CDC #111 – Madeira e Aço

Início/Caverna do Caruso, Destaques, Leia!/CDC #111 – Madeira e Aço
CDC #111 - Madeira e Aço

A Pipoca & Nanquim é uma editora muito bacana que vêm lançando um material diferenciado aqui no Brasil já tem um tempo. Eu, que até então não tinha lido nada deles, não poderia ter começado melhor, com Um Pedaço de Madeira e Aço, do Chabouté.

Esse é um quadrinho todo sem texto, salvo algumas incidências ocasionais de onomatopeias aqui e ali, uma camiseta, uma gravura, etc., que consegue, ainda que sem palavras, contar inúmeras histórias, tendo como protagonista um banco de praça! Não, não espere aqui velhas surdas e Jorge Lafom: no enredo temos várias tramas sensíveis, que se resolvem de maneira inteligente e fazem um retrato bem fiel do nosso cotidiano e das mais variadas relações e através de gerações e tipos de pessoas diferentes.

A arte é muito eficaz e prende a atenção do leitor, que, como voyeur, desvenda com muita atenção as pistas deixada pelo autor para concluir cada pequeno arco dos personagens. Temos jovens skatistas, casal de idosos, mendigos e policiais, e muito mais, num bem servido volume capa dura de muitas páginas.

Aliás, a edição da Pipoca & Nanquim é primorosa, trata o consumidor de quadrinho com o mesmo respeito que os europeus. Eu fiquei muito curioso para saber como foi o processo de adaptação, posto que tem muita coisa alterada na arte direta da revista, sem apelar para asteriscos com traduções no rodapé. Um trabalho realmente muito bem feito, que merece ser conhecido pelos amantes da Nona Arte e boas histórias em geral!

Tô Lendovantagens
  • Um volume só
  • Apesar de enorme, passa muito rápido, pois quase não tem texto
  • Apesar de passar muito rápido, não dá uma sensação de mau investimento, posto que é enorme e tem muitas histórias.
  • Leitura extremamente sensível sem chegar a ser deprê (quer dizer, tem momentinhos deprê, mas nada que destrue seu dia – detesto leitura deprê. Tô até hoje p**** com a JBC pelo Cão que Guarda as Estrelas, que cada vez que eu lembro eu quero morrer um pouquinho)
  • Arte super bacana
  • Edição supimpa, no formato livro, com capa dura de verniz fosco, tratamento super classudo
  • Excelente para leitores de primeira viagem, gente que nunca leu um quadrinho na vida!
Tô Lendodesvantagens
  • Preto e branco. Não atrapalha nem um pouco, mas uma corzinha talvez ajudasse ainda mais a ambientar as mudanças de estação. Sei lá, sempre penso na Cris Peters nessas horas…
  • A leitura precisa de um pouquinho de atenção, para diferenciar um velhinho de outro, pois no meio de tantos personagens, eles acabam se parecendo. Essa mesma atenção vai te compensar no final da cada “piadinha” do autor. Coloquei aspas porque é um humor bem gentil – volto a repetir, não esperem velhas surdas, Cocada e Jorge Lafom.
  • A capa é preta e discreta, pode passar meio batido numa livraria. É bom estar atento quando passar por ela.
  • A essa altura eu já estou inventando desvantagem para equilibrar os boxes de texto das vantagens e desvantagens…
  • …e eles ficarem mais ou menos do mesmo tamanho

E você? Já conhecia esse título? Deixe aí seu parecer!

Tô LendoAlgumas imagens!
CDC #111 - Madeira e Aço
CDC #111 - Madeira e Aço
CDC #111 - Madeira e Aço
2019-01-25T18:20:00+00:00 23 de janeiro de 2019|29 Comentários