Pode anotar: tudo que esse rapaz Ed Brubaker lançar junto com o Sean Philips, você pode ir atrás sem medo! E qual não foi minha alegria ao saber que a Editora Mino ia todo material da dupla pro nosso país? É o Brasil feliz de novo!

Falei aqui da dupla em priscas eras na coluna sobre Criminal, uma leitura muito bacana, que funciona tanto como histórias fechadas, tanto como série contínua, a medida que vai pintando um quadro mais abrangente e complexo onde todos os personagens vão se interligando. Mas, se você quer algo mais simples pra começar, vai de Pulp que não tem erro!

Pulp conta a história de um personagem de uma faixa etária muito específica, que atravessa dois gêneros do entretenimento muito famosos: o western e o noir. Acompanhamos o protagonista no “presente”, os anos 30, já em idade avançada, como autor de pulps, vivendo em uma grande cidade e tendo que lidar com os perrengues do mundo ubarno moderno. Aos poucos vamos descobrindo que as histórias que ele escreve são na verdade janelas para seu passado como um fora da lei no velho oeste americano em outra parte do país. Assim vamos conjugando passado e presente, entendo melhor esse personagem e se afeiçoando a ele por completo.

Além da arte do Sean Philips, que, mesmo sujinha, eu gosto muito, o que mais me chamou atenção foi essa sacada do autor. Pode parecer besteira, mas nunca tinha me ocorrido que alguém jovem no final de 1800 poderia estar na ativa para viver um romance policial noir nos anos 30! Eu sei, talvez eu não seja a maçã mais esperta do cesto, mas gente… achei isso genial!

É claro que Brubaker não se fia em uma única sacada, ele constrói uma trama muito envolvente, com excelentes ganchos e uma das melhores primeiras páginas de um gibi que eu já vi na vida, que eu faço questão de colar aqui embaixo:

Se você não ficar doido pra ler o resto dessa história depois disso, procure ajuda médica.

Tô Lendovantagens
  • Saiu aqui no Brasil! Êêê! Pela Editora Mino, que entrega no Brasil todo! Êêê de novo!
  • Volume único. Nada de complicações aqui.
  • Leitura ágil
  • Volta e meia a Mino faz umas promoções bacanas, então é bom seguir a editora no instagram
  • Cores belíssimas
  • Personagem cativante e narrativa envolvente. Uma aulinha de story telling!
Tô Lendodesvantagens
  • Por um acaso, velho oeste e romance policial são dois gêneros que eu comecei a gostar muito depois de velho.
  • Mas, se você é uma dessas pessoas que não gosta de nem um nem outro, talvez esse gibi não seja pra você, apesar de achar que a história é tão bem contada que os gêneros não são fatores decisivos.
  • A arte do Sean Philips pode confundir um pouco na hora de separar quem é quem na caracterização dos personagens. Mas como a história não tem muitos, acho que isso não chega a ser um problema.

E aí? Alguém já leu essa? Troca uma ideia comigo aqui na área de comentários! Lembrando que se você comprar a sua edição através desse link, você nos ajuda a manter o site no ar!

Tô LendoAlgumas imagens!