CDC #165 – Tex Frontera

Início/Caverna do Caruso, Destaques, Leia!/CDC #165 – Tex Frontera

Muito antes de virar um fã convicto de Tex, eu tive algumas pequenas incursões no universo “Texano”. A primeira foi o Tex na Patagônia, da editora Salvat. A segunda eu vou contar agora. SENTA QUE LÁ VEM A HISTÓRIA…

Tenho tido a sorte nos últimos anos de ser levado para a CCXP pela Globo, para apresentar alguns painéis da programação deles e fazer ativididades no estande do Globoplay. Além dessas tarefas, sempre muito divertidas, eu volta e meia tenho a chance de entre um horário no palco e outro, nerdear com alguns colegas de painéis, para compensar os outros 11 meses do ano conversando com civis e explicando porque a Mulher Maravilha não tá Marvel.

Um desses colegas foi o jornalista Rodrigo Fonseca, que, depois de inúmeros papos quadrinhísticos nos vai e vens da van que nos levava para o evento, decidiu me presentear com uma edição avulsa de Tex, a graphic novel Frontera. Fiquei muito enternecido com o gesto – minha maior prova de afeto é dar quadrinhos para as pessoas que eu conheço – por isso, passei por cima de qualquer T.O.C. para ler o material o quanto antes, independente da numeração.

Pra minha surpresa, mesmo se tratando da edição de número 2, a revista era completamente independente, muito bem desenhada e muito bem escrita. E também a cores, o que, em termos de Tex, é sempre uma vantagem!

A história era bem simples, um resgate numa prisão mexicana, mas com as reviravoltas de sempre pra te manter preso à trama. O que me chamou atenção mais mesmo foi a arte, que às vezes me lembrava um pouco Adam Kubert, às vezes um pouco Joe Kubert e às vezes até um pouco Moebius. As cores também fazem uma ambientação sensacional, deixando tudo com cara de um belíssimo quadrinho francês, o que é muito curioso, em se tratando de uma criação italiana, sobre a cultura americana! Um belíssimo sanduíche multi-cultural.

Por se tratar de uma história de Tex isolada, que pode muito bem servir de porta de entrada para qualquer a esse universo – tanto que serviu pra mim – eu fiz uma anotação mental de fazer essa indicação para os leitores aqui no site. Muitos anos se passaram, muitas leituras também, e, cá estou eu, pagando essa dívida à minha nota mental e fazendo essa resenha como agradecimento ao gesto carinhoso de um colega de van.

Tô Lendovantagens
  • Saiu no Brasil
  • Edição única
  • Capa cartão
  • Colorida
  • Muito bem desenhada
  • Volta e meia tem promoção na Loja da Mythos, então é bom ficar ligado
  • História boa, leve e fluida
Tô Lendodesvantagens
  • Talvez, pra quem queira se “aprofundar” no universo de Tex, essa edição seja rasa demais, sem muitos dos personagens recorrentes de suas histórias
  • É sempre bom lembrar que o quadrinho italiano costuma a remeter a uma época mais “romântica”. Então não espere aqui palavrões, nudez, sexo ou violência explícita em demasia. É tudo muito da cintura pra cima. Nessa mesma onda, o roteiro costuma ser bem linear, sem reinventar a roda. Nada disso eu considero uma desvantagem. Mas se você chegar na leitura esperando uma explosão mental, vai se decepcionar…

Espero que alguém curta e já tenha lido, para que possamos nerdear como se estivéssemos na mesma van! S2

Tô LendoAlgumas imagens!
2021-03-10T12:43:03+00:00 10 de março de 2021|0 Comentários