CdC #12 – Bob The Angry Little Flower

Início/Caverna do Caruso, Destaques, Leia!/CdC #12 – Bob The Angry Little Flower
CdC #12 - Bob The Angry Flower Stephen Notley

Bob The Angry Flower talvez seja a parada mais bizarra que eu já li. Pra começar, ele é uma Flor, é homem, e está constantemente de mal com a vida. Só o conceito de uma Flor pê da vida já é o suficiente pra me fazer rir. Mas a coisa não pára por aí. Bob The Angry Flower tem um senso de humor completamente anárquico, nonsense e cheio de referências obscuras.

Conheci o personagem através do seu próprio autor, que todo ano vende sua criação na convenção de San Diego, com uma Flor na cabeça, acredite se quiser. Comprei dois exemplares diferentes para experimentar (eu queria comprar um só, mas é muito difícil resistir a um homem vestido de flor) e até agora estou tentando entender a loucura desse universo que ele criou.

CdC #12 - Bob The Angry Flower Stephen Notley

Bob The Angry Flower segue o formato de tiras de uma página, sem nenhuma linearidade ou respeito à lógica. Numa página ele pode estar palestrando para 5 mil pessoas diante de um botão que diz “matar todo mundo”, na outra ele pode estar comandando um submarino Russo. Seus amigos incluem uma lasca de madeira e um feto voador com poderes telepáticos. Isso mesmo: Um feto. Voador. Com poderes telepáticos. As referências vão de monstros de filmes japonês, a Daleks de Dr. Who. Isso sem falar de inúmeras outras, que eu provavelmente não peguei!

O traço é rudimentar, mas serve bem ao seu propósito, dá uma sensação de que você está lendo uma tira que seu amigo do colégio fez, com aquela mesma liberdade de quando “a professora não está olhando”.

CdC #12 - Bob The Angry Flower Stephen Notley

O Bob às vezes também é heroico! (Mas é bem “às vezes”! Porque a maioria das outras vezes ele está preferindo explodir a Terra ou acabar com a humanidade). Entre as minhas tiras preferidas estão os confrontos com o vilão Hamster Dropper, que só faz isso: ameaçar deixar um Hamster cair no chão, para desespero de todos. Cabe ao agora nosso herói Bob The Angry Flower se atirar em câmera lenta no melhor estilo Michael Bay pra salvar o dia. E é isso. Na página seguinte ele já está no espaço sideral, fazendo outra coisa.

Esse é um título sem igual. Se você acha que você já viu de tudo, basta comprar um Bob The Angry Flower. Só um. E ler as primeiras três tiras. Você vai ver como tem gente louca no mundo e como suas ideias mais malucas talvez não sejam tão malucas assim. Conheça um pouco mais do personagem em www.angryflower.com

Tô Lendovantagens
  • Os livros não têm ordem. Pode pegar qualquer um, não precisa se preocupar em achar o primeiro. Todos eles são igualmente esquisitos.
  • É uma excelente leitura interrompida. Pode ler umas duas três páginas por dia e parar por aí, que você vai ter sua dose diária de floricídio administrada.
  • Você nunca viu nada igual
  • Ótimo pra mostrar pros seus amigos no melhor estilo “olha isso aqui, olha isso aqui” pois eles também não vão ter visto nada igual.
  • Perfeito pra quem curte um senso de humor mais nonsense tipo Guia do Mochileiro das Galáxias, Monty Python e Ionesco.
  • Como é uma produção independente, você vai estar ajudando esse nobre maluco vestido de flor a alimentar as suas crianças. Ou mudas, vai saber.
  • Minha mulher gostou. É raro, isso.
  • Referências nerds. Quem não ama referências nerds?
Tô Lendodesvantagens
  • Só em inglês.
  • Preto e Branco (tem gente que não gosta)
  • Produção independente, não faço a menor ideia de como encontrar os livros. Acho que no site dele talvez. Com certeza na amazon!
  • As tiras demoram um tempinho pra acostumar. Elas sempre parecem que vão ter continuação e acabam com um final muito, muito abrupto. Mas essa é um pouco da graça. Quando você entende esse timing, você vai achando cada vez mais engraçado.
  • Os formatos dos livros são completamente diferentes um do outro, o que dificulta na hora de botar na estante. Talvez o ideal seja deixar na sua mesinha de centro, pra todo mundo que entrar em casa perguntar ‘que p**** é essa??’
  • O traço do cara é bem rabisco mesmo. Também demora um tempo pra acostumar e vencer a sensação de que “não é possível, esse cara tá de sacanagem com a minha cara desenhando desse jeito”.
  • Se ele é uma ótima leitura interrompida, é uma péssima leitura contínua. Tentar ler um livro inteiro sem parar é pedir pra dar entrada num manicômio.

Bem é isso. Espero que eu tenha ajudado alguém a achar seu novo personagem favorito. Se quiser acrescentar ou saber mais alguma coisa, please, deixe nos comentários, que eu responderei com prazer e com muito mais caracteres dos que são permitidos no Twitter!

Até a próxima e boas leituras!

Tô LendoAlgumas imagens!
CdC #12 - Bob The Angry Flower Stephen Notley
CdC #12 - Bob The Angry Flower Stephen Notley
CdC #12 - Bob The Angry Flower Stephen Notley
CdC #12 - Bob The Angry Flower Stephen Notley
CdC #12 - Bob The Angry Flower Stephen Notley
CdC #12 - Bob The Angry Flower Stephen Notley
2018-03-06T15:11:03+00:00 14 de março de 2018|12 Comentários
  • Gabriel Ferreira

    Boa Noite Caruso, tudo bem?

    Você já leu Gantz? se sim, o que achou?

    • Simmmm! Um dos meus mangas mais preferidos de todos os tempos! Tem coluna pronta sobre ele! Aguarde aqui! (E espero contar com o seu imput sobre a coluna nesse dia!)

      • Gabriel Ferreira

        Eu gostei
        Mas achei o.final meio cagado
        O meu maior problema com o Gantz, era que as vezes eu não sentia medo pelos personagens
        Mas a obra em si, é muitoo boa

        • Engraçado, Gabriel! Eu me cagava de medo pelos personagens! Tinha vários que eu queria que não morressem e… bem… Gantz, né?

  • Na moral, só na caverna pra achar umas coisas assim! Hahaha
    Fiquei curioso

  • Me lembrou um pouco MAD. Fiquei curioso..

    • O desenho do cara lembra mesmo! Mas te garanto que e o roteiro consegue ser ainda mais “mad” que a MAD! Quando matar sua curiosidade, volte aqui para dar seu parecer! Abs!

  • Léquinho Maniezo

    Gostei, parece muito legal e puta que pariu como que se descobre essas coisas? Eu queria que passasse um cara vestido de flor vendendo gibi aqui na rua (o que seria, no minimo, bem estranho). Dei uma olhada nas tiras e parecem bem legais mesmo, o cara desenha o que vem na cabeça, isso é ótimo, tem que desenhar mesmo a porra toda toda hora o tempo todo e enfiar um milhão de ideia maluca no gibi, gibi é pra isso.

    Bom, como diria o próprio autor da HQ, FERNANDO RULEZ. Até semana que vem.

    • Hahahahahahahaha Valeu, cara! Nos “vemos” semana que vem!

  • Fábio Ochôa

    Eita Caruso! Outra dica pra lá de obscura. Interessou pacas.
    Um amigo me passou outra, pra lá de esquisita dias destes, chamado Arsenic Lullaby. Bem… é uma daquelas coisas tão, mas tão diferentes em termos de humor que até deixa você sem reação. Para ter uma ideia, são tramas pequenas, de uma a quatro páginas, mas o nível nonsense histericamente engraçado e errado da obra pode ser medido em escala Richter. Uma das histórias – a qual infelizmente acho que vou lembrar pra sempre – um homem descobre uma fórmula que ressuscita os mortos e resolve criar um exército de zumbis para dominar o mundo. Porém, como ele mora em um apartamento de um quarto, pequeno demais para juntar qualquer exército, ele resolve a situação indo a uma… clínica de abortos, para juntar um exército de fetos-zumbis.
    Acho que isso já dá uma boa ideia…
    Caso bata a curiosidade: http://arseniclullabies.com/
    Bom, a vantagem é que quando alguém lhe perguntar pela bilionésima vez qual o limite do humor, você vai poder jogar Arsenic Lullaby na cara da pessoa e sair correndo.
    O limite do humor é um exército de fetos-zumbis amontoados em um apartamento.