Um volume só. Comprou, completou. (Obviamente saiu em edições avulsas, mas eu me refiro ao encadernado, que é mais fácil de encontrar)
  • Publicado pela Image, não é nada alternativaço, você encontra em qualquer Amazon da vida.
  • Excelente pra quem ama super-heróis, mas está um pouco de saco cheio deles.
  • Excelente pra quem ama super-heróis, mas precisa de mais super-heróis ainda
  • Uma leitura fácil e muito rápida, que vai sumir da sua pilha de leituras sem tomar muito seu tempo
  • Vários novos personagens preferidos que você vai adorar conhecer
  • Apesar de ser situado no universo do Invincible, não precisa de nenhuma leitura prévia para a compreensão da história
Tô Lendodesvantagens
  • Não saiu no Brasil
  • Só em inglês
  • Quem não gosta de gente usando cueca por cima da calça provavelmente não vai gostar dessa revista
  • Os desenhos não são os mais inspiradores do mundo. O traço do Mark Englert lembra um pouquinho o John Bogdanove (de quem eu não sou… aham, muito fã), mas nada que comprometa a apreciação da obra…
  • Vai te deixar esperando um segundo volume para o resto da sua vida!

Recomento fervorosamente essa leitura para todos aqueles que amam Atomic Robo, Justice League International (do J. M. DeMatteis e Kevin Maguire) e Invincible.

Espero que alguém conheça, que alguém descubra e alguém goste!

Estou à disposição nos comentários! Troca uma ideia comigo!

Até a próxima e boas leituras!

Tô LendoAlgumas imagens!
CDC #30 - Capes
CDC #30 - Capes
CDC #30 - Capes
CDC #30 - Capes
2018-11-08T14:18:37+00:00 14 de novembro de 2018|20 Comentários
  • Ricardo Varotto

    Já botei na minha fila. Depois de terminar Invincible acabei emendando em The Boys, mas acho que vou fazer um intervalo para Capes e Invincible Universe.

    • É, pode ser um intervalo necessário, já que, pelo o que eu ouvi dizer, The Boys consegue ser um pouco “indigesto”…

      • Ricardo Varotto

        É, The Boys é meio pesado e até o inglês é mais difícil, porque os caras escrevem meio como os personagens falam, muita contração e palavras “erradas”. Na verdade, depois do Invincible comecei o Planetary, mas não me prendeu muito de início, então pulei para The Boys, já que ouvi falar que estão preparando uma série de TV. Mais tarde tento voltar ao Planetary.

        • Eu acho The Boys excelente. Mas é dureza mesmo. Lá pro meio eles parecem que vão dar uma aliviada até te sentar a porrada com um troço mega pesadão de novo. Mas curto muito. Devo ser meio doente, sei lá.

          • Não é culpa sua, é do Ennis. É tipo acidente de carro, não dá pra desviar o olhar. Por isso que eu mudo a rota.

  • Charles Alexandre

    Caruso ração de cachorro

  • Amalio Damas

    Só estou comentando pra você não se sentir sozinho (ouvindo MDM…), porque não leio in english e nem tenho dólares suficientes, mas quando sair vou prestigiar. Aparece mais no MDM e faz alguma coisa de gibi no Podcrastinadores, mesmo que só você fale, kkkkkk!!! E fala pro Studart parar de perder no UTC, ele senta rindo já, kkkkkk!!!! Grande abraço!

  • Amalio Damas

    Esse pega rapaz na foto foi proposital?

  • Jotta Santos

    Caramba caruso, que dica excelente, tu sabe que sou um dos apoiadores do bloco de quadrinhos lá do Podcrast ne?
    Mas… esse quadrinho aí tem uma pegada muito interessante, eu devo salientar que ja havia ouvido falar, mas nem me interessei, mas agora… vou ler…

    OBRIGADO

    • Opa! Obrigado a você por dar seu feedback aqui! Às vezes o mundo dentro do Bloco de Quadrinhos é meio solitário, kkk
      Fico feliz que você tenha gostado! Se você conseguir ler, vou querer muito saber a sua opinião! Ah, e querendo mais “bloco de quadrinhos” gravei um pod inteiro só com indicações de leituras com o pessoal do Tropa Dercy, tá aqui no “OUÇA”. (Ou no agregador de sua preferência!)
      Abração!

      • Jotta Santos

        Sou seu stalker a muito tempo, tu que me levou do MDM pra ser padrinho do Podcrast. Obs, FIZ uma caneca com a logo da CAVERNA do CARUSO

  • Comentei aqui por caridade

  • Duas coisas. 1) acho que essa dica foi quase pra mim, pq eu vi uma menção a Atomic Robo e JLI então já vou dar uma olhada em Capes. 2) vou te dizer que achei o jeitão do desenhista mais pra Erik Larsen do que Bogdanove, hein? Ok que ele deixa todo mundo com carinha de “balão inflado” que o Bogdanove usa, mas pelas poses e as cenas de porrada aí de cima, parece que o cara tem o Larsen aí como inspiração direta. Até nos estilo das onomatopeias também.

    • Sim, sou obrigado a concordar com você: eu acho que tem uma “larsenficação” na arte final. Tá meio “larsen final”. Mas o lápis é puro Bogdanove. Se não é Bogdanove, é quase. Bogdaoito e meio.