CDC #126 Verões Felizes

Início/Caverna do Caruso, Destaques, Leia!/CDC #126 Verões Felizes

A Sesi-SP é uma editora relativamente nova, que vem trazendo muito material bacana e diferente para o nosso país.

O prova disso é Sunny, que quando eu fiz a resenha tinha certeza absoluta que não veria a cor de nossas prateleiras, mas fui alegremente enganado por essa heroica e inusitada linha editorial. Outro grande acerto deles é Verões Felizes, que já tem três volumes publicados e aponta para um quarto!

A série conta a história de um casal com vários filhos e sua tradição de passar as férias no sul da França. Basicamente é isso. Mas a riqueza de detalhes desse álbum transforma uma atividade meramente cotidiana em uma verdadeira obra prima.

O pai é um quadrinista (belga, se não me engano) e trabalha incansavelmente. Muitas vezes precisa adiar as férias. A relação do casal não vai muito bem – não por nenhum motivo particular, mas pelo natural preço que o tempo cobra da vida. Seus filhos todos são cheios de manias e possuem personalidades muito marcante. E eu também percebo agora que eu sou péssimo em descrever os ricos detalhes dessa HQ. Mas eles estão lá, confia em mim.

A arte é um capítulo à parte. Meu deus, que desbunde. Ao mesmo tempo que ela não é exatamente realista, todas as feições remetem à pessoas que você tem CERTEZA que existem. Todas as caretas são engraçadas e consistentes com a fisionomia dos personagens ao longo das páginas. Os cenários são lindíssimos, você realmente se sente fazendo uma viagem de carro pelo sul da França. 

Aliás as cores ajudam muito nessa viagem. Os dias de sol, os dias de chuva, o mar, a montanha, nossa, tudo de tirar o fôlego. Tudo pintado à mão, parece. (Até porque se esse cara pintou tudo isso com o pé, alguém pelamordedeus dê um prêmio pra ele). Essa é uma daquelas peculiaridades do quadrinho europeu, que mais do que um produto de uma indústria cultural, parece mesmo uma obra de arte, feita com outro tempo, outro ritmo e muito mais esmero. O quadrinho europeu se aproxima muito mais da arte e da literatura que o quadrinho americano, nesse sentido, que está mais associado ao entretenimento de massa. Digo isso sem fazer julgamentos de valores pra ambos os lados (por incrível que possa parecer): acho que ambos têm seu valor e é importante saber onde você está entrando para apreciar devidamente suas particularidades.

Outra questão interessante, já que eu falei em “outro tempo” é que os volumes são apresentados em uma cronologia regressiva. O volume 2 ao invés de avançar a história pra frente, volta no tempo. Vemos os protagonistas mais jovens, um dos filhos não havia nascido, os cabelos ainda exibem seu jovial tom de preto… No volume 3 temos até a presença dos avós que, tudo leva a crer, já não estão mais entre nós no volume 1. Não entendi o propósito disso, mas achei interessante. E achei uma experiência válida ler os volumes de trás pra frente (na ordem cronologia da história, no caso). Na hora de emprestar pra minha mulher fiz exatamente isso e acho que ela nem notou que os números da capa estavam diminuindo… Mas a melhor maneira de ler, aqui, você decide..! (DEIXA PARA A ENTRADA DA MÚSICA)

Tô Lendovantagens
  • Saiu no Brasil!
  • Os três volumes são independentes, não há aqui um compromisso com o seu tempo. Você pode ler só o primeiro se quiser, que não vai ficar com aquela sensação horrorosa de “agora eu preciso saber o que vai acontecer!!”
  • A edição da Sesi SP é lindíssima, acabamento gráfico bem bacanudo
  • Capa cartonada!!!!
  • Arte deliciosa
  • Excelente para ampliar os horizontes de quem acha que quadrinhos precisam de viagem no tempo e raios lasers sendo atirado pelos olhos o tempo todo
  • Pode ser um excelente quadrinho catequizador para os marinheiros de primeira viagem
  • Também acho que seria um ótimo presente para os mais velhos, pelo ar nostálgico que exala na história
  • Unissex (com um espacinho prum sex ou outro, quando as crianças não estão olhando)
Tô Lendodesvantagens
  • Isso não é uma desvantagem, mas a história é bem leve. Então fica aqui um aviso, pra quem está esperando uma trama densa, uma reviravolta sombria ou algo nessa linha: não se decepcione. Leia, tome um sorvete, seja feliz.
  • Essa HQ não ganhou o destaque que merece. (Por mim devia estar no Jornal Nacional) Então isso significa que para achá-la, talvez você tenha que fuçar por ela nas lojas com atenção, pois a lombada é bem fininha e branca. Pode passar despercebida.
  • Às vezes você encontra ela embalada no plástico por aí, então vai ter que confiar em mim quando eu digo A ARTE É LINDA, PODE COMPRAR SEM MEDO
  • A essa altura eu já estou inventando coisas pra escrever aqui para não ficar uma caixa muito maior do que a outra

O quadrinho Europeu é todo um universo esperando para ser descoberto e desbravado, sem a complicação da cronologia de décadas que os comics americanos costumam ter. A Sesi SP também nos trouxe Blacksad, Valentina e Os Vampiros. Eu já falei aqui de XIII, Em Busca do Pássaro do Tempo e Um Pedaço de Madeira e Aço. Agora é sua vez, se você chegou até aqui me responda: qual a sua BD favorita?

Tô LendoAlgumas imagens!
Veroes Felizes
Veroes Felizes
Veroes Felizes
Veroes Felizes
2019-09-02T09:09:19+00:00 28 de agosto de 2019|0 Comentários