CDC #116 – Repeteco

Início/Caverna do Caruso, Destaques, Leia!/CDC #116 – Repeteco
CDC #116 - Repeteco

Sou fãzaço do Brian Lee O´Maley. Amo Scott Pilgrim, tanto o quadrinho quanto o filme, também tenho Overseas (que saiu aqui como À Deriva) e sigo ele no instagram. Por isso afirmo aqui com gosto que Repeteco é a melhor coisa que eu li dele até agora.

A trama conta a história de uma jovem chef de cozinha que ganha a chance de voltar no tempo e corrigir o que ela considera ser os seus erros – por isso o nome, Repeteco, que é o nome do seu restaurante, brincando tanto com a ideia de repetir o prato e quanto de “segunda chance”. Fiz esse pequeno parênteses (sem os parênteses, eu sei – mas ei, olha eles aí agora!), porque a escolha da tradução do nome gerou um auêzinho no instagram. Muitos leram o título original (Seconds) como “segundos”, de relógio. Embora essa seja uma das quatro interpretações possíveis (1 – nome do restaurante; 2 – repetir refeição; 3 – segunda chance; 4 – contagem de tempo), não é nem de longe, a única e nem de longe a mais chamativa em minha opinião. Então, ponto para Companhia das Letras e sua equipe de tradução!

Seconds - Brian Lee O´Maley

Aliás, a tradução é ótima, usa gírias organicamente, dá personalidade às falas de cada personagem, não perde o timing e mantém as piadas. É bem raro ler algo traduzido sem ter em algum momento aquela maldita sensação de um maldito filme dublado, mas Repeteco conseguiu isso com louvor!

Brian (fiquei íntimo agora) está em sua melhor forma, com uma trama concisa, bem menos “pra tudo quanto é lado” que Scott Pilgram Vs O Mundo, mas não menos instigante ou engraçada. Sua arte também parece mais firme e mais madura, com uma diagramação extremamente fofa e bem feita, muitas vezes no centrinho da página e um trabalho de cores bacanésimo. Eu já esperava gostar de Repeteco, mas me surpreendi gostando mais ainda! É uma leitura bem gordinha, dá um certo medo na hora de começar, mas quando vai flui que é uma beleza!

Tô Lendovantagens
  • Saiu no Brasil pela Companhia das Letras, o que significa que deve ser relativamente fácil de achar nas livrarias (difícil agora é achar livrarias)
  • Excelente leitura para engajar novos ou não leitores de quadrinhos
  • Leitura unissex
  • Edição da Companhia das Letras é fofésima
  • Personagens engraçados, situações bem realistas com aquela pitadinha de humor meio mangá
  • Leitura muito fluida
  • Arte lindinha
Tô Lendodesvantagens
  • Às vezes era fácil confundir os nomes (sempre esquecia quem era Max, Andrew e Arthur, mas pode ser que seja um problema só meu). Isso não é fundamental pra trama, mas um pouquinho de atenção na hora de ler é bem vindo.
  • Não é dos melhores finais do mundo, mas não compromete a jornada nem um pouco
  • É uma leitura que tende a passar rápido. Então se você não gosta muito disso, pode ficar com uma sensação de gastei meu dinheiro à toa. Mas por outro lado, ela tem muitas páginas e pede uma releitura. Então acho que essa desvantagem se anula sozinha.

Eu esqueci de falar que o livro todo tem um narrador, com quem a protagonista volta e meia discute. É muito engraçado. Em particular porque eu – não sei por quê – imaginei a voz do Morgan Freeman o tempo o todo, o que dava uma solenidade pras narrações e deixava ainda mais engraçado as quebras da Katie (lembrei o nome dela só agora, foi mal). Eu acho que esse livro daria um filme ou série BRILHANTE na Netflix. Ouviu, Netflix?

E você? Leu? O que achou? Falacomigo

Tô LendoAlgumas imagens!
Repeteco - - Brian Lee O´Maley
Repeteco - Brian Lee O´Maley
Repeteco - Brian Lee O´Maley
Repeteco - Brian Lee O´Maley
2019-04-11T06:23:00+00:00 10 de abril de 2019|15 Comentários
  • Cara, eu adorei Seconds. Amo Scott Pilgrim desde o iníciozinho (e muito por acaso, diga-se de passagem), mas confesso que senti uma desapontada no finalzinho. Seconds eu achei mais redondo que Scott.

    Adoro o traço “mangá à canadense” do O’Malley e queria que ele lançasse mais coisas com mais frequência. Ainda não li esse À Deriva, porém. Vou dar uma catada.

    • À Deriva é um pouco mais “perdido” (no pun intended) que Seconds AND Scott Pilgrim. É um trabalho meio experimental de um autor ainda em início de carreira. O amadurecimento dele em Repeteco é notável! E o trabalho de tradução/adaptação ficou muuuito legal!

      • Guilherme Eduardo Muller

        Sem falar que Scott Pilgrim e A Deriva parecem que foram escritos a medida que ele ia desenhando, sem um plano pré-definido, Repeteco parece que teve um roteiro bem trabalhado antes de virar quadrinho.

        • Muito bem observado, Guilherme! No Repeteco, inclusive, o Brian Lee O´Maley agradece a umas pessoas no final, que eu acho que ajudaram a coisa a ficar menos “moda à caralha” de alguma maneira.

  • LK

    Deu mega vontade de ler.
    Quais atores-atrizes nacionais ou de fora você escolheria pra ser cada um dos personagens principais, caso virasse Sérieflix ou Filme?

    • Putz, pergunta difícil… Acho que nacionais eu escolheria Bianca Comparato ou Maria Flor e internacionais eu acho que a menina do Good Place ou a de Boneca Russa. A menina do Girlboss também seria uma boa. A verdade é que são personagens tão bons e tão ricos que eu acho que eles não dependem tanto de um casting magnífico pra “salvar”…

      • LK

        Você nunca pensou em transformar, nem que fosse em Tirinhas, o Detetive Brito?? Era um puta personagem legal do ESTRANHA MENTE e acho que cairia bem nesse formato também.
        Aliás, ce nunca pensou em voltar com ele pro Zorra?

        • Guilherme Eduardo Muller

          Acho que a Mae Whitman (DUFF e As Vantagens de Ser Invisível) seria muito boa como a personagem principal.

        • Nunca pensei em transformar o Brito em tirinhas, porque a graça dele tava mais no exagero e no sotaque do que em piadas propriamente ditas… Mas por outro lado eu também nunca pensei em transformar nenhum dos meus personagens em tirinhas, então acho que ele não tinha muita chance mesmo! Rs
          Eu adoraria fazer o Brito (ou qualquer outro personagem do Estranha Mente) no Zorra, mas essa transição não é tão simples assim. Acho que nem pode!
          Mas se algum dia me derem um programa de streaming, pode ter certeza que VOLTA TODO MUNDO!!! kkk

  • Guilherme Eduardo Muller

    Li ele em inglês, pois Scott Pilgrim fez eu virar fã do autor, me fazendo até comprar “Lost at Sea”. De longe, Repeteco é o melhor trabalho do Bryan, muito mais instigante e que causa uma empatia com a personagem mais facilmente que os seus antecessores.
    Eu adorei esse livro, e leio ele com frequência, só por diversão mesmo…
    Mas fico imaginando que legal seria se um artista nacional fizesse o Temer na mesma situação… hahahaha

    • Nossa, a última coisa que eu queria era que o Temer tivesse o poder de voltar no tempo!!! Kkkkkk (cada K uma lágrima)

      • LK

        HAHAAHAHAAH taí um bom nome pra uma HQ “CADA “K” UMA LÁGRIMA”.

  • Leonardo Giuliano

    Depois que li Scoot Pilgrim, fiquei muito fã do O’Malley e quando soube que a Cia. das letras ia lançar Repeteco fiquei na expectativa e conseguiu superar as minhas expectativas seja na arte ou o roteiro quando eu li; até recomendei para a minha irmã ler sendo que ela não é muito fã de HQs.

  • Ricardo Varotto

    Você me convenceu. Comprei.