CDC #111 – Madeira e Aço

Início/Caverna do Caruso, Destaques, Leia!/CDC #111 – Madeira e Aço
CDC #111 - Madeira e Aço

A Pipoca & Nanquim é uma editora muito bacana que vêm lançando um material diferenciado aqui no Brasil já tem um tempo. Eu, que até então não tinha lido nada deles, não poderia ter começado melhor, com Um Pedaço de Madeira e Aço, do Chabouté.

Esse é um quadrinho todo sem texto, salvo algumas incidências ocasionais de onomatopeias aqui e ali, uma camiseta, uma gravura, etc., que consegue, ainda que sem palavras, contar inúmeras histórias, tendo como protagonista um banco de praça! Não, não espere aqui velhas surdas e Jorge Lafom: no enredo temos várias tramas sensíveis, que se resolvem de maneira inteligente e fazem um retrato bem fiel do nosso cotidiano e das mais variadas relações e através de gerações e tipos de pessoas diferentes.

A arte é muito eficaz e prende a atenção do leitor, que, como voyeur, desvenda com muita atenção as pistas deixada pelo autor para concluir cada pequeno arco dos personagens. Temos jovens skatistas, casal de idosos, mendigos e policiais, e muito mais, num bem servido volume capa dura de muitas páginas.

Aliás, a edição da Pipoca & Nanquim é primorosa, trata o consumidor de quadrinho com o mesmo respeito que os europeus. Eu fiquei muito curioso para saber como foi o processo de adaptação, posto que tem muita coisa alterada na arte direta da revista, sem apelar para asteriscos com traduções no rodapé. Um trabalho realmente muito bem feito, que merece ser conhecido pelos amantes da Nona Arte e boas histórias em geral!

Tô Lendovantagens
  • Um volume só
  • Apesar de enorme, passa muito rápido, pois quase não tem texto
  • Apesar de passar muito rápido, não dá uma sensação de mau investimento, posto que é enorme e tem muitas histórias.
  • Leitura extremamente sensível sem chegar a ser deprê (quer dizer, tem momentinhos deprê, mas nada que destrue seu dia – detesto leitura deprê. Tô até hoje p**** com a JBC pelo Cão que Guarda as Estrelas, que cada vez que eu lembro eu quero morrer um pouquinho)
  • Arte super bacana
  • Edição supimpa, no formato livro, com capa dura de verniz fosco, tratamento super classudo
  • Excelente para leitores de primeira viagem, gente que nunca leu um quadrinho na vida!
Tô Lendodesvantagens
  • Preto e branco. Não atrapalha nem um pouco, mas uma corzinha talvez ajudasse ainda mais a ambientar as mudanças de estação. Sei lá, sempre penso na Cris Peters nessas horas…
  • A leitura precisa de um pouquinho de atenção, para diferenciar um velhinho de outro, pois no meio de tantos personagens, eles acabam se parecendo. Essa mesma atenção vai te compensar no final da cada “piadinha” do autor. Coloquei aspas porque é um humor bem gentil – volto a repetir, não esperem velhas surdas, Cocada e Jorge Lafom.
  • A capa é preta e discreta, pode passar meio batido numa livraria. É bom estar atento quando passar por ela.
  • A essa altura eu já estou inventando desvantagem para equilibrar os boxes de texto das vantagens e desvantagens…
  • …e eles ficarem mais ou menos do mesmo tamanho

E você? Já conhecia esse título? Deixe aí seu parecer!

Tô LendoAlgumas imagens!
CDC #111 - Madeira e Aço
CDC #111 - Madeira e Aço
CDC #111 - Madeira e Aço
2019-01-25T18:20:00+00:00 23 de janeiro de 2019|29 Comentários
  • Alexandra Gregório

    Eu achei interessante, depois q vi algumas fotos do livro, me deixou com mais vontade de ler, a arte realmente me chamou atenção!!! Aqui na caverna eu encontro leituras maravilhosas, só vai enchendo minha gaveta de leituras(sim eu tenho, infelizmente n tenho um móvel só pra botar livros e quadrinhos, mas um dia eu vou ter kkkk) então graças a Caverna eu acho várias leituras que nunca pensei em achar e gostar…

    • Esse aí eu acho que você vai gostar, Alexandra! O jeito de contar história lembra um pouco o Pétalas. Mas talvez seja uma boa começar a investir nesse móvel aí… rs

      • Alexandra Gregório

        Vou investir sim kkkk, pedir para o meu avô, ver se ele compra e manda fazer pra mim aqui no meu quarto, kkk, mas mesmo com a gaveta, fica tudo organizado, Deus me livre alguma coisa fora do lugar, dou crise, meus livros de teatro, meus quadrinhos e meus livros, tudo certinho!!

  • Ricardo Pires Ferreira

    Eu achei uma leitura maravilhosa, sério candidato a “gibi do ano”, e entrou no meu top 3 de gibis de 2018. Uma obra sem textos, mas ao mesmo tempo com muita sensibilidade e uma infinidade de informações sendo passadas a cada página. É aquela leitura onde você admira a página, deixa a mente viajar naquelas pequenas fatias de cotidiano que são exibidas e se deslumbra com quantas histórias são contadas (algumas ele te mostra o final, outras não, outras cabe a você imaginar como terminou…). Sou obrigado a admitir que os olhos marejaram na pagina final. Achei um gibizaço!

  • Alexandra Gregório

    Caruso eu esqueci de falar, estou fazendo um livro pra vc, n sei se vc vai lembrar, em 2015, quando comecei a fazer o fc, então, postei q tava fazendo uma carta, vc até falou pra eu focar no boletim, enfim, tô fazendo tudo dnv, pq sem querer minha mãe jogou fora a carta q tinha várias páginas, sim era um livrinho né, então tô fazendo tudo de dnv, no dia q te conhecer vou te entregar o meu livrinho kkkk, sei q vc ama ler q nem Eu, então, feito com todo carinho e amor do mundo!!!

  • Gabriel Soares

    Em uma live do Caruso no Instagram ele me indicou esse material, quando perguntei sobre… gente não me arrependo de ter conseguido ler a obra prima que é essa HQ.

    • Aêêê! Que bom que você leu, Gabriel! E que bom que você gostou!

  • Ricardo Varotto

    Sem palavras.

  • Ricardo Varotto

    O material da Pipoca e Nanquim costuma ser muito caprichado.

    • Acabei de ler Beowulf deles e é bem por aí mesmo! Que acabamento, rapaz!!!

      • Ricardo Varotto

        Eu comprei o Blood que eles editaram. Como eu ainda tenho os volumes da Graphic Novel original, pude comparar. A publicação deles é bem melhor.

      • Ricardo Varotto

        Eu comprei o Blood que eles editaram. Como eu ainda tenho os volumes da Graphic Novel original, pude comparar. A publicação deles é bem melhor.

        Falando em Blood, me lembrei de outra série do DeMatteis, esta com doze edições, chamada Moonshadow. Publicada por aqui pela Editora Globo em 1990/91. Você conhece essa? Fantástica, e com um trabalho de arte belíssimo. Se conhece, seria legal publica algo por aqui. Mas nesse caso, acho que teria de ser no Rebobinando (alô, Kadu!). Se não conhece, tenho todas as edições e se você quiser posso te emprestar. Tenho certeza de que você iria amar. Dê uma olhadinha aqui nas artes para ter uma noção da arte.
        https://uploads.disquscdn.com/images/e48bc543d4da2ff3f08cd75c78c02a3fda98c7c83b34717fec38e0efd9ce700b.jpg

        • Conheço sim! Tenho um encadernado. Acho a arte brilhante, mas o roteiro chatíssimo… É uma das HQs que eu mais odeio!! kkkkkk

          • Ricardo Varotto

            Bola fora mode: ON

            A última vez que li foi na época da publicação (ou seja, há quase trinta anos). Mas apesar da história arrastada, me lembro de ter gostado do climão meio etéreo. Não sei se gostaria tanto se relesse hoje, mas tenho certeza de que não odiaria.

            Pelo menos uma coisa parece ter ficado certa: nunca veremos Moonshadow na Caverna…

          • Hahahahahahahaha Bola fora nenhuma, Ricardo! Gosto é assim mesmo! Essas coisas mais “confusas” não me agradam mesmo. Deteste o Doutor Estranho Shamballa, por exemplo!
            Mas, sim, pode ter certeza de que não veremos aqui na Caverna.
            (Talvez na segunda, no Rebobinando, aqui do lado)

  • Ricardo Varotto

    Quanto à adaptação, ainda não assisti ao vídeo a seguir, mas pode ser que eles expliquem o processo, como costumam fazer nestes vídeos.

    https://www.youtube.com/watch?v=dWZ6Gh1q29c

  • Ricardo Varotto

    Compradaço.

    • Ricardo Pires Ferreira

      Não vai se arrepender, xará.

  • Bruno Messias

    O Sifão não cansa de recomendar esse livro no Confins do Universo. Nao vejo a hora de ler, mas a pilha tá grande… E só crescendo, depois que comprei um Switch. Bem que você fala que ou se é nerd de quadrinhos ou de videogames… Tudo junto não dá tempo!
    A arte é do Allred, ou só segue o mesmo estilo?

    • Sifão deve ser o Sidão, né?
      Cara, esse aí sai rápido da pilha de leitura porque não tem texto! Acho que pode meter bronca.
      A arte é do Chabouté, nada a ver com o Allred! Estilos bem diferentes, eu achei…

  • Bruno Messias

    Hahaha! “Sifão”! Coisas do corretor do celular…
    Uai, se a arte não tem nada a ver com o Allred, o que ele tá fazendo nas desvantagens do post?

    • Caraca, cara! Se vc não fala, eu nunca ia ver! Entraram as desvantagens do Red Rocket 7 no lugar das desvantagens do Pedaço de Madeira e Aço! Vou corrigir isso lá agora!
      Brigadão

  • Chaboutê é foda. Os mais fáceis de encontrar: esse, Moby Dick e Alone valem muito a pena.
    Mas, falando em quadrinhos sem texto, Nas Prateleiras seguiu o mesmo caminho… 😉

    • Boa! Inception na Caverna!
      Não li o Moby Dick dele. Segue a mesma vibe ou é completamente diferente? Fiquei bem curiosos!

  • Gabriel Lecomte

    Não conhecia a editora nem o quadrinho, com certeza irei conferir! Partindo na linha do material diferenciado, você conhece o “Não era você que eu esperava”?

    • Conheço, mas não li. Saiu pela Editora Nemo, não é isso? Fabien Toulmé? Eu li o outro título dele (quer dizer, se for mesmo ele) Duas Vidas e me amarrei muito. Vou resenhar em breve pra Caverna! (Mas ainda tem muita coisa na frente)
      Se você não leu esse, pode ir atrás que vale muito a pena!