CDC #122 Renascida

Lançado receeeeentemente (porque não é tão recentemente assim) pela Panini, Renascida é mais uma daquelas belas acertadas do Mark Millar, autor que tantos amam odiar. MAS COMO A COLUNA É MINHA EU VOU FALAR BEM DELE SIM.

Numa enxurrada de materiais da Millarworld (selo criado por ele para seus títulos, que já foi até comprado pelo Netflix então TALVEZ NÃO SEJA TÃO RUIM ASSIM, NÃO É MESMO???), Renascida chamou minha atenção:

O primeiro foi a arte, que contou com ninguém menos que Greg Capullo, atual bam bam bam da indústria pela sua célebre fase no Batman, mas que eu sempre lembrarei por causa do Spawn mesmo (sou dessas). Além de caprichar nos detalhes como de costume, Capullo cria aqui muitos conceitos visuais interessantes, de monstros, uniformes, mundos e afins, que te fazem querer uma franquia com direito a bonequinhos, desenhos animados, videogame e cossplay.

O segundo motivo também está um pouco relacionado a isso. O conceito criado por Millar é bem interessante: no pós vida temos a chance de provar nosso valor. Reencontramos entes queridos e ganhamos ferramentas para uma nova existência num cenário bélico, meio Senhor dos Anéis, meio Guerra nas Estrelas (mas num sentido mais Caravana da Coragem). Até nossos animais de estimação voltam como guias, com um tamanho dez vezes maior. Acompanhamos a história da protagonista, a Renascida, que acaba tendo que lutar contra o assassino de seu marido no plano terreno (ah, e claro, as pessoas malvadas vão prum lugar malvado e ganham aparência extra malvadas). Mais do que a historinha em si, o universo é bem interessante e abre caminho para diversas tramas e possibilidades. Eu acho que poderia virar uma excelente revista de linha por exemplo, maaaaas esse não é o estilo do menino Mark, que é terminar a mini série e sair correndo, partindo pro próximo projetinho que pagará seu aluguel (nesse ponto me sinto um pouco forçado a concordar com algumas críticas feitas ao moço). Fosse ele capaz de delegar funções e gerir ideias como bem fez nosso querido guru Stan Lee nos anos 60, esse talvez pudesse se tornar em um universo rentável no mundo dos quadrinhos, amadurecendo até gerar novos frutos para outras mídias. Mas tudo bem. Agora tá na mão da Netflix, rezemos para que eles saibam aproveitar a qualidade do material ainda nessa vida (wacka wacka wacka).

Tô Lendovantagens
  • Saiu no Brasil
  • Não tem nem muito tempo e foi publicado pela Panini. Então você deve achar com alguma facilidade por aí.
  • Arte bacanuda.
  • Um volume só, comprou, acabou.
  • Vale ler de novo.
  • Mesmo se tratando de quadrinho americano, me lembrou alguns aspectos dos quadrinhos europeus, como Em Busca do Pássaro do Tempo
  • Temática original e diferente
  • Cachorro gigante. Não importa o contexto, cachorros gigantes serão sempre vantagem. E esse é bem fofo!
Tô Lendodesvantagens
  • Um volume só. Queria ler mais, muito mais.
  • Só em capa dura.
  • Alguma pessoas criticam o Mark Millar por resolver as coisas meio “apressadamente”. É possível que isso seja verdade aqui também. Mas sei lá, o cara tem as contas dele pra pagar, devia estar com a corda no pescoço, vai saber…
  • Se você for ler esperando algo muuito profundo, pode se decepcionar. É melhor ir na vibe da galhofa sessão da tarde.
  • Tenho certeza de que deve ferir muitas crenças espíritas, mas até aí, paciência. A mulher carrega uma espada e monta num cachorro gigante…

PS: Não confundir com o nome da novela, a novela se chamava RENASCER.

Tô LendoAlgumas imagens!
Renascida HQ
Renascida HQ
Renascida HQ
2019-07-02T18:31:12+00:00 3 de julho de 2019|0 Comentários