CDC #23 - The Maxx

The Maxx é um dos meus personagens favoritos, que muita gente nunca ouviu falar, e, quem já ouviu, não dá nada por ele. O personagem surgiu no meio do boom da Era Image no início dos anos 90 (talvez o motivo por ninguém dar nada por ele) e tinha um visual bem bizarro, com um uniforme roxo, uns dentões estranhos e garras amarelas em cada mão, não retráteis, que parecia que ele estava mandando alguém se f#¨*&r o tempo inteiro. Ah, e eu cheguei a mencionar que ele era mendigo? Pois é…

A história é a seguinte: ninguém sabe direito quem é esse The Maxx. Ele é um mendigão com essa roupa maluca que volta e meia se mete numa encrenca e precisa ser resgatado pela assistente social, Julie. Maxx, por sua vez, está sempre próximo dela, pois acredita ser seu protetor. O problema é que sua memória é um pouco confusa e às vezes ele se vê em uma savana, no meio de animais selvagens fantásticos, a serviço da Rainha dos Leopardos (ninguém menos que nossa assistente social, Julie). Essa troca de mundos levanta uma lebre: o que é verdadeiro e o que é imaginação? E o quanto um influencia o outro?

Os desenhos de Sam Kieth (um dos meus desenhistas preferidos) são um verdadeiro espetáculo! Desde os animais loucos que ele cria, aos cenários urbanos e selvagens, às vezes abusando de uma aquarela lindamente. Outra coisa curiosa: ninguém é gostosão na revista. Todo mundo tem uma barriguinha, um formato diferente, incluindo Julie, nossa heroína. Isso pra mim era um verdadeiro oásis no mundo halterofilista dos super heróis, ainda mais nos anos 90, ainda mais na Image Comics.

Mas o que a princípio poderia parecer mais um display visual de uma editora conhecida por priorizar a arte em detrimento de história, aos poucos vai se aprofundando, alcançando tons sombrios e muito interessantes. A relação entre os personagens vai revelando passados ocultos, traumas de infância e outras coisas pesadas, chegando até a abuso sexual. Pra quem começou lendo uma típica revista da Image, no final já me sentia lendo um título da Vertigo. Muito, muito, muito legal.

A série também gerou uma adaptação para desenho animado na MTV (junto com Aeon Fluxx e aquele outro do Cabeção), que eu considero a melhor adaptação de uma revista em quadrinho de todos os tempos! Não só eles conseguiram manter o traço peculiar do Sam Kieth, como também usaram seus enquadramentos, às vezes até dividindo a tela no mesmo formato dos quadrinhos da revista e os animando. Era como ver a revista em movimento (isso muito antes dos “icomics” surgirem). Vale a pena dar uma conferida!

A revista, se eu não me engano, teve pouco menos de 30 números, o que pra mim foi uma verdadeira lástima! Acho que ela aguentava até a casa dos sessenta com facilidade… Por outro lado, são menos números para completar a coleção e não houve brecha pra ela perder a qualidade.

Uma curiosidade: o Sam Kieth, a partir de um determinado número, começou a esconder pequenas mensagens no meio do texto legal de cada edição avulsa, a ponto de se comunicar com os leitores através delas! Muito divertido!

Essa aí vale a caça!

Tô Lendovantagens
  • A arte do Sam Kieth é espetacular!
  • As edições da Image foram todas encadernadas posteriormente, num trabalho de qualidade. Ou seja, você pode completar a sua coleção em meros 6 volumes lindíssimos, ao invés de ficar catando edição por edição ao redor do planeta, como eu fiz (e não me arrependo!!! Tenho muito carinho por essa coleção!)
  • Temáticas adultas e pouco comuns no universo de super-heróis
  • Personagens retratados de maneira realista
  • O autor demonstra um profundo conhecimento da alma humana
  • As cores são extremamente espetaculares!
  • O personagem principal tem um visual bem único e bad ass, que você vai ficar rabiscando no papel toda vez que estiver distraído no telefone, para o resto da sua vida.
Tô Lendodesvantagens
  • Nunca foi publicado no Brasil, tem que achar na gringa.
  • O traço do Sam Kieth (apesar de ser um dos meus preferidos) é meio “ame-o ou deixe-o”, tem muita gente que detesta (apesar de ser um dos meus preferidos. Já falei que é um dos meus preferidos?)
  • Algumas tramas mais pro final podem ficar um pouco confusas, um pouco cabeça de mais (ou eu que talvez seja meio lesado e não tenha conseguido entender mesmo… Até aí, eu também nunca entendi direito Crise nas Infinitas Terras, por exemplo.)

Bem, é isso! Até a próxima e boas leituras!

(Duvido que alguém conheça The Maxx, então não vou nem insistir nos comentários…)

Tô LendoAlgumas imagens!
CDC #23 - The Maxx
CDC #23 - The Maxx
CDC #23 - The Maxx
CDC #23 - The Maxx