CDC #118 – Paciência

Início/Caverna do Caruso, Destaques/CDC #118 – Paciência
Paciência HQ

Bastou um livro para eu virar fã incondicional do Daniel Clowes, que foi Wilson, uma leitura absolutamente realista, amarga e irônica. Mas ao ler um segundo livro dele, solidifiquei minha posição de fã incondicional, mesmo uma leitura não tendo NADA a ver com a outra!

Paciência é uma HQ estranhíssima. Conta a história de um camarada bem mediano, que sofre uma tragédia e após ser atormentado por ela a sua vida toda, decide voltar no tempo para impedi-la. Não vou dar muitos detalhes, para não dar spoilers. Porque, sim, há segredos para serem revelados. Mas o que você precisa saber é que a trama, cheia de contornos exagerados e quase surrealistas, consegue também ser extremamente verdadeira e pé no chão de um jeito bem mundano, não sei nem explicar direito como isso é possível. Quando você folheia, você pensa que vai ser uma leitura psicótica, meio viagem de ácido, meio andy warhol, em parte por conta das cores gritantes e chapadas que permeiam a história, bem como o traço estranho do Daniel Clowes (ele escreve e desenha), que lembra aquelas coisas estranhas dos anos 80, tipo Garbage Pail Kids (ou Gang do Lixo, aqui no Brasil – você tinha esse álbum de figurinha?). Mas basta ler a primeira linha de diálogo, pra ter certeza de que aquilo se trata de pessoas reais, pessoas que existem, têm sentimentos verdadeiros e poderiam ser alguém que você conheça ou até um pouquinho de você mesmo. Muito estranho.

Ao mesmo tempo que o aspecto realista está estabelecido nos diálogos e nas motivações de cada personagem, o aspecto de ficcção científica não faz feio e conta uma boa história de viagem no tempo. Afinal, quem não ama uma boa história de viagem no tempo, não é verdade? É como diz o samba: “quem não gosta de uma boa história de viagem no tempo… bom sujeito não é!” (Ou algo assim)

Mas vamos às vantagens e desvantagens:

Tô Lendovantagens
  • Lançado no Brasil pela Nemo, que tem forte presença nas livrarias, então não deve ser difícil de encontrar e talvez até garimpar por um desconto.
  • Uma trama quase policial, o que te prende na leitura num ritmo razoavelmente acelerado.
  • Um bom respiro pra quem quer colocar os pezinhos fora do mundo dos Super Heróis.
  • Uma leitura unissex.
  • Boa para catequizar não leitores de quadrinhos.
  • Excelente para tirar ondinha de intelectual alternativex em bares que vende cerveja de garrafa
Tô Lendodesvantagens
  • A arte é esquisitinha numa primeira vista, o que pode gerar uma folheada desfavorável na hora de conferir se vale a pena ou não. Mas esquece a folheada e confia na minha palavra: VALE A PENA. Quando foi que eu falhei com você? (Não precisa responder)
  • A capa e o título não são muito convidativos numa livraria ou mesmo dão uma ideia do que vai se tratar a história, então é bem capaz dela passar batida por você, caso não a esteja procurando.
  • De vez em quando (muito de vez em quando) a tradução tem uma certa cara de texto traduzido.

E agora me conta: qual teu Daniel Clowes preferido??

Tô LendoAlgumas imagens!
Paciência HQ
Paciência HQ
Paciência HQ
Paciência HQ
Paciência HQ
Paciência HQ
2019-05-14T15:10:10+00:00 8 de maio de 2019|6 Comentários
  • Mariana Cabral

    O desenho é estilosão, mas de vez em quando me dava um nervoso da cara de cu da personagem principal (Paciência). Ela tava sempre com uma expressão de desamparo, isso deixava a personagem com cara de burra, só o cara que fica querendo salvar ela é o fodao, com cara de fodao. homem desenhando ne mores. Mas fora isso é divertido!

    • Engraçado, achei o cara bem com cara de psicopatinha… Aliás na imagem dele mais novo aqui no site ele me pareceu bem bundamolão! O Daniel Clowes parece ter essa mania de caras estranhas… agora que você falou, nos outros trabalhos dele isso me parece ainda mais recorrente!

  • Ricardo Varotto

    Realmente, o efeito da arte, capa, título, etc. é exatamente esse que você descreveu. Mas eu vou confiar em você…

  • Guilherme Pereira

    seria essa a hq do Dr. Emmett Brown alternativa?

    • Olha, Guilherme… eu não acho ela “bastante” maluca, eu acho ela “um pouco” maluca, serve? Depois de ler David Boring e Como uma Luva de Veludo (…) então, acho Paciência pé-no-chãozaça!
      E respondendo a sua pergunta: não! Esquece De Volta pro Futuro. Estamos bem longe da encantadora Hill Valley aqui. Aqui o buraco é mais embaixo! rs