CDC #107 – Êxodo

CDC #107 - Exodo

Todo mundo já deve conhecer as tirinhas de Um Sábado Qualquer, do designer Carlos Ruas. O que eu acho que nem todo mundo conhece é o seu outro projeto de fazer a bíblia em quadrinhos, cujo o primeiro capítulo, ÊXODO,  saiu um tempo atrás graças a benção divina do financiamento coletivo.

Antes de mais nada eu preciso começar dizendo que não sou nem um pouco religioso. Minha mãe me conta que quando eu era criança eu passei por uma procissão e perguntei pra ela “quem era aquela moça de lenço na cabeça segurando aquele bebê” e minha mãe respondeu “ih, meu filho, essa é uma história muito complicada que mamãe esqueceu de te contar”. Esse foi o início e o fim da minha educação religiosa.

Dito isso, “adaptação da Bíblia em quadrinhos”, não é o tipo de premissa que me atraia. Nem um pouco. Tem cara daqueles quadrinhos abandonados em rodoviárias. Ou daquelas HQs catequizadoras mal escritas e mal desenhadas que fazem você querer arrancar a pele de própria cara. Mas Êxodo não é nada disso, é uma leitura sensacional, cheia de humor, que me surpreendeu bastante! (Afinal, ela não teria entrado para o seleto rol da Caverna do Caruso caso contrário).

Carlos Ruas faz uma adaptação bastante fiel da Bíblia e é aí, ironicamente, onde mora o humor mais contundente. Ele fez questão de deixar marcado em todas as partes mais “absurdas” de qual versículo aquela passagem foi tirada – e não alterou nada. Rapaz, parece um stand up comedy eclesiástico! Ver essas passagens que muitas vezes servem mais como alegorias e metáforas sendo adaptadas em quadrinhos ao pé da letra, é surpreendentemente engraçado, ainda mais vendo a reação das pessoas perguntando “peraí, é pra gente fazer o quê??”.

Falando na reação das pessoas, o traço aqui não é do Carlos Ruas e sim do Leonardo Maciel, que é o cara perfeito para a tarefa! Com um desenho super estilizado que lembra muito as animações 2D do final dos anos 90 (ah, que saudade!), Maciel consegue passar muito humor com expressões e timing de comédia no seu storytelling (essa coluna hoje tá muito poliglota).

O mais maluco disso tudo é que apesar de eu ter achado o trabalho hilário, me parece que foi feito com muito respeito ao antigo testamento. Não há deboche ou crítica aqui. Muito pelo contrário, me parece ter muito estudo e um interesse em fazer com que o texto sagrado chegue a mais pessoas de maneira imparcial e não catequizadora. Mas é claro que, como eu falei, eu não sou nem um pouco religioso, então talvez não seja a melhor pessoa para dizer se o material é ou não é ofensivo.

Bem, vamos às virtudes e pecados, digo, vantagens e desvantagens:

Tô Lendovantagens
  • Autor nacional! Comprando esse material você estará ajudando o mercado nacional e garantindo seu lugarzinho no céu
  • Desenho engraçado, ágil e dinâmico! Gosto muito do traço do Leonardo Maciel.
  • Texto engraçado, ágil e inteligente
  • Leitura unissex!
  • Citações aos trechos originais da Bíblia. Ou seja, se você não conhece, vai aprender muita coisa sem ser de uma maneira enfadonha. Se você já conhece, pode te dar uma outra perspectiva sobre as palavras sagradas – cujas originais vieram sem ilustrações, infelizmente.
  • As cores são muito bonitas também, esqueci de falar sobre isso na coluna. Deixa tudo com um ar bem… “bíblico”.
  • O formato é bacana, meio álbum Europeu e páginas com gramatura e brilho bem luxuosas! É gostoso de pegar e ler.
Tô Lendodesvantagens
  • Apesar de já ter visto esse material em algumas livrarias, pode ser um pouco difícil de achar. Vale a busca online.
  • Sem querer criticar a obra literária original, mas em termos de trama você fica com um final meio solto (haha). A leitura tem uma dinâmica mais de esquetes do que de um arco que você acompanha o início, o meio e o fim, com curva dramática e conclusão satisfatória, etc. O que eu quero dizer é: o final te deixa querendo mais, até porque não tem muito um “final”.
  • Talvez não seja a melhor leitura do mundo para os fanáticos mais ardorosos, apesar de tudo que está lá estar na bíblia e o autor ter adaptado sem nenhum julgamento de valor. Religião é sempre um assunto muito delicado para muita gente.

Fico aqui na torcida – ou melhor, rezando – para uma continuação. Acho que a única maneira de eu conseguir ler a bíblia de cabo a rabo a essa altura do campeonato, seria se o Carlos Ruas e o Leonardo Maciel continuassem adaptando o material até o fim. Nada contra a bíblia, obviamente, é só porque eu tenho muita coisa pra ler mesmo…

Rogo agora para que os meus leitores deixem aqui suas impressões e possamos encontrar a luz através da nossa comunhão vocabular.

Tô LendoAlgumas imagens!
CDC #107 - Exodo
CDC #107 - Exodo
2018-11-07T14:19:28+00:00 7 de novembro de 2018|10 Comentários
  • Ricardo Ferreira

    Nunca tinha ouvido falar no Carlos Ruas. Pelo link cheguei no “Um sábado qualquer” e gostei.

    Já valeu a dica! Obrigado!

  • Ricardo Varotto

    O trabalho dele em “Um Sábado Qualquer” é muito divertido. Deve valer mesmo a pena.

    • Confesso que “Um Sábado Qualquer” eu nunca li, salvo uma tirinha ou outra solta por aí. Mas esse aí eu achei fenomenal!

      • Ricardo Varotto

        Eu também lia as tirinhas.

    • Boa dica Ricardo

  • Darth Paul Poor Traaais

    Ótima dica! Vou correr atrás e prometo fazer um inferno se não encontrar!

  • Ambos mandam muito bem e dá gosto de ver o que conseguiram fazer.

    Aliás, sobre adaptação bíblica… o blog “Jesus me Chicoteia” reescreveu parte da bíblia e é genial. Não tem ilustração, mas é algo que inclusive merecia uma versão senão em quadrinhos, em audiovisual.